Cultos – foi assim que aconteceu

Se vivêssemos uns bons séculos lá para trás, na Venezuela, estaríamos a assistir em direto à génese de uma religião. Nicolás Maduro tenta por todos os meios criar uma aura mítica em torno da figura do desaparecido Hugo Chávez (pobre do homem, que nunca se atreveu a ir tão longe) e, para si, o estatuto do S. Pedro da religião cristã. E para quê? Sem surpresa, em última instância, para se preservar no poder. Se há massas dispostas a serem alienadas, e pelos visto há algumas, estarão aqui reunidos os ingredientes para cozinhar um novo culto. O culto de Maria também teve os seus momentos fundadores, as suas “visualizações”, como sabemos. Mas será assim? Será ainda possível? Sabemos as motivações de Maduro. Não serão diferentes das dos seus antepassados de há um par (ou dois, ou três) de milénios. Também têm pontos em comum com as de há um século, por cá. Infelizmente para ele, o mercado do divino já está um tanto ou quanto saturado hoje em dia e não tarda a bolha santa rebenta-lhe na cabeça. Graças ao petróleo, não lhe rebenta outra.

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, veio a público afirmar que o rosto do seu antecessor, Hugo Chávez, apareceu numa rocha durante a escavação do metropolitano de Caracas.

Numa intervenção televisiva transmitida esta quarta-feira à noite (esta madrugada em Lisboa), Nicolás Maduro mostrou fotos do que diz ser o rosto de Hugo Chávez gravado numa rocha posta a descoberto nas escavações para a construção do metropolitano da capital venezuelana.

10 thoughts on “Cultos – foi assim que aconteceu”

  1. se fosse no metro de lisboa, a associação de defesa do paleolítico superior e a quercus embargavam a obra.

  2. paradoxalmente de teres ido, e bem, atrás essa do material ideológico na pedra é muito à frente – uma verdadeira cultição, Penélope. :-)

  3. Qual a novidade? Estamos na América Latina , continente do realismo fantástico de Gabriel Garcia M .

    Quanto a alienação das massas, Maduro é um principiante. Deveria aprender com a troika e com o Governo portugues. O desemprego, o trabalho precário e sem direitos é muito mais eficaz.

  4. “Quanto a alienação das massas, Maduro é um principiante. Deveria aprender com a troika e com o Governo portugues.”

    com o pcp aprendia mais depressa e a matéria era a mesma.

  5. há falta de politicas,maduro veio a portugal aconselhar-se com a nossa igreja,depois de ter passado pelas gravuras rupestres de vila nova de foz côa!

  6. Hugo Chavez foi o resultado de décadas de intervenções do FMI, que contaram com a a colaboração ou complacência da elite venezuelana. Uma elite que lucrou com a pobreza extrema de um país abençoado (ou amaldiçoado…) com enormes reservas de petróleo.

    O resultado foi uma revolta social, com as consequências previsíveis nesse tipo de coisas. Chavez vencia eleições porque promoveu uma certa redistribuição dos rendimentos do petróleo, o que teve um enorme impacto social. Num país onde as expectativas da população pobre eram baixíssimas, isso facilmente eleva um líder ao estatuto de semi-deus.

    Esperando mais uns anitos, e com a “laranja mecânica”

    http://www.redeemedreader.com/wp-content/uploads/2011/09/a-clockwork-orange-3-1024.jpg

    a governar, nós tugas também acabaremos por chegar ao estado a que os sul-americanos chegaram. Palavra de joaopft…

  7. João Viegas: Sabes como é: Outono, castanhas, marmelos, maçãs assadas, tanta coisa boa se passa na cozinha que é impossível escapar à ideia das receitas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.