Álvaro ao ataque, queixando-se

Então foi assim:

O ministro Álvaro foi ao Parlamento para ser confrontado com a atribuição das verbas do QREN e, não tendo resposta para as acusações de diminuição de poderes e de falta de políticas económicas, passou ao ataque, um ataque algo bizarro, encheu o peito de instruções políticas, voltou-se para o Partido Socialista e acusou o seu líder de não ter mão na bancada. Em resumo, indireta e desajeitadamente, queixou-se, no fundo, como quem diz: “Ó Seguro, vê lá se controlas estes gajos, se não estou tramado!”

Ideia a reter: Seguro é amigo do Álvaro se souber impor-se aos deputados mais incómodos. Força, Seguro!

“Após uma discussão que oscilou entre a questão puramente política (quem manda nos fundos europeus? Santos Pereira ou o ministro das Finanças?), alimentada sobretudo pelo PS, e explicações técnicas sobre a aplicação dos fundos europeus, o ministro decidiu questionar a própria tutela dos socialistas. E fê-lo na intervenção de encerramento. Acusou o PS de criar “números políticos” e “cortinas de fumo” com a gestão dos fundos comunitários e perguntou, dirigindo-se a Seguro: “Será que o PS não deveria estar preocupado com um líder que não tem peso político para disciplinar a sua bancada?”

Fonte: Público

 

9 thoughts on “Álvaro ao ataque, queixando-se”

  1. Desta vez dou razão ao acossado. De facto o PS tem um líder sem peso politico. Porque se o tivesse o Álvaro e o seus chefes já se tinham fartado de suar as estopinhas.

  2. cheira a rabo entalado e a muuuuito dinheiro.

    “Ao que o PÚBLICO apurou, Assunção Esteves ameaçou por duas vezes abandonar as suas funções, sentindo-se desautorizada pela maioria que suporta o Governo. Isto porque a presidente já tinha anunciado que estava de acordo com o requerimento apresentado pelos partidos da esquerda, argumentando precisamente com o facto desta iniciativa ter carácter potestativo.

    Apesar das ameaças de Assunção Esteves, a primeira reacção dos partidos da direita foi de confronto. Um dos líderes parlamentares da direita terá mesmo afirmado que se o Parlamento aprovasse o requerimento da esquerda, a maioria parlamentar passaria a chumbar todos os agendamentos da oposição.”

    (Público on line de hoje, sobre os pedidos de inquérito ao BPN)

  3. tadinha da assunção, saloita, mal falava na faculdade de direito, mas ó pa ela, autoridade moral no direito feito pelos polhíticos desta trampa rectangular.

  4. As prestações do Sr. Ministro A.S.P. são cada vez mais confrangedoras. E esta, então, faz pena.

    O homem parece que ficou a fazer serão para decorar aquela mistela que os acessores lhe prepararam para ele regorgitar no debate.

    Então pergunta-se-lhe sobre o QREN e o tipo a perorar sobre o “peso político do líder do PS”???????

  5. Eduardo: Por isso, é um absurdo o ministro dar a entender que quer que lhe batam…

    Entretanto a última sondagem, da Eurosondagem, dá conta de tudo na mesma: PSD+CDS 48%. PS não vai além de 29,5%.

  6. Coitada da Assunção Esteves. Reformou-se aos 42 anos e agora, faces às diatribes dos seus compagnons de route, corre o risco de ter que pedir outra reforma aos 50 e tal anos! Assim já poderá juntar-se a Cavaco, Ferreira Leite, Catroga e outros que também gostam do sol da Coelha e que são “acumuladores”!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.