A equidistância, essa arisca virtude

Por uma vez, consegui assistir a um debate em que não nutria mais ou menos simpatia por um dos candidatos. Vejo sim com tristeza que a escolha para nosso próximo presidente se resuma a estas figuras: Cavaco e Soares. Ontem, não encontrei no primeiro qualquer qualidade que o recomende para o cargo; no segundo vi combatividade mas pouca ponderação e nula elegância.
No Pulo-do-Lobo bem que se esforçam por esconder a fraca imagem que o seu candidato deixou: defensivo, banal, sem chama. Mas há sempre formas originais de enfiar a cabeça na areia quando é preciso.
Dos Super-Mários, apenas o lúcido Vital Moreira destoa da euforia geral (embora escolha o Causa Nossa para a dissidência), relembrando um dos péssimos deslizes de Soares, a propósito do que se dizia de Cavaco por essa Europa fora. E tem razão em fazê-lo: a má educação pode parecer coisa pouca no reino da dura política, mas muitas vezes é nestes pequenos nadas que se ancoram os juízos definitivos.

13 thoughts on “A equidistância, essa arisca virtude”

  1. Tão moralista que hoje estamos. É o que faz a dor de cotovelo de o Baile que o Cavaco levou ter sido dado pelo candidato dos outros…

  2. Com efeito, é-se preso por ter cão, por não ter e até por se estar feliz por não o ter.
    Admiti que Soares ganhou o debate. sem problemas. Mas lá que o fez à conta de uma postura que roçou muitas vezes a grosseria, isso também me parece óbvio.

  3. Por mim, perdiam os dois.
    Os dois espremidos nem um valem…velhos a discutirem velha política é mau demais.
    Assim com políticos destes não vamos lá. ja agora o que dizem as sondagens cavaquistas da sic e expresso e renascensa?!

  4. Esclarecedor o dito debate. Os Portugueses devem agradecer a estes “sinhores” da politica portuguesa.
    fiquei completamente esclarecido. Por isso, vou votar Jerónimo de Sousa…ÓBVIAMENTE!

  5. Desta estás coberto de razão…
    Os ataques a acontecerem devem ser políticos… Foi o que o Francisco fez com o Cavaco… A deselegância, e a “pulhhice” mal educada não trazem um único voto… Agradam apenas aos que já se estão conquistados e não conquistam nem mais um… Mas o Mário não foi, como já discutimos anteriormente, o único a usar estes esquemas premeditados… Aí a esquerda também deveria marcar a diferença…

    Eu por mim já decidi, voto Jerónimo

  6. Mas que nem um voto no Francisco, no Manuel ou no Soares fique em casa…

    Mas, infelizmente estamos a marcar muitos golos na nossa própria baliza…
    E isso não é nada bom…

    Enquanto nos atacamos uns aos outros, o Professor Cavaco ri-se…cala-se e espera que as eleiçoes cheguem rápido…

    Sabes Luís, apesar das divergências teria sido preferível, não conduzir esta campanha desta forma… os ataques deveriam ter sido “concertados” com a única preocupação de forçar uma segunda volta e não com a preocupação de conseguir esta ou aquela ordenação dos candidatos da esquerda…

    Olhamos muito apenas para o nosso umbigo…

  7. Luís
    é a 1ª vez que cá venho, mas não resisto a dizer que,
    apesar da deselegância, prefiro sempre uma boa guerra que uma “conversa” cinzenta, sem chama, defensiva e evasiva. a vida é feita de discussões assim, em que nem sempre somos delicados, mas nos entregamos mais.
    e não sou apoiante de Soares, mas não me importava nada de ter aquela garra aos 80 anos:)

    saudações.

  8. deixem lá a cara de bolacha… concentremo-nos no essecial… e só o podemos fazer sem merdas do tipo, você sabe que eu sei que você sabe que eu si o que eles diziam de si… é pouco, muito pouco e amargamente ridiculo… o que não quer dizer que não tenha que se ser aguerrido, mas não dessa forma… A esquerda tem que ser capaz de melhor…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.