Elogio e incentivo à concorrência

Todos os que circulam pelos templos da blogosfera se deram já conta de que algo de estranho calou subitamente o Câmara Corporativa, o mais poderoso blogue do centro-esquerda, apoiante das candidaturas de José Sócrates, e plataforma de excelência de um duplo contrapoder: perante os chamados estarolas que agora nos governam e perante os meios de comunicação social em geral medíocres e/ou preguiçosos e/ou domesticados que nos informam. O CC tornara-se, há anos, um local de visita diária obrigatória. Muitas notícias só fazem sentido depois de lermos o Miguel Abrantes, o João Magalhães ou o Afonso.

Não nos é difícil imaginar o empenho e o trabalho dos seus autores para produzirem peças daquela qualidade e com aquela cadência. Nem o desgaste que tal implica. Mas se for o cansaço físico ou intelectual a razão do silêncio, possivelmente deveríamos sabê-lo. Gostamos deles.

Tudo indica que a suspensão da atividade, apenas interrompida ontem, seja por tempo indeterminado, sem que ninguém perceba porquê. Os comentários que continuam a ficar registados na caixa de correio são bem testemunho do interesse, do apoio e do carinho, quando não da dependência e da orfandade, dos leitores. É desolador e também preocupante.

Quem já estranhou terá decerto engendrado múltiplas e variadas hipóteses, algumas provavelmente delirantes, outras nem tanto, outras plausíveis mas inaceitáveis, num processo absolutamente compreensível. Se estou a dramatizar, os autores que me desculpem e, já agora, que regressem, caraças.

20 thoughts on “Elogio e incentivo à concorrência”

  1. Não ficaria admirado se estivessem prudentemente em silêncio. A direita pró-fascista no poder já mostrou ser capaz de tudo.

  2. Participava no CC, com mais regularidade com que faço noutros Blogues.Agradeço o apoio,mas o CC na minha modesta opinião terminou à bomba.Não foi por cansaço dos seus autores.Já recomendei o Aspirina B,pois considero-o um blogue com excelentes posts.Lamento o estilo de determinados, comentarios,mas voçês melhor do que eu saberão atuar na altura certa.Com o desenvolvimento do pais muitos miudos deixaram de ter a tele-escola…

  3. Não acredito no desaparecimento do CC. Era demasiado inexplicável que essa voz se calasse, precisamente agora, em que praticamente já quase a totalidade da informação que nos chega traz plasmada a voz do dono. Se foi cansaço dos seus autores e se resolveram tirar umas férias, tudo bem, merecem, até porque os longos combates que se avizinham irão ser ferozes; se, porventura, foram calados, seja porque método fosse, então temos uma situação de enorme gravidade, perante a qual é preciso reunir tropas e escolher trincheira, porque então estaremos já perante novos tempos em que é já a democracia que está em causa, e mais grave ainda será o combate a travar.

  4. Faço coro com todos vós.
    Que regresse rápido o Câmara Corporativa, como era ou com mais molho.
    Jnascimento

  5. não, não voltaram…só as imagens, sem palavras…talvez um simbolo de algo inarrável !! tambêm acho que devemos ficar atentos às verdadeiras razões daquele silêncio; seria fácil demais deixar cair no esquecimento … daria muito jeito a muita gente…por isso vamos continuar a encher a caixa de comentários daquele e de outros blogues…para que não caia no esquecimento !!

  6. já lá estão 126 comentários e… nada! é desesperante e inquietante.
    com mil diabos há-de haver quem saiba algo sobre tão estranho caso.
    a hipótese de terem fechado a porta sem dizer ‘água vai’ parece-me impossível… seria indelicadeza.

  7. Se houve pressões, o caso é grave e, quando se souber, mais grave é. Não poderiam eles recomeçar com novo blogue? São absolutamente imprescindíveis.

  8. Não me revejo a entrar na net e não ler o CC, como o fazia (sacramentalmente) todos os dias.
    Não posso, sequer, crer, que qualquer das ideias (espero que só ideias…) que têm passado por aí, possam ter qualquer credibilidade. Julgo que, tal como no poema: “há sempre alguém que resista…” tenha de haver quem possa dizer NÃO. Não a esta desesperante incerteza. Ficamos a aguardar e estou crente que tudo se irá recompor.

  9. o último post é uma reprodução de uma notícia de época do 25/4. que está morto, enterrado e carunchoso (anda há dias ouvi uns jovens da geração Y comentar sabiamente sobre a eliminação dos feriados: “mais valia acabarem com o 25 de Abril! O que é essa merda?Cenas de comunas…) Entretanto, baixemos os braços,..como fez o C.C. com a imagem de despedida. Adeus e depis do adeus..o ficarmos sós…
    Merda de povo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.