Política de terra queimada

Há muito se percebeu que a direita demagógica e incendiária se prepara para jogar forte, se não tudo, na questão dos incêndios. Basta ler o Expresso de hoje, onde se declara solenemente que o “futuro do governo” (eleições de 2019) depende do “êxito ou fracasso na luta contra os fogos”.

Segundo esta visão irresponsável do problema dos incêndios, é tudo uma questão da eficácia da “luta” que este governo lhe der. Em vez da anterior visão dos fogos florestais como desastre de raiz ordenamental, climatérica e demográfica, tenta agora impor-se a tese imbecil de que, se em 2018 houver fogos, a culpa será deste governo. A direita desesperada encara a coisa como um maná político, pois parece que não tem mais nada por onde pegar.

Para já, vai preparando o terreno: todas as medidas que o governo toma são estimadas como insuficientes, atrasadas ou inadequadas (veja-se o Expresso de hoje). Depois dirá que tinha avisado. Assim, bastará haver fogos este ano para se “provar” que tinha razão.

Se, porém, houver poucos fogos em 2018, a marosca irá pelo cano abaixo. Resta à direita rezar para que haja mais incêndios ou, quiçá, dar uma ajudinha. Bora atear incêndios para deitar o governo abaixo?

15 thoughts on “Política de terra queimada”

  1. Isto já aconteceu em Outubro só que não deu o resultado esperado, apesar do esforço hercúleo que fez que os apoiantes desta manobra não terem dormido durante todo um fim de semana. Só que o presidente beijocas ainda não estava preparado para aproveitar a induzida catástrofe.
    Este Verão, basta que alguém chamusque um dedo e o presidente beijocas lá terá que dissolver a Assembleia… O Nero era um brincalhão ao pé deles.

  2. E se,teoricamente,queimássemos a direita de vez?
    O “fogo” tem de ser a cultura. Invista-se na educação a sério,logo verão o tombo que os paspalhos levam…

  3. É impressão minha ou há alguma impunidade em Portugal na questão do fogo posto?
    Convinha que o Correio da Manhã, se puder, atire umas achas para a fogueira, para ver se os incendiários são, finalmente, alvo da Justiça portuguesa.

  4. “Em vez da anterior visão dos fogos florestais como desastre de raiz ordenamental, climatérica e demográfica, tenta agora impor-se a tese imbecil de que, se em 2018 houver fogos, a culpa será deste governo”

    … com o contribuição destastada, apesar de involuntaria (acredito), da tua colega de blogue Penélope num post de ha dois ou três dias…

    Boas

  5. se voltar a haver carradas de mortos , a culpa será do governo por não ter plano de evacuação seguros da população nem ter treinado a gnr e o exército para isso. ai é , é. fogos irá haver sempre portanto o governo , não os podendo evitar , tem de ter mecanismos prontinhos para salvar a populaça.

  6. em 2018 e 19 não haverá incêndios.

    os incêndios mortais de 1917 será a imagem de marca da geringonça para sempre.

    como seria para o governo que lá estivesse.

    Lembram-se da geringonça? o que foi a geringonça? “um governo que assistiu a incêndios mortais, de braços cruzados.

    não haverá incêndios, porque os eucaliptos e os pinheiros demoram mais de 2 anos a se fazerem.

    e o mato por si, não mata ninguém

  7. Júlio, ainda não percebi o frenesim com o que escreve a Ângela Silva.
    E, como já disse algures, dizer-se que esta é a palavra jurada do actual PR, é um passo que eu não dou.

    Nota. Aliás, essa confusão é-te confortável (a ti e junte-se mais uma arroba: Penélope por aqui, Estrela Serrano, Eduardo Barroso, uma moça do Livre, imagine-se!, que escrevinha mal no Geringonça, e chega?) mas espero, sinceramente, que não chegue aos ouvidos de quem interessa no PS de António Costa.

  8. «“Não se tente encontrar divisões, angústias, hesitações, naquilo que é uma causa nacional. Não vamos agora encontrar divisões que não existem numa causa que todos somados somos poucos. Divididos não somos suficientes”, respondeu, quando questionado se mantém as dúvidas sobre se o Governo tudo está a fazer para enfrentar o próximo Verão», isto é suficientemente claro.

    No P. online, entretanto.

  9. ò Sexagenário ! então não acontecem em Portugal desgraças muito maiores que os incêndios? E nessas desgraças o governo,(governo escreves tu,confundes com Estado?) também manterá os braços cruzados? Que linda imagem esta,a dos braços cruzados…faz lembrar os pastorinhos!
    A obtusidade córnea e a má fé cínica presumem que a imagem das chamas,do fumo e das ruínas é a melhor propiciadora do pânico,do choque e do horror! Enganas-te sexagenário,horroroso é pensar que mesmo sem essa tragédia, o governo dos teus donos conseguiu resultados muitíssimo piores que os da Geringonça,ainda que com os malditos fogos,que não aconteceriam por acaso…
    E tu ainda suspiras por aqueles tempos,por aquela gente ? Que tragédia….

  10. Ó chevrolatas, eu vi o que vi e que todos viram, o Costa e seus aliados tentaram passar por entre os pingos sem se molharem, outros que se molhassem.

    Se fosse outro governo tentaria disfarçar como fez a geringonça.

    Se tu tens dono, larga a trela.

    Ou já não passas sem ela?

  11. Vocês viram o ódio estampado no Expresso, na página dedicada ao Sócrates ? o uso da linguagem e pontuação como ferramenta para atacar a personalidade. desculpem lá o comentário nao estar relacionado com o conteúdo da crónica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.