Amor ao próximo e justiça

O cronista e candidato a cómico João Miguel Tavares é conhecido pelo ódio de morte que dedica a Sócrates há vários anos, ódio que pratica entusiasticamente com a tecla ou perante microfones e câmaras de televisão. Este homem é também conhecido pelo seu catolicismo. Ora, é este homem  que, a propósito do que escreveu Daniel Oliveira (discutível) sobre a mãe do rapaz que assassinou um amigo em Salvaterra de Magos, vem cristamente falar na superioridade do «amor pelo outro» em relação ao amor pelos nossos.

Eis a palavra do cronista:

A forma mais elevada de vida em sociedade não se conquista através da exigência de mais amor pelos nossos (que é coisa que não costuma faltar), mas de mais amor pelos outros — daí o interesse da mensagem cristã, mesmo para quem é ateu, desde que tenha superado os tiques mata-frades. Ela é um convite para sair do nosso reduto em direcção ao outro, ainda que esse outro não nos seja próximo — melhor: sobretudo se ele não nos for próximo.”

Fonte: Público

Bonitas palavras. Se me admiro? Não. É extremamente simples e agradável fazer declarações de amor «ao outro». O «outro» é todo o mundo e ninguém. É um conceito suficientemente vago, no qual, por estranho que pareça, não parece ser possível incluir «todos os outros» – refiro-me a adversários políticos, delinquentes, malcheirosos, presos preventivos sem acusação, etc., ao contrário do que pretendia um tal Jesus Cristo, ou quem, em hora bondosa e pragmática, o inventou.

Mas não exageremos. Não se pode pedir a um cristão que ame todos os outros. Algum ódio é, pelos vistos, admissível. E quando? Ora, quando for justo. (E, em alguns casos, a justiça fazemo-la nós.)

Ainda Tavares:

Se Daniel Oliveira  ficou horrorizado por uma mãe declarar o abandono do seu filho  […], eu fiquei  sobretudo comovido ao vê-la  escrever: “Preferia mil vezes que  [o meu filho] estivesse no lugar  do Felipe.” Perante uma frase tão forte quanto esta, há quem possa  ver nela uma “mãe que arrepia”.  Mas eu vejo sobretudo uma mãe  que se recusa a colocar o seu  coração à frente do sentimento de  justiça — e isso, no mundo em que  vivemos, é tanto mais raro quanto  digno de admiração.”

Aplicando isto do «coração» ao próximo, será sempre a justiça a prevalecer e inspirar os julgamentos de Tavares, por maioria de razão. Ah, o soberano juiz JMT! Sócrates, se não matou ninguém, leva com pedras por ter sido corrupto. Decidiu e concretiza Tavares. Com a bênção de deus. Eis o «amor ao outro».

A moral cristã é muito viscosa. Nunca é demais elogiar quem preferiu criar Estados de direito. É sempre de lamentar quem não os faz respeitar.

23 thoughts on “Amor ao próximo e justiça”

  1. João Miguel, João Miguel, ah já sei é aquele estupor barbudo, de óculos, riso cínico e com fala ligeiramente esquisita que faz parte do Governo Sombra da TSF e TVI, o único governo português onde o PS nunca pôs os pés.
    Um personagem muito aproprriado à gente que reprresenta naquela coisa, ou prrogrrama ou lá o que é.

  2. João Miguel Tavares, José Manuel Fernandes, João César das Neves, Felícia Cabrita, José António Saraiva, Fernando Esteves e mais uns quantos, incluindo o “escritor” imortal que pisca o olho no final dos telejornais, e também um tal António Balbino Caldeira, que conjunto de salafrários, de velhacos. Que juízes… Que nojo!!!!!

  3. Anónimo diz lá qual é a corrupção que conheces nas obras publicas e de que Sócrates tenha beneficiado.
    Telefona também a um dos meritíssimos e junta a tua descoberta ao processo, vai-lhes fazer jeito, fartam-se de trabalhar e ainda não encontraram nada, coitados.

  4. Eduardo:

    Vinte valores! São assim estes peixes-piolho das fornadas anuais de Castelo de Vide

  5. Na China de Mao, louvava-se o “exemplo” de uma mãe que para salvar uma criança abandonou o seu filho, que acabou por morrer. Se calhar, foi nesta patranha que Tavares se inspirou. Não posso adiantar muito porque nem os títulos das suas crónicas leio. Viro logo a página.

  6. mas como é que é possível que perante um assunto que é um assassinato cometido por um adolescente a outro adolescente se façam paralelismos com a moral cristã e a justiça e um ex-primeiro ministro? como é que um desabafo de uma mãe completamente desesperada, seja ele a favor ou contra o filho que ela ama sabendo que ama um monstro por dentro do seu sangue, vem desaguar em um post destes? a opinião desses e de outros é mais importante do que a tragédia? e se fizesses antes uma reflexão em volta do que é a delinquência juvenil e o valor da vida dos outros? vai à merda, Penélope. fiquei mesmo triste agora.

  7. A heresia corre no sangue do cego e ignorante. Este está sempre pronto a criticar, através de paralelismos convenientes e fúteis, ofensivos, plenos de arrogância e muita vaidade. Quem não reconhece a CRUZ, nada conhece, a não ser o vazio. Por isso, as comparações não estão ao alcance de todos, que deviam tão só manejar aquilo cujas forças lhe permitem.

