Responsabilidades por um canudo

A Joana Marques Vidal, que se gaba de ter um canudo em “Jornalismo Judiciário” pela Lusófona, não impediu o enésimo crime público de violação do segredo de justiça. Desta feita foi a recolha de imagens no aeroporto, pelos media avisados do costume, da detenção de José Sócrates e a imediata divulgação a esmo de supostos detalhes do processo, à mistura com boatos e afirmações difamatórias (veja-se o que a Infelícia do costume insinua no pasquim Sol).

A Joana, que não quis ou não soube impedir tal crime, diz agora que vai abrir um inquérito, o enésimo, para apurar responsabilidades. Todos sabemos perfeitamente, mesmo sem uma pós-graduação pela Lusófona, como vai acabar tal inquérito. A Joana também o sabe. É só mais uma declaração hipócrita, um ritual repetitivo de fuga às responsabilidades próprias.

10 thoughts on “Responsabilidades por um canudo”

  1. Ó Lismerda!

    Saiste-me um bom fã dos pópós!

    Porque é que não vais aliviar o vómito para o teu curral?

  2. Quando o presidente do B. Munique foi detido aconteceu o mesmo na Alemanha. Recentemente na Espanha, França, Israel, idem.
    Tendo em conta as suspeitas que estão em causa, o problema maior é a imprensa? A imprensa é livre e está a fazer o seu trabalho.

  3. Qualquer processo sério tem que ser sério desde o início e este cheira à mesma merda que o Burro de Carvalho no Sporting. Cheira a Relvas e ao Marco.

  4. o advogado há um mes que tinha procuração e foi a Paris nessa sexta-feira?? …e agora, nao o preocupa o segredo quando é para ajudar o menino de oiro? …(re)trate-se!

  5. Pedro Sousa, explique capazmente o que insinua e indique as fontes em que se baseia. Parece que pretende obscuramente legitimar o crime público de violação do segredo de justiça cometido por informadores clandestinos do DCIAP, da PGR ou da PJ.

    O “menino de oiro” é alguma citação do Fidel Castro?

  6. Júlio, como é que sabe que o segredo foi violado por “informadores clandestinos do DCIAP, da PGR ou da PJ”? Porque não desconfia dos próprios arguidos ou dos seus defensores?

  7. “… como é que sabe que o segredo foi violado por “informadores clandestinos do DCIAP, da PGR ou da PJ”? Porque não desconfia dos próprios arguidos ou dos seus defensores?”

    porque, quer arguidos ou seus defensores, ainda não tiveram acesso ao processo. percebeste ou queres um boneco colorido com cornos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.