Com os olhos em João Galamba

Aturar e demolir o Mesquita Nunes ou o Leitão Amaro nos “Frentes a frente” da SIC Notícias ou ripostar contra a argumentação javarda e incongruente da direita no Parlamento têm sido as especialidades políticas de João Galamba, o agora ex-deputado do PS nomeado secretário de Estado da Energia.  Especialidades exercidas com grande eficácia, diga-se, exceptuando uma ou outra precipitação. Galamba tem um discurso claro e bem fundamentado e é combativo, além de perceber de economia e finanças e de se preparar bem para os confrontos. Não sei se é mais à esquerda ou mais à direita no PS. Que é mais novo do que os outros, é. Mas, se for mais à esquerda, está mais do que bem posicionado no novo cargo para enfrentar o poderoso lóbi das empresas energéticas, ou não está?. Qual a crítica, então? A direita, sobretudo o PSD e o Correio da Manhã, já começou a campanha de tiro ao boneco. Ou porque não tem habilitações (??) para a área (Seguro Sanches tinha?), ou porque é demasiado à esquerda (e isso será mau quando se trata das energéticas?), ou ainda a derradeira e rainha das razões: a de que Galamba foi lançado na política por Sócrates. Mas também pode ser que seja o discreto piercing na orelha? Possivelmente é tão-só este o irritante. Não vão ter sorte. João Galamba já deve estar mergulhado nos dossiês que o esperam, pronto e preparado para o combate e para fazer um brilharete. Os bloquistas estarão de olhos atentos e gulosos nele, pensando num futuro governo, agora que já têm mais a noção do que se trata.

2 thoughts on “Com os olhos em João Galamba”

  1. Boa escolha a de António Costa. Resiliente e combativo não irá ser fácil o Mexia dar-lhe a volta. Quanto ao seu desconhecimento do sector energético, pode ser uma mais valia, não tem ideias pré-concebidas sobre o sector. De que nos serviram tantos especialistas e eminências que por lá passaram?

  2. É assim: A Termodinâmica é uma grandeza que mede a força com que o PPD e CDS (nas vertentes populares) se afundam. O Calor é a energia que a Direita (PPD+CDS) despendem para não cair no abismo. A temperatura é uma resultante da pressão exercida sobre a Direita (PPD+CDS). O Volume é o total de votos perdidos pela Direita nas últimas eleições. Depois da Primeira Teoria da Termodinâmica o João Galamba vai teorizar sobre a Segunda Teoria da Termodinâmica em direcção ao vexame final da Direita em Portugal pois que a Resistência é igual à Tensão sofrida no interior do PPD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.