Treme, corrupção, que vem aí o Calvão!

João Calvão da Silva, que o chefe do actual governo provisório, Passos Coelho, quer colocar no Ministério da Administração Interna, foi um dos juristas de Coimbra a quem o banqueiro Ricardo Salgado pediu em 2014 um parecer atestando a sua idoneidade, de modo a poder continuar à frente do BES, antes da queda do banco. Nesse parecer elaborado para o Banco de Portugal, Calvão da Silva considerou que a prenda de 14.000.000€ que o banqueiro recebeu do empreiteiro José Guilherme se enquadrava no “bom princípio geral de uma sociedade que quer ser uma comunidade – comum unidade –, com espírito de entreajuda e solidariedade”.

 

26 thoughts on “Treme, corrupção, que vem aí o Calvão!”

  1. Um fartote diário! Agora estão todos convencidos que vão votar um programa na AR!? De que nem precisavam ainda há pouco tempo… Vai daí, agora é um diferente todos os dias a tentar piscar o olho ao PS. Também ainda ninguém lhes disse que o que vai a votos na AR não é nenhum programa de governo mas as moções de rejeição da nova maioria parlamentar?

  2. Creio que o célebre e saudoso cronista Manuel António Pina escreveu dois textos sobre pareceres jurídicos, só consigo encontrar um texto na Net, cá vai

    Manuel António Pina
    Jornal de Notícias de 14 de Dezembro de 2006

    “Se o leitor um dia for a tribunal, disporá, para defender os seus interesses, das suas provas, documentais e testemunhais, e dos argumentos do seu advogado, a quem pagará para argumentar (ou tão-só esbracejar) a seu favor.
    Os argumentos do seu advogado são, pois, interessados e parciais, e ninguém o culpará se ele puxar a brasa à sua (de si, leitor, e dos seus, dele, honorários) sardinha e desdenhar das razões, justas que sejam, que não o favoreçam.
    Já se o leitor tiver dinheiro bastante, pode ir mais longe pode comprar a imparcialidade e a independência de um “jurista ilustre” (sim, a imparcialidade e a independência também estão à venda) com títulos que lhe permitam falar “ex cathedra” e de voz suficientemente grossa para impressionar o juiz, supostamente timorato, e influenciá-lo a seu favor em alguma “questão técnica”.
    É o chamado “parecer jurídico”, expressão máxima, em Direito, do princípio medieval da autoridade.
    O “parecer jurídico” é, na verdade, um testemunho pago, não sobre matéria de facto mas sobre matéria de Direito, e, independentemente do mérito técnico que tenha, está ferido, por ser pago e ser “ad hoc”, de um fundamental demérito moral. Só que estamos a falar de “Justiça” (assim mesmo, com maiúscula) e não de moral, não é?”

  3. “O “parecer jurídico” é, na verdade, um testemunho pago, não sobre matéria de facto mas sobre matéria de Direito…”

    o que o pina queria dizer ao escrever isto é que há corrupção na justiça e que os pareceres são uma forma encapotada de pagar favores judiciais ou de os convencer a mudar de ideia sobre determinado assumpto. se investigarem as ligações e amizades do jurista que emite o parecer e para onde vai parte do dinheiro que recebe entenderão como funciona a industria dos pareceres. o pina não explicou tudo porque no dia seguinte tinha um processo e o pimpas só percebeu que o z3 lhe queria sacar mais algum por conta do prédio ilegal que herdou.

    pim-pam-pum,
    cada bala mata um,
    em cima do piano,
    está um copo com veneno,
    quem bebeu morreu.

  4. “a prenda de 14.000.000€ que o banqueiro recebeu do empreiteiro José Guilherme se enquadrava no “bom princípio geral de uma sociedade que quer ser uma comunidade – comum unidade –, com espírito de entreajuda e solidariedade””

    Faz-me lembrar os ex-primeiros ministros que dispõem do dinheiro (milhões) de ex-empreiteiros: provas de amizade, com espírito de entreajuda e solidariedade.

  5. “Faz-me lembrar os ex-primeiros ministros que dispõem do dinheiro (milhões) de ex-empreiteiros: provas de amizade, com espírito de entreajuda e solidariedade.”

    tens razão, é um cheiro a cavacal que não se pode.

  6. pois é, se o dinheiro falasse este pais era um enorme pantanal,com a direita a liderar numero de afogados!que interesses defende a direita? onde votam os patroes ? porque não sabem qual é o seu lugar, votam no mesmo saco, patroes, empregados, e pobres .este é o problema dos paises ainda com anos de atraso cultural! não me chateio com as votaçoes na direita de gente com interesses a defender. o cds e o psd estão no mercado para isso.o que me chateia,é ver a pobreza nomeadamente no interior alinhar com essa gente,por amizade, dependência e medo!

  7. val, desculpa a deriva. sou do sporting,mas não entro em euforias à bruno de carvalho.o benfica este ano desinvestiu.o seu plantel,é pior do que no ano anterior,ao contrario do sporting ,que gastou milhoes,em jogadores e treinador,quando tinha um, que no ano passado não perdeu com o benfica,jogando com muita prata da casa que ele lançou.

  8. Portanto, já todos perceberam porque é que os pareceres jurídicos do IGNORANTEZES bicheza são pareXeres BURRidicus. É mais à proletário…

  9. Apesar da bizarria de algumas entradas, esperar o quê de um executivo nado morto? Que nem nunca devia ser empossado. E mais uma vez é a Democracia Parlamentar, que ainda não foi apreendida por todos, que o diz. Até algumas saídas e nomeadamente alguns abandonos permitem mais conclusões. E tornassem públicos os convites todos e ainda ficávamos mais esclarecidos. Mais um não assunto portanto. Como muitos, depois das eleições.

    Ainda no último Prós e Contras voltei a ouvir uma série de falsidades. Como o PSD, como o partido mais votado à cabeça?! E como na campanha eleitoral, não surge ninguém a repor a verdade. Ou a forma como insistem numa coligação há muito extinta. Tudo porque dá jeito! Eu sempre ouvi dizer que em Democracia por um voto se ganha e por um voto se perde. E nunca por um deputado se ganha ou por um deputado se perde. E a verdade é que o PS foi o partido mais votado. As coligações pré eleitorais não passam de um expediente para majorar o número de votos e nomeadamente o número de deputados. As coligações só fazem sentido no Parlamento depois das eleições. Nos acordos democráticos que se estabelecem na AR depois das eleições e nunca antes ou até fora da AR! Acabado o Governo ou a Legislatura terminam todos os acordos até haver um novo Parlamento.

    Neste caso e como até já referi aqui, para aferir o cimento da coligação, telefonasse Costa a Passos a propor uma nova coligação PS/PSD sem CDS e aonde é que já iam os “centristas” ou a tão famosa coligação. Vale tudo quando cheira a poder. Aquela que respeita os acordos europeus todos e que nos desgovernou nos últimos anos. Depois de chumbar aquele que podia ter sido o acordo europeu – da crise – mais importante para Portugal. Com grande agrado do PR, diga-se de passagem. O chumbo do acordo e a saída de Portas, já agora. PR que nunca chama nenhum líder de nenhuma coligação – já extinta – mas o líder do partido com mais deputados. Que também devia ser claramente António Costa. Porque só o expediente coligação permitiu ao PSD com menos votos ganhar mais 3 deputados. E, ao contrário do que diz o PR, os votos dos portugueses deviam valer todos o mesmo. Infelizmente não valem mas já vou lá.

    Quando a falarmos de alguma regra no sul da Europa, o partido vencedor até tem como prémio um certo número de deputados! Itália e Grécia, por exemplo. Na Espanha do Rajoy – que deve andar a ver as coligações mais ou menos como golden shares – o Coelho também nunca era empossado. Ou pelo menos antes de obter um acordo maioritário. E à medida que caminhamos para norte na Europa, muito pior para o coelho. Como todos sabemos muito bem.

    A ideia fundamental que queria passar com mais um bocado de tempo era o custo e/ou o preço de cada deputado para cada partido. Como todos sabemos, muito mais caros para os pequenos partidos. E nomeadamente no interior do país. E num tempo, cada vez mais marcado pela abstenção – infelizmente para a nossa Democracia – também se deitam cada vez mais votos fora. Literalmente! E já quiseram ir mais longe. Afinal os votos são todos iguais ou não em Portugal? Claramente não! Mas não faltarão oportunidades para discutir a lei eleitoral.

    Grande apoiante de uma regionalização que nunca se fez em Portugal. Com muito mais redistribuição de poderes. Até porque a realidade é dinâmica e o ordenamento do território raramente ajuda. E nunca da última “reforma administrativa”, que não passou de cortes cegos. Tal era a competência. Já na AR e ainda mais num país como Portugal, defende-se sempre a unidade do território – o país ou a nação! E é fundamentalmente pela unidade nacional na AR que os votos para o Parlamento devem valer todos os mesmo. Logo o partido com mais votos nas legislativas deve eleger sempre mais deputados para o Parlamento Nacional. E já tínhamos Governo há muito tempo.

  10. Está tudo ansioso, até Cavaco e Passos, para ver o comportamento do trio maravilha Costa, Catarina e Comunistas, CCC, em acção.

