Veja as diferenças

Compare-se o modo como o Wall Street Journal e o pasquim Público relatam hoje a Parada da Vitória realizada em Moscovo.

O primeiro, pertencente ao império do magnata Rupert Murdoch, é o jornal de maior circulação nos EUA e o órgão emblemático do capitalismo e do imperialismo americanos.

O segundo é um jornaleco de mercearia que se lê em algumas vielas de Lisboa e onde ganham o pão meia dúzia de pseudo-jornalistas ignorantes e lambe-botas, formados na madraça ideológica do imã Zé Manel Fernandes.

A notícia do WSJ é agarrada aos factos, que avalia à sua muito subtil maneira, certamente, mas sem pretender dar-nos lições de história nem impingir-nos pastilhas de guerra fria. Isso fica para os comentadores online, que ninguém lê, a não ser os próprios.

Na “notícia” do Público, da Clara Barata, não se topa um miligrama de jornalismo. Seria certamente chumbada na redacção da Fox News, para não ir mais longe. A fulaninha, que nem o português da escola primária aprendeu ainda, sustenta a dado passo, desafiando a opinião de Churchill, que a vitória sobre o nazismo não assentou principalmente no sacrifício do povo russo. Isso, na opinião dela, não passaria de um “mito estalinista”.

A ignorância é sempre muito atrevida, mas o que mais choca na comparação da notícia do Público com a do WSJ, além da total falta de profissionalismo do jornaleco português, é a subserviência parola, bacoca e mais papista que o papa destes tristes aprendizes nacionais de americanofilia.

13 thoughts on “Veja as diferenças”

  1. Capitalismo e imperialismo americano, americanofilia, etc, e tal. Bolas, e eu pensava que os EUA eram um país decente, de tal modo decente e confiável que foi àquele que os portugueses, lutadores, cientes dos direitos humanos, recorreram um dia quando a Indonésia disparou sobre os timorenses no cemitério. Claro está que os portugueses, logo correram a pôr as suas cobertas brancas nas varandas e a vestir as camisolinhas da purificação em jeito de solidariedade para com os explorados e abandonados dos timorenses.

  2. Pois são jornalistas com este gabarito que vão fazer a cobertura das campanhas eleitorais que se avizinham. Nas redacções dos pasquins e das televisões abundam os mastins para morder as canelas dos que se opuserem à omnipotente direita. Não denunciar que os dados estão viciados à partida para os próximos actos eleitorais poderá ser fatal aos que pretendem substituir a governação do país e que fez ocupar pelos “seus” todos os altos cargos da Administração da República. Todos! Foi radical. Parece-me de uma ingenuidade confrangedora o PS aceitar este “status quo”. Como fico espantada ao ver que ninguém denuncia a ignóbil instrumentalização da justiça ao serviço da coligação, no caso da “Operação Marquês”, tendo em vista os próximos actos eleitorais. quando já se sabe que o procurador pediu que fosse retida a informação pedida ao banco suíço que detém as contas de C Santos Silva, a fim de atrasar todo o processo para ocasião “oportuna”. E será muito oportuno manter o ex-PM Sócrates preso durante o próximo acto eleitoral. Vai ser um festival de notícias sobre a corrupção no PS ao mais alto nível, mesmo em cima das eleições. Segundo a defesa de Sócrates, os magistrados viciaram livre a acintosamente os actos processuais, como aquele atrás referido e mais aquela história do pedido de Sócrates para ser ouvido, e que se perdeu até ser declarado preso preventivo, com a alegação de “perigo de fuga”. A serem verdadeiros, como alega a defesa, estes actos são um atropelo grosseiro à justiça. Os portugueses, e o maior partido da oposição, aceitam isto com naturalidade.

  3. eu vinha dizer que não sou assinante e não consigo ler. mas vou tentar a alternativa. para já, posso adiantar dizer tratar-se de grandes filhos de putin.:-)

  4. Chocante e revoltante. Carlos Santos Silva anda a ler Kafka. Talvez para ficar a saber o que o espera. Sócrates terá ainda pior sorte. Mas estas coisas nós aguentamos bem. Enquanto forem Carlos Santos Silva e Sócrates.

  5. Lucas Galuxo

    Repara no link que aí colocaste. O título original do texto do Rocha era: “Putin agradece aos aliados contribuição para a vitória de 1945”.

    Agora, depois da censura salazarista, o título é: “Putin exibe poder russo e apela ao ‘património comum’ dos aliados de 1945”.

    A mãozinha de quem?

  6. O dia da Vitória continua a incomodar os “vencedores”…. – Maldito Estaline, mesmo depois de morto ainda tira o sono a tantos, que dir-se-ia vivo!

  7. “pseudo-jornalistas ignorantes e lambe-botas, formados na madraça ideológica do imã Zé Manel Fernandes.”

    Esta frase é racista e constitui discurso de ódio. Usa uma crença religiosa e o facto do ZMF ser moreno para o mais baixo nível de discurso.

    Não posso com o Zé Manel Fernandes. Mas tanto quanto sei não é muçulmano, e mesmo que fosse não caracteriza ninguém sem ser a si próprio. Vocês estão doentes da cabeça.

  8. É UM NOJO quando um advogado que critica a informação dos media, recorre aos mesmos para passar a sua informação, a qual só ilustra a INCAPACIDADE de gerir um processo desta ordem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.