Alexandra Leitão rules

Em boa hora alguém no PS descobriu esta senhora para fazer parte do Governo. Combativa, preparada, totalmente desprovida de demagogia, clara e objetiva.

Vem isto a propósito de ter visto ontem um bom bocado do Prós e Contras sobre os contratos de associação, tema que, confesso, não sei por que razão ainda anda a ser debatido. Está tudo mais do que claro. Os colégios com contratos de associação que dizem ter enorme qualidade e que por isso advogam o encerramento da escola pública mais próxima deviam deixar de berrar (ou, se quiserem, deixar a sua zona de conforto estatal), porque, além de conhecerem a lei e o histórico destes contratos, se realmente são tão bons como dizem, não vão perder clientes. E ainda têm uns aninhos para fazerem a transição.

 Por mim, quero ser governada pela Alexandra Leitão. Parabéns.

9 thoughts on “Alexandra Leitão rules”

  1. Comento um assunto que nada tem a ver com o do post , sobre o qual me parece que já está tudo dito .

    Ontem encalhei por acaso num programinha da SIC, género “apanhados”, a propósito da reacção pública face a cenas de violência no namoro.

    Um dos apanhados foi a Catarina Martins, que esteve á altura da siatuação, mas cuja reacção, após saber que tinha sido “apanhada”, parecendo aceitar a “brincadeira” com a maior naturalidade, me deixou uma enorme perplexidade: para quem se empenha tanto e tão bem na defesa da ética, nada teve a dizer sobre o desplante de uma televisão decidir fazer um reality show com a boa-fé das pessoas ?! Como reagirão os largos milhares de espectadores que viram o programinha se amanhã se defrontarem com uma situação real daquelas ? Não irão passar ao lado por julgarem que se poderá tratar de mais um programa de apanhados ?

  2. MRocha, desculpa mas estou em franco desacordo contigo, acho que este programa é uma boa maneira de acordar consciências e em algumas situações deste género não lamentar apenas dizendo mal de todo o mundo mas com um gesto que pequeno que seja poder fazer a diferença.
    Este foi um programa que na minha modesta opinião devia se obrigatório debater nas escolas publicas/privadas.

  3. Ferra, concordo em absoluto com a importância do tema e com a necessidade de o enfrentar e debater. O que incomoda são alguns dos meios usados para esse nobre fim. Não te importavas de ser “apanhado” numa cena daquelas ? Ok! Eu não ia gostar. Até porque, defeito meu, em situações daquele género não tenho a presença de espírito da Catarina e a coisa poderia ter dado logo para o torto.

  4. de acordo mas se reparares quem não quer aparecer, precisamente por esse motivo, eles não mostram as caras.

  5. Subscrevo em absoluto. Espero que a secretária de Estado ande pelo twitter, para ver os elogios que lhe foram merecidamente endereçados, e também a ordinarice misógina a que os bloggers da “nova direita” nos habituaram, que é o derradeiro elogio às suas qualidades. Já venceu o lobby dos manuais, e agora ganhou também a opinião pública neste esmifranço de dinheiros públicos, é o tipo de pessoa que se quer no exercício de cargos públicos.

  6. Ferra, acho que só estás a ver uma parte do filme. Quando se brinca com coisas sérias as pessoas bem intencionadas ficam “escaldadas” e eventualmente deixam de reagir como o fariam em situações normais. Nos meus anos de juventude tive um amigo que tinha o hábito de assustar toda a gente com brincadeiras parvas. Valia tudo, até simulações de enforcamento. Um dia, andava ele a fazer pesca submarina junto ao Carvoeiro, quando se pôs a gritar por ajuda a menos de 100 m da praia. Todos o ouvimos. Eu incluído. E todos pensamos o mesmo: mais uma brincadeira parva do Fava. Mas não era. E quando resolvemos lá ir …já era tarde.

  7. Tem um grande mérito é séria nas declarações : não está em causa na analise ,a qualidade ou custos ,nas medidas do governo; certo , coerente com a idiologia,e inteligente em afastar o escrutinio, do dialogo.
    A “honestidade” inclui o esconder que se investiu na escola propriedade pública, muito depois da privada lá estar, ser desejada pelas famílias, não por qualidade ou preço ou falat de espaço, mas porque a dívida não é para pagar; e presumo que as comissões vão dando um jeitão., devidamente encapotadas na linguagem mentiros de escola publica nossa (deles claro).

  8. Plenamente de acordo. A Srª. Secretária de Estado demonstrou grande nível e profundo conhecimento do assunto. Não se deixou intimidar por insinuações a roçar o insulto e explanou os seus pontos de vista com total clareza e argumentos fortes e adequados. Uma agradável surpresa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.