E a que distância do par se poderá dançar?

No jornal Público de hoje, lê-se, e quase não se acredita, que, para cortar com a visão quadrada que os jovens têm da Igreja, criaram-se as “cristotecas”, para lhes proporcionarem um convívio cristão, sem bebidas alcoólicas. A ideia, como facilmente suspeitaríamos, surgiu no Brasil, terra da igreja Maná e de outras igualmente hipnóticas e verdadeiros nichos de mercado.

Continuando por esta extraordinária notícia adentro, lê-se que “a cristoteca desenrola-se num espaço que inclui uma pista de dança (a primeira experiência, em Portugal, é (where else) em Fátima), mas não esquece a oração e a evangelização e tem entrada gratuita”. Abre às 20h00 com uma missa.

Nas palavras de Vanessa Bueri, missionária brasileira da organização criadora, (atenção, picante) “durante a noite será feita «a evangelização corpo a corpo»”. Uau! Mas atenção, não é o que pensam. Consiste no seguinte: “Abordamos os jovens enquanto eles dançam e se divertem, para poder falar um pouco de Deus com eles”. (Hum, não será para controlar o contacto ou, digamos, pôr água na fervura?)

Mas Vanessa, decerto partilhando do espírito da maior parte dos jovens, é francamente noctívaga e, assim, para ela, o único senão da iniciativa é “o facto de o local ter de encerrar à meia-noite e meia, correndo-se o risco de os jovens irem divertir-se o resto da noite para as discotecas convencionais”. Sem problemas, Vanessa contra-ataca com esta: “é preciso proporcionar uma experiência de tal maneira intensa que os jovens não tenham vontade de ir para outros espaços de diversão”. (Oh la la!)

Diz ainda o jornal que “no seu sítio na internet, a Aliança de Misericórdia diz que ao criar o conceito de «cristoteca», a ideia é «sermos mais espertos que o mal”. E mais: “Ao não oferecer bebidas alcoólicas, nem drogas, muito menos a promiscuidade (lá está), e levantando a bandeira do namoro com seriedade e santidade (será “sexo antes do casamento, não”?), a organização acredita que está a atrair o jovem para aquilo que o seduz.” Só que, depois do isco lançado, o programa prevê um desvio dececionante da rota convencional (eventualmente promíscua para Vanessa) para (Oh…) “levá-lo a conhecer Jesus”. Bom, haja alguém que o conheça. Desejo a todos as maiores venturas e que ninguém ouse perverter este santo projeto.

17 thoughts on “E a que distância do par se poderá dançar?”

  1. vou tentar reproduzir por “palavras” o que me aconteceu aqui enquanto lia o texto/notícia:
    LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL

  2. ao ler este post veio-me à cabeça o encantador de cães.espero que este metodo da igreja que tem tão do original como de bronco,não saia da cepa torta.Se quizerem conhecer jesus podem beber à vontade e depois dirijam-se ao estadio da luz,para assistir ao porto vs benfica.garanto à padralhada que eles nem tempo têm para cometer o crime de pensar em sexo.O bancos durante anos, só não venderam hortaliça aos seus clientes.A igreja segue-lhes as pisadas…

  3. há que rentabilizar a basílica, umas bolas de espelhos, uns varões de inox e tá a padralhada a bumbar tecno, em complemento podem abrir o santuário ao tunning nitro e contratar animadores culturais na buraca. vai ser a primeira mega-superfície da alterne nacional, é só puxar pela imaginação.

  4. Estou preocupado é com a selecção musical. Creio que tudo o que saia fora do triângulo Bach-canto gregoriano-Frei Hermano da Câmara corre o risco de ser diabólico e levar à perdição o jovem rebanho.

  5. edie: És melhor que a agência France Press. Claro que esta não podia escapar ao Ricardo!