  8. Estão a dar muita importância ao “cronista” tavares que, tudo faz
    para ganhar a vida e sustentar os filhos … os outros que se lixem!!!

  9. Anónimo, faz um esforço, um trabalhinho de casa, e compara as PPP -PS com as PPP PSD/CDS. Começa ppor aquela que foi a primeira de todas, a Ponte Vasco da Gama, de longe a mais gravosa para o Estado, e, vê tu, obra do rigor de Cavaco (imagina se não fosse rigoroso!) e do seu super-ministro das Obras Públicas, o tal que negociou as condições do negócio enquanto ministro e logo de seguida, sem um mínimo período de nojo, foi colher os frutos saborosos na Lusoponte, a parceira na primeira das primeiras PPP. Anónimo, deixa de ser papagaio.

  10. “Anónimo diz lá qual é a corrupção que conheces nas obras publicas e de que Sócrates tenha beneficiado.”

    Nenhuma. Carlos Santos Silva é um benemérito e amigo do peito que se limitou a emprestar milhões de euros a um ex-primeiro ministro à medida que este foi necessitando, sem qualquer limite ou sequer registo dos valores emprestados. É essa a explicação.

  11. “Nenhuma. (exactamente) Carlos Santos Silva é um benemérito e amigo do peito que se limitou a emprestar milhões (como é que sabes que foram milhões e não centenas ou biliões?) de euros a um ex-primeiro ministro à medida que este foi necessitando, sem qualquer limite ou sequer registo (não havia registo, mas tu sabes) dos valores emprestados. É essa a explicação (não, isso é o que falta à acusação provar e depois arranjar uma lei que criminalize o empréstimo) .”

  12. Acho graça (não achando) a este blog. Quando alguém “passa” por cá e pensa diferente da generalidade dos “residentes” é logo insultado. Não é bonito isso! Eu gosto da pluralidade. O que seria do azul, se toda a gente gostasse do cor de rosa?

  13. Os verdadeiros anónimos e numbejonas são como inefável Tavares, bem se esforçam para que dêm por eles.

  14. Ignatz, por mim já não tenho dúvidas que os magistrados vão saborear bem fria a vingança por Sócrates lhes ter beliscado as regalias. Vai ser torturado e triturado até não sobrar nada do homem. Com provas ou sem provas, como está a acontecer. Basta alegar indícios, investigações e mais investigações, aqui ou em qualquer parte do mundo por onde Sócrates andou. As cartas rogatórias podem ajudar à prisão preventiva prolongada até ao absurdo. Haverá sempre mais uma empresa num qualquer país que corrompeu Sócrates. Potencialmente. Hipoteticamente. Tal como os 23 milhões e as propriedades do amigo serão de Sócrates. Vale tudo contra o homem. Pergunto para que servem, neste caso, a lei e os advogados, se antecipadamente o homem está julgado, sentenciado e a cumprir prisão efectiva? Mas a prisão não chega. Querem a afronta e a tortura de um processo viciado. Sócrates está a ser dado, mês após mês, como exemplo do pior que há no país. Os super magistrados não esperaram pelo julgamento, pelo apuramento da verdade. Por que motivo Carlos Santos Silva e Sócrates podem destruir provas e perturbar o inquérito e os arguidos do BES não?

  15. cada vez que descobrem novos indícios significa que na investigação dos anteriores fortes indícios esbarrarou com esqueletos mal enterrados das negociatas psd, exemplo recente do agora-é-que-é com o grupo lena, 3 semanas de investigação, bingo: saiu-lhes a leirisport na rifa. mas não há pânico e tudo sob controlo, se foram indeferidos todos os recursos, é por que o gajo é culpado e ao fim um ano de cadeia como é que iam justificar a merda que fizeram, tem de ser condenado a bem da existência do estado de direito e da corporação chamada justiça.

    http://www.ionline.pt/artigo/393027/os-182-dias-em-que-socrates-passou-de-ex-primeiro-ministro-ao-preso-44?seccao=Portugal_i

  16. Amigos, meus amados amigos, explicai-me, vós que sois todos pela imparcialidade e os proprietários da verdade, dizei-me: hum, como é que é prisão preventiva sem esta ser efetiva? lololol. Ele é fartar de risada! eheheheh.

    ui, ui, ui, e os advogados, para que servem? para que servem? porque será que estes existem? Então, não há nenhum que ponha o 44 outside e o deixe vivenciar esse seu desejo de ser como Mandela?

    Já agora, e o arresto preventivo aos bens do Salgado? que achais? hum? ó, ó, ó, quem foi que despachou, quem foi, quem foi? oqueie, bá, busquem o osso, busquem o osso, linques cunbosco!
    Já sabeis quem foi o bufo que bufou o 44? Há-de vir novo livro aí- «desconfiança no mundo», com prefácio de guterres – o exilado fan da Joulie, ou de Ms. MárriÓ Suarez.
    córdiaizes sódações.

  17. MANOJAS, pá, IGNORANTEZES, pá, atãoe, destes por mim e vieste marcar o ponto, pá. tás com escrita de mulher ressabiada, ai tás, tás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.