9 thoughts on “Afinal o que é mais uma ilegalidade?”

  1. a justiça é uma palhaçada, a direita sabe disso e avacalha nos momentos oportunos, esta palermice é para chatear a decisão do tribunal constitucional. se o gajo não atende a campaínha, deixem-se de diolindices e arrombem a porta.

  2. Eu já não estranho minimamente que isto seja deste modo para os barões do PSD. São intocáveis e inimputáveis para a nossa justiça. O que estranho mesmo (ainda consigo estranhar) é a completa aceitação por toda a gente, desde a fina-flor das elites até ao português medianamente informado, deste apodrecimento grosseiro da ética e da moral por parte das instituições da república: PR, Governo, Justiça, Magistratura, Parlamento, Polícias, Académicos…Batemos no fundo. E eu a pensar que aina havia neste país alguém que defendesse a ‘etica republicana! Um Soares, um Sampaio. Nada.

  3. Depois daquela fantochada que foi a comissão de inquérito parlamentar ao caso bpn,no que sobressaiu um beto do cds armado em inquisidor na busca da culpabilização “do polícia”e no branqueamento dos trafulhas da chefia do agora buscado O.Costa que só não foi recebido com passadeira vermelha porque pairava noutras bandas,sucedeu o que muitos previam,o fujão deu à sola porque de parvo nada tem.Mas o que para mim é espantoso,pesem embora as dilações e os branqueamentos,é o facto desta bendita oposição que suportamos jamais ter posto em causa o óbvio ou seja,o financiamento do psd pela sln/bpn,face ao esbanjamento dos muitos biliões que aquele bando de gatunos usou para o que bem quiz.E sendo aquela agremiaçpão bancária parida pelo cavaquismo encabeçado pelo seu mais que tudo,lá diz o refrão,”quem parte e reparte ….”e eu não duvido que o tal partido não tenha recorrido a tão dadivoso pote!

  4. O ideal, ideal, era se o Oliveira batesse as botas….. Apanhava com as culpas todas, e resolvia-se o problema do BPN ( julgamento, que de despesa pagamos nós contribuintes).

    Honestamente, não acredito que não saibam onde está. Convém é não saber!

  5. esteve preso cerca 2 anos, um individuo que se apoderou de um cheque do patrao de um valor abaixo dos 5 mil contos . deixa-se em liberdade um homem que ajudou o pais a afundar-se.pobre justiça.os deputados, tambem não ficaram bem na fotografia apos a “risota” na comissaõ parlamentar.

  6. Não percebo tanta indignação. O povo português quer lá saber do O. e Costa ou do BPN. o que interessa, isso sim é julgar o Jesus esse grande malandro que já deveria estar preso e bem algemado não fosse fugir, porque este perigoso sujeito deu duas tapas num polícia: uma no braço e outra de raspão nas fuças. Isto faz-se? Tocar na autoridade. Então não viram aqueles rapelhos à pedrada à polícia durante largos minutos em frente à Assembleia da República? E que lhes aconteceu? Que eu saiba: nada. Eo apito dourado onde durante largos anos um grupo de mafiosos andaram a ludibriar os resultados desportivos? Que lhes aconteceu? Népias.
    este é o povoléu que temos e que nas próximas eleições irá votar no Passos e no Portas. Pois sendo assim porrada para cima deles, cortes nos ordenados e pensões. Fodam-nos at´~e mais não. Este povo não merece outra coisa. Só a chicote.

  7. Oliveira e Costa foi Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais no 1º Governo de maioria absoluta de Cavaco Silva (1987-1991).

    Respondia perante Miguel Cadilhe (Ministro das Finanças) e Cavaco Silva (Primeiro-Minstro). Em 1991 saiu, na sequência da demissão de Miguel Cadilhe por controvérsias de diversa ordem (uma das quais envolveu o uso indevido de carrinhas do Estado no transporte de mobílias do próprio).

    Mas não ficou no desemprego: Cavaco Silva enviou-o para representar Portugal no Banco Europeu de Investimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.