O homem a abater

José Sócrates é o homem a abater pela direita e pela extrema-esquerda portuguesas desde que se candidatou às legislativas de 2005, isto é, ainda antes de conquistar a primeira maioria absoluta de um partido da esquerda, vitória que só agravou a sanha. De 2005 a 2008 já as ratazanas todas se atiravam ao homem, na tentativa de o emporcalhar ou, até – ainda não havia crise – de o apontar como a mais séria ameaça à liberdade em Portugal (sic).

Seguiu-se, a partir de 2009, a maior campanha político-mediática de ataque ad hominem de que há memória no país. Está ainda na memória de todos. Sócrates foi por fim afastado do poder em 2011 pela coligação negativa da direita e da extrema-esquerda, mas a sanha persecutória não diminuiu um milímetro. Tinha-se investido muito na campanha de ódio, mentiras e insinuações e os resultados pareciam encorajadores. A direita voltara ao poder, graças a Deus! Havia que continuar a explorar o filão até ao osso – até porque não havia mais nada para dizer ao país. O espantalho Sócrates, laboriosamente fabricado, tinha que ser agitado sem cessar, para a direita se aguentar até às próximas eleições e poder ganhá-las outra vez – e para a extrema-esquerda continuar a alimentar o sonho necrófilo de se apoderar dos despojos do Partido Socialista.

Mais recentemente, Sócrates apareceu na RTP a comentar a política portuguesa – e a ter que se defender permanentemente dos remoques dos entrevistadores de serviço, pois não se chama Rebelo de Sousa nem Marques Mendes. Como já não existe polícia política (só há polícias políticos) nem a abençoada Direcção dos Serviços de Censura, fizeram-se petições públicas para tapar a boca ao homem. Muitos milhares de censores frustrados subscreveram-nas, mas sem resultado. Era preciso mudar de táctica. O ideal era mesmo meter Sócrates na prisão. Colunistas histéricos e histéricas começaram a falar de um Sócrates “delinquente” que era vital engaiolar. Meses depois, uma revista malcheirosa publicou uma reportagem falsa, ilustrada com um retrato de Sócrates de página inteira, atravessado por uma inscrição em letras garrafais: APANHADO. Foi um orgasmo precoce dos neo-fascistas, que tomaram os seus desejos por realidades. Teve que vir a público a PGR – de onde só pode ter partido a fuga de desinformação – para desmentir formalmente as tretas. Entretanto continuavam activamente, pela calada, os preparativos para o ataque final, que se deu ontem. As tretas são parecidas, só que agora há que prová-las, o que é uma grande chatice. Mas mesmo que nada se prove, as repercussões mediáticas disto tudo vão render até ao abrir das urnas em 2015.

Nem Ricardo Salgado foi tratado pela organização judicial como Sócrates está a ser. A detenção no aeroporto para ser interrogado no dia seguinte, com estadia obrigatória na prisão, obedeceu a uma intenção clara de achincalhamento e aviltação do ex-dirigente socialista, a que não faltou a reportagem vídeo agendada com os ratos do costume. Como é óbvio, a notícia tinha que ser “Sócrates detido” e não “Sócrates interrogado”. Porque interrogados há muitos, mas um detido já é meio culpado.

19 thoughts on “O homem a abater”

  1. O trafulha é o Bettino Craxi português, e devia ter fugido para a Tunísia, em vez de andar a passear por Paris e por Beverly Hills. Só falta saber se o destino do PS vai ser o mesmo do PS italiano, ou se a escumalha socrática vai assumir a sua natureza neoliberal e proximidade ideológica com a direita para finalmente se fundir com o PSD.

  2. Ó miserável “apanhado”, não estás contente com o que fizeste quando não hesitaste em juntar-te à “direita” mais desgraçada que alguma vez Portugal teve pela frente, para com ela chafurdar no “pote” em que se transformou este triste país. Vê se consegues imaginar quantas voltas teria dado no caixão se não tivesse sido cremado, o respeitável Cunhal! Vai à merda , meu desgraçado !!!

  3. Ò idiota, eu já estou na merda, pois estou aqui, à tua beira, no meio da escumalha socrática.
    Se ainda não reparaste, hoje explodiu uma bomba que te pôs a cabeça a andar à roda, e é natural que ainda esteja um bocado confuso e só digas asneiras. Quando recuperares por completo a consciência (o que não é algo certo), vais perceber que, durante os últimos dez anos, foste uma das tais vítimas da lavagem cerebral do grande trafulha. Por enquanto, o melhor é ires descansar, ou ainda tens um AVC.

  4. Como queres que o PS vá fundir-se com o psd se o lugar de parceiro de fusão já foi “apanhado” e está ocupado, especialmente, pelo pcp.
    Não pode, claro, nem o psd tem parceria melhor como prova o “apanhado” que debita faladura mas dispensa o pensamento.
    Isto é, está mesmo apanhado.

  5. O Saraiva – qual Tarzan a bater com as mãos no peito – a reclamar-se único detentor de toda a investigação. Está tudo explicado, foi a Cabrita que levou à detenção. Só falta a Manela.

  6. A que horas são as visitas a Socrates ????

    Nada melhor que na cadeia para lhe entregar uma condecoração por ter falido o país!

    Cumprimentos

  7. No aeroporto, se calhar ainda foi confundido com alguém que vinha comprar um Gold e uma casa.

    Há uns anos quando um rapaz andava a remexer no lixo privado dos outros chamaram-lhe jornalismo. Aonde é que achavam que isto ia parar?

  8. Ó Luis Carlos o único pensamento que tens para partilhar é uma piada foleira que circula nas redes sociais? A tua bancarrota é claramente intelectual.

  9. O homem legisla para ele, abre centros de justiça para ele… