Ferro Rodrigues: quando a forma também dita o conteúdo

Deve um líder de bancada parlamentar ser capaz de falar, e bem, de improviso ou basta-lhe ler um papel bem escrito? Deve dar respostas imediatas e à altura ou deve privilegiar a contenção, o «por amor de deus» ou o «se você o diz, quem sou eu para o julgar»? Não me parece que haja dúvidas quanto à resposta a estas perguntas.

Por alguma estranha razão, Ferro Rodrigues não passa sem textos escritos. Desde o início me pareceu bizarro que as suas  intervenções na Assembleia se fizessem com base na leitura e, muitas vezes, de cabeça baixa por causa disso. Dei-lhe o benefício da dúvida e pensei que nem sempre seria assim, que se reabituaria ao plenário e que encontraria depressa o caminho da  espontaneidade. Mas achei desde logo surpreendente esta insegurança da parte de um homem que já foi secretário-geral do partido. Quando percebi que o fazia sistematicamente, comecei a não gostar. E comecei a imaginar o que seria o debate político naquela arena se todos fizessem o mesmo… Mais decente talvez fosse, mas 1) o desinteresse pelas questões políticas que estivessem em causa passaria a ser total, 2) os diretos do Parlamento passariam a ser terapia para quem tem insónias e 3) tal (toda a gente a ler) não vai acontecer. Ferro Rodrigues está, pois, fora do contexto.  Devia saber que o método é uma seca e muito pouco eficaz.

Hoje reage às críticas (que, a meu ver, já tardavam). Vejamos: não é que a chicana política seja de louvar. Não é que o líder parlamentar deva constantemente, com as suas palavras, deixar um «cheiro a sangue» no hemiciclo. Mas há que ver o «galinheiro» em que se está, que adversário se tem pela frente e, enfim, a potencial e a real concorrência (fora e dentro do partido) no mercado dos debates públicos. Impossível acreditar que o líder parlamentar do PS não tenha ainda percebido que a atual direita é do mais baixo, inescrupuloso e mentiroso que há e que não olha a meios para atingir os seus fins. Responder a esta gente com discursos escritos é absurdo e até algo caricato. Não eleva o debate, porque ninguém utiliza, segue ou imita esta muleta anacrónica, e quem perde é o maior partido da oposição.

Por razões que podemos compreender (em Costa), Costa não vai substituí-lo. No entanto, se Ferro Rodrigues não consegue intervir de outra maneira, para além de dever já não ter aceite o cargo, deve agora demitir-se da função. Não vale a pena caricaturar recorrendo a imagens como a do cheiro a sangue. A sua atuação não está a ser eficaz e a forma tem um peso importante nessa falta de eficácia. Sim, está nisto incluído o papel. Lamento. Não está em causa, obviamente, a capacidade de Ferro Rodrigues para desempenhar outros cargos políticos.

23 thoughts on “Ferro Rodrigues: quando a forma também dita o conteúdo”

  1. concordo, Penélope!
    a este líder, mais que o dom da oratória, parece faltar-lhe convicção.
    algo vai ter de mudar…

  2. Ora beie, ora beie, antes de mais ó Ignatzia, IGNORANTEZE, já tense pra cumerre, e num tármares em pueta comigu, tá beie. já te mandeie uns bersos que te caiem a mataree.

    Quanto ao restu, ó pás, é ebidente cu ferro rudrigues é o que se xama em gíria de consciência ( aie, gustei desta última), um puliticu carreirista, e purrisso, ele num fala, num articula, ele buçala, tão a berre? oqueie.

    mas os xuxas tãoe todus achim, porque a xuxa cus representaba teie defeitu, foi retirada do mercadu e há ótros que istãoe em quarentena efetiba. xuxaas abaicho, abaicho os cumunas e taméie o coelho de maxamá. Beie, o portas, teie uns blazers ingrassadus, escapa, e tem fibra, num é parbu. biba salazare. oqueie.

  3. “Não se desce ao nível da bandalheira nem dos bandalhos.”

    o que é que propões? deitar a toalha ao chão e deixar abandalhar à vontade.

    “Ferro Rodrigues está muito bem como está e onde está.”

    sim, os partidos da coligação gozam e governo agradece.

    “Para lixo, já existem vários hugos no Parlamento.”

    pois, o que é que propões para varrer o lixo? vassouras esterilizadas e varredores bacteriologicamente puros?

    “Deixo um link, pela primeira vez em 10 anos de blogue:”

    já lá fui e não encontro resposta

  4. É doloroso ver o triste espectaculo quinzenal do apagamento de Ferro Rodrigues. Mais impreparado para a funçâo será dificil encontrar no PS. Dá a ideia de que está a li a fazer um frete…à direita e ao governo. Demita-se, Ferro, em nome do interesse dos portugueses, que precisam, como de pão para a boca, de ver esta corja afundada nas próximas eleições. Pedimos-lhe: demita-se quanto antes.

  5. Hoje respirava-se sem cheiro a sovaco.

    Os trabalhadores da função pública não pegaram na ferramenta.

    Que bom que foi, não foi?

  6. Também não aprecio o estilo de Ferro Rodrigues. Numa era em que os debates parlamentares são transmitidos em directo e têm muitas vezes tanta repercussão nos media acho que seria interessante ter alguém mais audaz e acutilante a liderar a bancada. Até porque o líder do partido não está no parlamento e mal ou bem tem adoptado uma postura mais defensiva e conservadora na sua comunicação politica. Tendo isto em mente parece-me que o líder parlamentar ideal para lidar com a baixaria da direita com a classe que se impôe só pode ser Sérgio Sousa Pinto. Haja tomates para tal.

  7. mais uma vez: o PS está viciado. e, curiosamente, o que se recusa a falar mandarim é o mesmo que dispensa a espontaneidade de responder a questões na rua sem ensaio e apoia, por isso, os ensaios do outro.

  8. Maria, faz como eu, não te dês a trabalho de ler o “feijoada”. Se ele num bê nada, não o vejas a ele. Salta por cima.

  9. Subscrevo o post na íntegra.

    Acho até piada um homem tão cinzentão como Ferro R. falar em “cheiro a sangue”.

    Mas que medo/receio é este de ir à luta, de ser frontal, de fazer política?

    E que visão é esta do ai que parece mal o “cheiro a sangue?”

    Qual parece mal, qual carapuça! Os portugueses estão fartos disto!

    Continuem assim e ainda se aproximam do PASOK.

  10. Se eu estivesse sentada ao lado do Ferro R. na AR, fazia desaparecer os papéis da mão.

    Fala homem! Olha o adversário nos olhos e confronta-o!

    Se não consegues, pá, usa um PowerPoint , sei lá…..

  11. A metáfora não podia ser mais exacta e perfeita : Ferro à imagem de Costa e Ferro como expressão da flatulência ideológico – política de Costa = BALOFOS

    Ele há imagens que valem mais que mil palavras … escusam de escrever tanta verborreia gelatinosa e piegas sobre o que é Evidente ! Há muito muito tempo … ceguetas !

  12. há meses disse aqui no aspirina que ferro rodrigues,não tinha perfil para lider parlamentar.hoje acrescento nem para deputado,tal a mediocridade do seu desempenho,e o triste comentário,para justificar a sua rejeição por parte dos camaradas.ferro rodrigues, ao aceitar este cargo, não teve a humildade necessaria,para ver que na assembleia há gente mais bem preparada, e que não bate umas sonecas de vez em quando!

  13. Fifizinhas e valupinhos e penelopezinhas e jujuzinhos e ignatziozinhos e abrileirinhas e demais entediantes e histéricos crentes desta seita do Santo Xuxa d`Evora … porque será que voces se queixam sempre do mesmo: xuxialistas moles, fracos, preguicosos, desajeitados, dorminhocos, cobardolas, balofos, verborreicos, incompetentes, artistas, larápios, pinóquios, etc ?

  14. Quem na vossa optica está à altura dos pergaminhos do nobre e corajoso xuxialismo que a todos nos vai salvar das garras dos nojentos capitalistas direitolos ?

    Existe algum no PS ? Com ideias e algum projectozinho credível ? Quem é ele(a) ?

    Tou curioso em saber … um destes dias ainda vos vou ouvir gritar e chorar pelo regresso do blasfemo SEGURO ! Quanto querem apostar ?

  15. bá ó Ignóncios, respondam, bá. binde cá dizere as bossas puliticas pulhiticas. num ma digam que istãoe na caminéta direitos à ébora, hum? e num teiem intrenete, hum, pra cunsultarre os linques, hum? boçês andem a isquexer-se do pereira, pá, o pereira, pá. eçe é ótro sem cuntaudo e sem forma.

  16. zé tó,deves estar com o período e como tal acordas cheio de sangue contra um partido que não tem como militantes discípulos de salazar ou staline.o nosso socialismo não tem no seu menu a ditadura,como receita para todos os males!vai mas é à merda!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.