Além do mais, um bocado burros

O “tangas” que é candidato pelo CDS ao Parlamento Europeu resolveu desafiar o líder do PS a esclarecer publicamente se o partido apoia um candidato socialista/social-democrata à Comissão Europeia – o alemão Martin Schulz – que é contra a mutualização da dívida pública, sendo o PS a favor. Convém lembrar a Nuno Melo que o candidato apoiado pelo CDS-PP e o PSD, partidos que se declaram contra essa mutualização, porque acham que os portugueses (os outros, que não eles) devem cumprir penitência pelos seus pecados – é Jean-Claude Juncker, um homem que, em 2012 se declarava um entusiasta das euro-obrigações e apenas recentemente (apoio da direita alemã a quanto obrigas?) mudou de opinião, embora não radicalmente. Declara-se agora “prudente”. Prudente, mas não contra.

Portanto, sendo este um tema fraturante na Europa e sujeito a evolução (evolução essa a que nenhum candidato se pode dizer imune, nem o da esquerda), o melhor era este fala-barato deixar-se de populismos e explicar aos eleitores portugueses por que razão é contra, se é que é essa a sua posição. Mas, se não é, devia dar-se conta de que vai apoiar um candidato que, neste momento, o é. Seria mesmo melhor falar de vinhos.

5 thoughts on “Além do mais, um bocado burros”

  1. Creio que estamos a desvalorizar demais esta gente. Sabemos que mentem descarada e impunemente e que as mentiras vão passar por verdades porque têm toda a comunicação social controlada (jornais, jornalistas, rádios, TV´s e alguns blogues) e isso chega-lhes tendo em consideração que conseguiram amedrontar a maioria da população. Vamos ver nas eleições se tenho ou não – infelizmente – razão.

  2. Infelizmente és capaz de ter razão, F Soares. A ditadura de Salazar foi substituida, ao fim de 40 anos, pela ditadura do poder financeiro. Este fez ajoelhar magistrados, jornalistas e polícias. Os bispos deram a benção do costume (sempre do lado do dinheiro) e o povo rendeu-se agora, como antes e rendera a Salazar. As eleições vão demonstrar isso mesmo. Só a verdade “deles” vai à campanha. Para facilitar as coisas, pela segunda vez, durante este novo regime, as televisões inventaram uma desculpa para não fazer a campanha eleitoral. Só me admira , se é para admirar, a anemia completa do PS. Nem um gesto que se veja, que grite, que se faça ouvir, que incendeie o palheiro. Parece que naquele partido ninguém entende que a indignaçãozinha, a essa, os gajos metem-na no caixote do lixo. E ficam-se a rir e a desafiar: venha outra! Desculpem, gente do PS, vocês são uns anjinhos queridos…

  3. maria abril,o único que ainda vai dizendo alguma coisa,por pouco relevante que seja é josé seguro.tem percorrido o pais para localmente passar a sua mensagem.ao que jeronimo diz a direita está-se borrifando ,para não dizer cagando! até lhes daõ share televisivo,para vomitarem a sua bilis,sobre o ps , o seu verdadadeiro adversario politico!

  4. Por muito que me custe, tenho de dar razão ao nuno cm. Enquanto o PC e a esquerda caviar não se concentrar nos ataques à direita, preferindo malhar no PS, isto dificilmente irá a lugar algum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.