    Val: Essas é que não, pois seriam para dançar agarrados (não se percebe como se dançariam, mas já que há uma pista…). Mais batidas seria menos perigoso, que convidam à dança de grupo…

  6. O padre Vaz Pinto (esse, o da “playlist” da RR), será o DJ. Dançando nas colunas, teremos irmãs carmelitas.

  7. nada disso, Val, não te esqueças que tem de ser tão intenso que os putos entre a evangelização e a batida saem com uma moca que já nem querem saber de ir a nenhum antro do mal a seguir.
    Por exemplo, transe marado, música de drogados – ambiente bom para o trabalho dos evangelizadores, pensando bem:
    http://www.youtube.com/watch?v=Ipyzp5gcEG4&feature=related

    mas também tem música ao vivo muito linda
    http://www.youtube.com/watch?v=wOO7y0fHzo8

  8. Para que conste: a minha “cristoteca” terá música ao vivo todos os dias, com o conjunto “Jota Cristo e seus Muchachos”, em rigoroso exclusivo.

  9. tungas, enquanto a Grécia marca um golo nas fuças dos boches (eu sei, isto é projecção de problemas que nada têm a ver com o jogo da bola), lembrei-me de um contributo para as cristotecas, que aquela música émesmo muito mazinha, e Cristo não merece que os cristãos o achincalhem desta maneira.
    http://www.youtube.com/watch?v=IvVr2uks0C8
    (claro, tem a desvantagem de as miúdas irem um pouco descascadas para os padrões modernos)

    Voice of Judas
    Every time I look at you
    I don’t understand
    Why you let the things you did
    Get so out of hand
    You’d have managed better
    If you’d had it planned
    Now why’d you choose such a backward time
    And such a strange land?

    If you’d come today
    You could have reached the whole nation
    Israel in 4 BC had no mass communication
    Don’t you get me wrong

    Only want to know
    Only want to know, now

    Jesus Christ
    Jesus Christ
    Who are you? What have you sacrificed?
    Jesus Christ
    Jesus Christ
    Who are you? What have you sacrificed?
    Jesus Christ
    Superstar
    Do you think you’re what they say you are?
    Jesus Christ
    Superstar
    Do you think you’re what they say you are?

    Tell me what you think
    About your friends at the top
    Now who d’you think besides yourself
    Was the pick of the crop?
    Buddah was he where it’s at?
    Is he where you are?
    Could Muhammmed move a mountain
    Or was that just PR?
    Did you mean to die like that?
    Was that a mistake or
    Did you know your messy death
    Would be a record breaker?

    Don’t you get me wrong Don’t you get me wrong
    Don’t you get me wrong, now Don’t you get me wrong

    Only want to know Only want to know
    Only want to know, now Only want to know

    Jesus Christ
    Jesus Christ
    Who are you? What have you sacrificed?
    Jesus Christ
    Jesus Christ
    Who are you? What have you sacrificed?
    Jesus Christ
    Superstar
    Do you think you’re what they say you are?
    Jesus Christ
    Superstar
    Do you think you’re what they say you are?

    Jesus Christ
    Jesus Christ
    Who are you? What have you sacrificed?
    Jesus Christ
    Jesus Christ
    Who are you? What have you sacrificed?
    Jesus Christ
    Superstar
    Do you think you’re what they say you are?
    Jesus Christ
    Superstar
    Do you think you’re what they say you are?

  10. lá aquele bispalhado que nem me apetece dizer o nome, mas enfim é macedo só para identificar, diz algo como isto: “Cristo é o caminho da salvação e eu sou a portagem”. Deixei de acreditar no Gajo, não é possível pactuar com isto e tanta outra coisa: Tu, sim Tu, vais com maiúscula que é para não haver confusões, vai para o Caralho.

  11. de um blogue tão sério a descobrir notícias de micro-ondas esperava eu que não embarcassem numa (não) notícia de 2009 que mesmo aquecida já deve estar estragada

    como diria aqui alguém: boa para distrair papalvos

  12. §, desculpa, tens de ser mais explícito, deixaste de acreditar no Gajo por causa do bispalhado, dos auto-intituldos portageiros? Bem digo eu, a principal promotora de ateus é a igreja católica. Nem o PC lhe chega aos calcanhares nessa missão.

    Mas cada um tem o dever de distingur o cu das calças, lá isso também é verdade.

    techau.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.