Duplo fedor?

Mistérios do Aquém:

Por que razão Tânia Laranjo, do Correio da Manhã, ainda quer fazer perguntas a João Araújo na rua, quando diariamente, teclando no computador, se mostra sabedora de muito mais do que ele? Do que ele, do que Sócrates e do que todos os agentes da Justiça, incluindo os que ainda hão de vir a ter a palavra final.

 

Independentemente da factualidade do mau cheiro que o advogado hoje lhe atribuiu – ficámos sem saber se era real ou figurado – é por acaso possível ter um diálogo civilizado, por mais curto que seja, com alguém do Correio da Manhã sobre Sócrates? Um pasquim que vive à custa da injúria e da ofensa, gritadas nas primeiras páginas, e tão para lá do mau cheiro, contra o homem e a sua família, amigos e conhecidos, ao arrepio de tudo o que é o Estado de Direito, nomeadamente o respeito pelo bom nome alheio e a presunção de inocência?

É preciso muita lata e desejo de provocação para que a co-autora de tais julgamentos sumários, ataques e difamações diários contra Sócrates barre tudo isso e se aproxime do advogado, com ar pretensamente sério e profissional, munida de um microfone “à jornalista”. Lata está visto que tem e sem freios.  O mínimo seria, pois, esperar alguma falta de freios da outra parte, um dia. O que aconteceu. Não tem que se indignar.

Tem, evidentemente, todo o direito a apresentar uma queixa-crime. Não deixa de ser ridículo, mas ’tá bem. O pior é se cheira mesmo mal.

27 thoughts on “Duplo fedor?”

  1. muito aguenta o araújo…parecem cães esfomeados atirados a um osso.
    essa laranja mete nojo, mas tem as costas quentes.

  2. A Laranja entendeu a coisa como quis, o CM também e ambos queriam o pretexto para avançar com um processo. É direito deles mas eles têm de se conformar com uma realidade: metem de facto nojo, tresandam a lixeira, água suja e putrefacta. Se não percebem o sentido do desabafo de João Araújo, o problema é deles.

  3. parece que houve um elemento da equipe de reportagem cmtv que se atirou para o chão a simular uma agressão do advogado, mas a cena foi mal interpretada e o gajo que editou a peça cortou a cena macaca.

  4. o araújo já tinha anteriormente avisado que não prestava declarações para o esgoto da manhã, qual é a admiração da mal cheirosa?

  5. É pá, mais um parexere burrídico que nos permite chamare nomes a todos os gajos, portantus, a gaja xeira male e podemos xamar-lhe porca, suja, ou porca – suja, que num laba a cabaça, que num laba os pèlus púvicus nem o subaquinhoe. acabouçe o crime de injurias. oqueie. menos um crime no códigu penale. e se xamamus ignorantes aos gajos que defendem tal parechere, eles num teim que se arreliare, o prublema é deles que percebem o desabafo, tá beie? oqueie.

  6. çará cu arraujo xeira a caril, hum? e pença que todus debem xeirar a caril hum? num seie, digu eue. o cheiru é subejetibu, por ejemplu, o IGNORANTEZES sempre cábre a boca só larga bosta, e ele pença que xeira beie, tão a bere? oqueie.

  7. Só poderá haver alguma justiça neste processo quando Tânia Laranjo, os seus colegas e os agentes judiciários nele participantes forem sujeitos ao mesmo tratamento de investigação e divulgação da vida privada, em registo de suspeita, que dedicaram a José Sócrates. Para que se possa compreender e avaliar a seriedade e intenção do que se escreve sobre quem submete as suas propostas a consulta pública é, também, do interesse público que esse escrutínio seja extensível a esses personagens. Ou se agrava o risco de ludibriar a democracia.

  8. não há desculpas. estão ambos a trabalhar e, por isso, devem fazê-lo bem porque é o Homem que dignifica o trabalho e não o contrário. quando a estupidez ataca é sempre o mais inteligente que se cala.

  9. aie olinda, oube, eu gusteie dessa »quando a estupidez ataca é sempre o mais inteligente que se cala.» aie ó IGNATEZES, fogu, fogu, oube, tas a preceberre ó gaju? hum? tás sempre aatacare, pá, num páras, e olha ca Olinda tá a serre generrosa cuntigu pá, porque um istúpido ainda pensa. sim, um istupido ainda pensa, pensa istupidez ibidentemente, mas o ignurante naõe, oube, e aolinda nunca te responde, pá, oube, táz a bere a diferença, hum, tás?
    oube, e agora num axas qué altura de fazere um lista de cegus, hum? eu ponho o arrabujo à frente, pá, depois o socrates pá, e logu aseguir ponho os IGNATEZES, tás a bere? fogu, fogu, eu e num faço parte da cousa, queue tenhu acertadu em tudo, em tudo, oube, em tudo. queres uma ideia? queres? pega no acórdaõ do éce tè jóta e intrega o pedido no sitio certo, fogu, no sitio certo, pá! mesmu ca percas, num há problema, o juíz decide e tu recorres pra relaçãoe, tás abere? hum? isto do prochechu num saprende a consultarre linques pá, nem a desbafare no boletim da ordem, pá, já te disse. faze o requerimemto. oqueie.

