Anular-se ou afirmar-se, eis a questão

Anulei-me durante três anos para manter a paz no PS, agora vou mostrar as minhas convicções”, explicou o secretário-geral do partido, referindo-se à frase “Habituem-se que isto mudou”, proferida após o anúncio de António Costa à liderança do PS.

António José Seguro devia deixar-se de vez de apontar as culpas da sua fraca e errática liderança a outros. O mais recente culpado foi o António Costa – jamais os três anos como líder da oposição, nem os dececionantes resultados obtidos nas europeias. Agora diz que se anulou nos últimos três anos para manter a paz, ou seja, dito por outras palavras, “Senhora professora, foram aqueles meninos!” (que não o deixaram mostrar o que valia). Estão arranjados outros culpados, o que continua a ser ridículo. Toda a gente no partido lhe deu todas as oportunidades para se afirmar e até plena colaboração. Nestas últimas eleições, e nas anteriores, ninguém se inibiu de fazer campanha e dar a cara pelo partido e, por conseguinte, pela atual direção. Na Assembleia não tem havido conflitos de maior. Nem mesmo Sócrates o hostilizou. Pelo contrário.

Muitos observadores, entre os quais a minha pessoa, nem percebiam como era possível ninguém – gente tão absolutamente melhor – se insurgir contra tamanha nulidade. Uma nulidade que, deixado à solta e de improviso, dizia facilmente inanidades (do género da abstenção violenta) ou desaparecia para apascentar as ovelhas do partido em momentos políticos absolutamente cruciais para a oposição se afirmar. Não foram os outros meninos que o obrigaram a comportar-se desse modo, como bem sabe.

No entanto, agora que “isto mudou” e que decidiu “mostrar as suas convicções” (que já foram outras, não há muito tempo), o que está à vista de todos é o vazio de Seguro e o seu inebriamento por um determinado estatuto, uma enorme falta de rumo e de coerência (as tais convicções que diz ter, mas que só por interesse e desespero lhe saltam, e mal, demasiado artificiais), um enorme rancor, um oportunismo descarado e uma escandalosa irresponsabilidade.

Alguém que lhe explique que quem se anula já está a revelar-se fraco e inseguro. Reconhecê-lo só acrescenta fraqueza. E que a provar que assim é está o facto de, mal decidiu afirmar-se, nada mais ter feito do que expor-nos as razões por que nada mais poderia fazer a não ser anular-se.

12 thoughts on “Anular-se ou afirmar-se, eis a questão”

  1. Blá, blá, blá e mais bla blá
    Mas afinal qual a diferença programática entre os Tós ? Para além de um ser mais escurinho que o outro?

    Não se vislumbra.

  2. TZ Seguro tem-se mostrado muito pior do que eu pensava. Assustadoramente pior. É altura de se anular de vez e nos poupar ao patético espetáculo da sua nulidade.

  3. se o tózero andou a jogar para nulos e oferecer vazas em benefício do coelho, só podem ter andado a jogar ao king.

  4. seguro,é na minha opinião uma pessoa mal formada.é extremamente egoista e por isso, ainda socrates assumia a derrota ( lembro que até a ultima semana das eleiçoes estava empatado nas sondagens com a direita) já ele à saida do elevador se declarava candidato à liderança do partido,depois de ter feito oposiçao a socrates durante 6 anos.como também é vingativo escolheu para seu candidato autarquico o maior oposicionista ao governo de socrates o presidente da toda poderosa associaçao das farmacias.daqui apelo aos militantes do ps para levararam a cabo um levantamento popular dentro do seu partido,para exigir as eleiçoes no mais curto espaço de tempo possivel,para poderem preparar a derrocada da direita.

  5. bento,ou és um bloquista em “fase terminal”,ou um social fascista do pcp, à imagem da dona inercia,à espera que daqui a 100 anos, o pcp tenha os mesmos votos do ps,para se coligar. esta condiçao posta por jeronimo de sousa e reafirmada por joão oliveira, visa atenuar ” no imediato”a vida sacrificada dos trabalhadores que jura defender.

  6. SEguro teve o seu estado de graça e todas as oportunidades de mostrar o seu valor pessoal e das suas ideias.

    ESperamos, esperamos e agora desesperamos.
    Já não há pachorra nem graça que valham para manter Seguro a SG do PS e muito menos como candidato a PM.

    Seguro não compreendeu a mensagem que o eleitorado manifestou, ou então não quis compreender, o que é muito mais grave.
    Vire-se a página, rápido, rápido, rápido.

  7. Espero que,rapidamente,este espaço seja objeto da intervenção de uma empresa ,qualificada para o efeito,de desinfestação.Já há demasiado bento nadegas-abertas,produto patenteado por um tal bruno de carvalho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.