Chanfrados

Segundo a Troika, são urgentemente necessárias mais medidas para melhorar o funcionamento do mercado laboral, isto para resolver o problema do desemprego galopante (que querem fazer passar por surpresa).

Mas alguém no seu perfeito juízo acredita que a razão para a falta de trabalho é a lei laboral?

Num contexto em que o consumo diminui drasticamente devido ao corte dos salários, das reformas e das pensões, em que as lojas despedem funcionários ou fecham devido à perda de clientes, agora sem dinheiro para gastos, os restaurantes e cafés idem, devido ao agravamento da carga fiscal de quase 100%, e as fábricas diminuem a produção destinada ao consumo interno pelos motivos já apontados – o problema é da lei laboral?!

Estes senhores podiam até ser cómicos, não se desse o caso de estarem a cometer verdadeiros crimes com a vida de milhões de pessoas. Não deviam ter sido chamados, devíamos tê-los mantido ao largo como desígnio nacional, aí sim, custasse o que custasse. Agora que cá estão, devem ser vivamente criticados. Têm dinheiro, mas não são deuses. Nem médicos parecem ser.

Tudo isto se passa, chamo a atenção, numa zona do mundo que era suposto ser única e solidária. Não se esperava que a UE e o BCE fossem instituições que estivessem ao serviço de um só país. Mas estão! E o FMI, apesar de uma ou outra frase desgarrada de Christine Lagarde, que lhe dá a aparência de ser mais razoável, alinha perfeitamente no jogo. O seu historial indica, aliás, que não conhecem outra receita. Para que servem, neste caso concreto? Para sugar o dinheiro de uns Estados europeus para o reembolsar a outros membros da mesma União Europeia, condenando à miséria metade dos seus habitantes? Será isto admissível? Alguém os treinou devidamente para ajudar a tirar de dificuldades países da ZONA EURO? Dificuldades essas devidas a erros de conceção de uma moeda única e à consequente falta de mecanismos de defesa de toda a zona contra crises financeiras internacionais? Não creio. Aliás, tenho a certeza. O FMI não faz a mínima ideia do que está a fazer a países nesta situação. Vai seguindo os ditames da Alemanha e, entretanto, trata de inventar causas estranhas para o que só podia correr mal. O absurdo é que, ao arranjar novos remédios para as causas inventadas, só agrava a situação. Como é possível que a nossa dívida em 2013 já esteja prevista para mais de 118% do PIB?

Vítor Gaspar, que já começa a dominar certas técnicas de autodefesa política, diz hoje que não existe qualquer espiral recessiva. “Para o ministro, o que se passa em Portugal é um alargamento do quadro conjuntural de 2010 e 2011 e uma viragem para a recuperação que, como refere, já se começa a sentir”. Um alargamento do quadro conjuntural, reparem bem no requinte. O conhecimento da linguagem económica permite-lhe arranjar com alguma facilidade eufemismos, cada vez mais sinónimos de mentiras. Alguém já viu ou sentiu verdadeiramente a luz e a esperança que o ministro pretende vender?

Chanfrados anónimos e chanfrados com nome, todos unidos. Para quem caminha para pior, esperemos que tudo acabe mal, que, mesmo assim, é melhor do que pior.

7 thoughts on “Chanfrados”

  1. porra, logo agora que já tínhamos preenchido quase todos os quadradinhos – faltavam dois, segundo a Cristas – é que se lembram que alguns pontos exigem desenvolvimento de resposta. Já só falta pedirem uma redacção, querem ver?

  2. Não sei o que seja mais trágico: se a arrogância estéril de um Ministro das Finanças autista e alucinado, dentro de uma redoma de acrílico baço, se os açougueiros do FMI que olham para o tumor nos túbaros de um barrasco e sugerem um tratamento à base de chá de perpétuas roxas.

    Nem o mago Gaspar sabe às quantas anda, nem os biscateiros ao serviço do FMI fazem ideia do covil onde vieram parar.

    E a maior parte dos babosos continua a olhar para o écran de televisão ou do computador, ou a ler as manchetes do C. da Manha na tasca da Ti Albertina, e a não se dar conta que viaja no porão de um grande transatlântico tele-comandado à distância por uns aprendizes de Piloto náutico com um zingarelho na mão. Nem sabem se tem pilhas, mas continuam a carregar nos botões de olhos cerrados e a fazer figas, mas o cabrão do navio nunca mais dá à costa, como era suposto acontecer nas Aulas teórico-práticas de navegação à vista que frequentaram no laguinho do jardim da Católica….

  3. É verdade que Portugal não era a Grécia, mas a receita revlou-se desastrada. Pois todos, mas mesmo todos, neste desgraçado país, se uniram contra um pequenissimo grupo em torno de Sócrates-PM, que não queria o veneno para a economia.
    É um desplante a indignação de Seguro, Soares, Louçã ou Jerónimo Sousa. No mínimo são tão indecentes quanto os agora odiados da Troika.
    Vamos deixar de ser hipócritas e chamar os bois pelos nomes. Todos estes senhores só pensaram numa coisa, custasse o que custasse ao país: arredar Sócrates, mesmo que isso significasse entregar o país a uns chico-espertos e à receita da TroiKa. Não tiveram, eles e o sr Presidente Cavaco, escrupulo algum em provocar uma crise politica num momento em que a fragilidade do país a proibia.
    Esta gente causa-me repulsa. Todos eles.

  4. pois foi exactamente a sensação física e moral que eperimentei ao ver os comentários agora na SIC. Mas quem é que estes vermes pretendem enganar? Os amnésicos? Bom, têm por aí um grande mercado-alvo.

    Mas “chanfrados” é um excelente título da Penélope: o primeiro grupo de chanfrados está contente com o sucesso alcançado (sucesso em quê, pergunto-me, a única coisa que está a exceder as expectativas (estará?)é o nível assustador de desemprego; o segundo grupo de chanfrados mostra-se muito ofendido e chocado por se estar a concretizar a via que escolheram.

    Vai daí a malta sente nojo por esta gentalha, sente repulsa e desliga o televisor e vem desabafar aqui para o aspirina.

  5. Chanfrados ou estarolas eles estão entretidos a destruir o País, nas áreas sociais e
    laborais, seguindo uma política ultra-liberal usando o “chapéu” da troika, razão para
    afirmarem ir para além da dita! Com as consequências económicas conhecidas!

    Espere-se pelo espectáculo do “road-show” a cargo dos senadores do PSD cantando
    loas ao brilhante desempenho deste des-governo de estarolas, a começar pelo jardi-
    neiro Pilatos de Belém exausto pelo esforço de promoção de Portugal mas, consente
    que continue no governo um ministro que repetidamente mentiu numa Comissão da
    A.R. e, que aguarde um relatório da ERC para saber se houve ou não tentativa de
    chantagem por parte do mesmo ministro sobre uma jornalista!

    Anteriormente, vivíamos a asfixia democrática e, o outro era o mentiroso ???

  6. E agora até a Velha quer vir tirar o cavalinho da chuva de merda grossa que caga em todos nós, desde há pelo menos três anos! C’aganda latosa…

    E para com estes DEFICIENTES MORAIS, autênticos inimputáveis, é que não pode mesmo haver contemplações de espécie nenhuma: PUTA QUE OS PARIU!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.