  11. tá é tudo farto de aturar o cavaco e ser esmifrado por este governo de imbecis. a dúvida que se põe é que é o primeiro a ir à vida, por mim iam os dois ao mesmo tempo, empoççados e o empoççador.

  12. Vai ser histórico, o momento das votações no parlamento, impostas ao Costa.

    Quantos queijos limianos teremos que saborear?

    Sorte que Costa não fica corado, não tem vergonha.

    Nunca cora.

  13. Ora aí está matéria indispensável para o Correio da Manhã não se demitir “da sua obrigação de escrutínio dos atores políticos” e assim continuar a ser “digno do nome e da nobre história da profissão.”

  14. Está tudo muito ansioso e com Cavaco à cabeça, é pelo programa do acordo à esquerda. Mas enquanto esperamos – só para distrair – podemos sempre dar uma vista de olhos pelo programa do acordo à direita em 2011. Não houve nada para ninguém? Ups. E depois de 4 anos a desgovernar só no último dia de prazo. Ao menos falavam verdade quando diziam que nem precisavam de programa. Bastava a bancarrota socialista. Que agora até dava um jeitão. Bem, parece que no último dia do prazo passa a ansiedade a todos.

  15. Entre os feriados repostos será proposto também o dia do “orgulho Gay”?
    Lata para tal não falta.
    E o Costa sem corar nem pestanejar.

  16. nice, nice meu, é para o portilholas exibir as lantejolas no principe real. o costa não é pai dele, o pai dele bazou há anos para o porto para não ter de o aturar mais à mãezinha.

  17. Os patrões não querem os 600 € de salário mínimo que a CGTP do Jerónimo exige.

    Gulosos! os patrões, claro!

  18. Em Bruxelas o BE e os PCP fazem cada cena! vejam que querem dinheiro para sairmos da Europa.

    Se sairmos da Europa, somos a tal jangada de Saramago, ora porra! sem a Espanha?

    Ou os dois ou nada.

  19. O «bonito, bonito» tem sentido de humor … Dá umas boas «alfinetadas».

    De facto, deve ser frustrante, Touni gostaria de personificar a cor do partido….

  20. Hj

    ignatz
    28 DE OUTUBRO DE 2015 ÀS 6:32
    “O “parecer jurídico” é, na verdade, um testemunho pago, não sobre matéria de facto mas sobre matéria de Direito…”

    o que o pina queria dizer ao escrever isto é que há corrupção na justiça e que os pareceres são uma forma encapotada de pagar favores judiciais ou de os convencer a mudar de ideia sobre determinado assumpto. se investigarem as ligações e amizades do jurista que emite o parecer e para onde vai parte do dinheiro que recebe entenderão como funciona a industria dos pareceres. o pina não explicou tudo porque no dia seguinte tinha um processo e o pimpas só percebeu que o z3 lhe queria sacar mais algum por conta do prédio ilegal que herdou

    pim-pam-pum,
    cada bala mata um,
    em cima do piano,
    está um copo com veneno,
    quem bebeu morreu

    FIM DE CITAÇÃO

    Fogo, é BURRO COMO UMA PORTA .

    Pareceres para pagar corrupção na Justiça ???

    Se investigarem as ligações té té té, pá tí tó compreenderão como funcionam a indústria dos pareceres ???
    Ó PARVALHÃO, o parecer é emitido por um jurisconsulto e é pago, o dinheiro obviamente vai para ele .
    Qual é a dúvida ?
    A menos que BROCHELÊNCIA saiba mais que eu .
    Por exemplo, ANTÓNIO VITORINO E OS 23 MILHÕES QUE SACOU COM PARECERES SOBRE O TGV .
    Haverá aí razões de amizade e favorecimento por parte de Sócrates?
    Comissões ?

    Eu herdei um prédio ilegal ???
    Ó FILHO DA PUTA, alguém pode herdar ilegalmente um prédio ???

    O CABRÃO não sabe a diferença entre uma herança indivisa e um prédio ilegal !!!
    E não entende que para dar a uma herdeira a parte a que tem direito, é preciso pôr o prédio em propriedade horizontal .

    Mas este ANORMAL não enxerga a figura de PARVO que faz ?

    E para rematar, o PALHAÇO arma-se em BOCAGE, claro, em modo MERDAGE .

  21. ehehehheheh. LOL.

    IGNATZODOKU, cada porrada. AGRADECE ao PIMPAUMPUM, pá. Ele acabou de te partir algum cálcio nessa testa, caramba, a cabeçorra já não te deve pesar tanto, pá…

    Caramba, até a póia natural consegue ser bela ao pé de ti, ó IGNARALHO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.