  10. ó galucu, oube, apóia aíe o Ignateze, meue, bá, salbem a democracia, a democracia que istá inquinada, inquinada de bícios com as bozes de burro que se bão oubindo, oubindo, ainda se suvissem ao céo, era sinal que tariam beie, mas num é o cazo. oqueie.

  11. “faze o requerimemto. oqueie.”

    e onde é que se entrega o requerimento? na relação, no supremo, em casa do alex ou no correio da manhã. é que todos aceitam os requerimentos e só passados os prazos (indicativos) é que dizem que afinal era no guichet ao lado.

  12. iGNORANTEZES, pá, requeres ao juíz de Instrussãoe, pa. entregas na secretaria geral lá do gajo, tás abere e ele teie de prununciar-se, tás a bere? mas óbe tenz de alegar os atropelos processuais, só que, meue, uma bez cu gaju já foi ao processo, aquela gaita já debe are sanada, tás abere? hum? pois é, pá, por isso é cus gajus andem a estrebuxare no boletim da ordem, hum? Pruxecho eue, já te diçe bárias bezes. oqueie.

    oube porque é cáxas cus stejotas decidiram cum o cunteúdo que decidiraam, hum? talbez o artigo da murreirita debesse ser ótro pá. oqueie.

  13. Ouvi dizer que em Portugal há democracia e com certeza até há, uma democracia ao gosto de cada um. São democratas todos que estão de acordo comigo, e naturalmente anti-democrata quem não está.

  14. “… requeres ao juíz de Instrussãoe, pa. entregas na secretaria geral lá do gajo, tás abere e ele teie de prununciar-se, tás a bere? ”

    oh 9forarien. tou a ber, tou. peço autorização ao alex para apresentar uma queixa contra, alex e entrego no correio da manhã e depois o alex e depois o marques mendes informa-me no sábado seguinte depois de decorrido o prazo indicativo.

  15. Lí algures, escrito por Rui Rocha: “quando a cabeça não tem juizo, o habeas corpus é que paga”, muito a preposito…

  16. ó ignarezes és tacanhu pá, o qué isso de prazu indicativo, pá? cumta aíe?num há prazos indicatibus pá. dónde é que tu ézes? hum? óbe o linque que fala em prazos indicatibus tá errado. denuncia-o pá, bá. ó meu, na berdade, sou mais prova real, tá beie? proba dos nobe és tu, porque da tie sai nada, tá beie? oqueie.

  17. oh ninesoutnothing, quem diz que é meramente indicativo e não vinculativo é a associação sindical dos juízes. já foi denúnciado há bués e foi essa a justificação. não mando o linque porque os gajos botaram protecção no site para identificar quem lá vai. o que tu provas é ser um real ignorante e paspalho.

  18. O que me parece, sem ter garantias de que assim seja, é que todos os jornalistas que não gostam de se lavar, que se desleixam, nem se penteiam e que têm mau odor, vão acolher-se no CM. ! Se calhar, e estou só a dizer, hipoteticamente, que o cheiro nauseabundo só agora começou a tocar a atmosfera circundante ! É que repisar até à exaustão notícias e fotos de quem odeiam já cheira mal há muito tempo ! Mas gostam tal é o habito que fica pegado à pele. Claro que todas estas considerações são uma fábula, e não correspondem à verdade. Hipoteticamente falando, vamos rindo e anotando !

  19. Que vergonha de texto. Sejam quais forem as nossas opiniões a respeito da prisão de Sócrates, e eu tenho muitas dúvidas da sua legalidade, este texto é inconcebível. Uma vergonha para este blogue.
    Não conheço a sua autora, nem quero conhecer, mas o que escreveu é absolutamente primário.
    Vale tudo?

    (os comentaristas são um primor de civilidade)

  20. Quem não sabe o que é civilidade é o Sr. José Seabra. Quando não concordo com o que leio, dou a minha opinião ou, se não valer a pena, calo-me.
    Neste momento o primário é o Senhor, e pelos vistos muito mal educado (para não dizer outra coisa).
    Para utilizar o seu nivel (de comentador primário/pouco civilizado): O Sr. cheira muito mal!
    AVA

  21. É muito natural que a alegada jornalista cheire realmente mal. Afinal de contas trabalha numa gigantesca cloaca.

  22. Não vejo razão para que o Dr.João Araújo seja processado. Se ele sentiu o mau cheiro proveniente da jornalista fez muito bem em lhe fazer uma recomendação de lavagem. Até havia de ser agradecido por isso.

  23. Para o anónimo das 16:42: Obrigado por confirmar tudo o que eu disse sobre o nível dos comentadores. Eu falei do TEXTO, veja se percebe: do TEXTO, não ofendi ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.