A relatividade

No Público de hoje: «O levantamento da imunidade parlamentar da deputada do PS Ana Paula Vitorino, para ser constituída arguida num processo por difamação interposto pelo ex-ministro Mário Lino, está a gerar controvérsia. Em causa estão as declarações de Vitorino no processo Face Oculta em que a ex-secretária de Estado dos Transportes reafirmou ao tribunal que o antigo ministro das Obras Públicas lhe disse que as empresas de Manuel Godinho, principal arguido no processo, eram “amigas do PS”. (…) A posição do não levantamento da imunidade tinha o apoio do BE e do PCP, apesar de a própria Ana Paula Vitorino ter dado a indicação de que a sua imunidade poderia ser retirada. Ontem, o PSD surpreendeu a sala e defendeu o levantamento da imunidade, o que levou o CDS a pedir um adiamento da votação.(…)»

Que pequenino e imberbe tudo isto me parece hoje! A história de Ana Paula Vitorino ter dito que ouviu Mário Lino dizer que as empresas de Manuel Godinho eram «amigas do PS», motivo que levou o ex-ministro a mover-lhe um processo por difamação, terá hoje alguma importância perante as autênticas negociatas, compadrios, contratações e pagamento de favores que este governo faz às escâncaras?

2 thoughts on “A relatividade”

  1. é assumpto para interlúdio do emerge & submerge, entretanto arde estrela e gerez e ninguém pede cabeça do ministro aux feux de bois, o paradigma gastronómico mudou e os portuguese depois de relvas já comem tudo. virtudes da austeridade, dizeria a velha.

  2. Mais uma “manobra” cozinhada pelo” inimputavel” miguel relvas!permitam-me ir ao canal memoria para vos recordar o que disse passos coelho sobre o pais,no clube dos pensadores em 6 de abril de 2011:é decisivo o crescimento de 3 a 3.5%,nos proximos dois a tres anos.alertando que sem isso, não há pacotes de austeridade que nos valham. comentarios para quê? é um artista portugues, e passa ferias na manta rota!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.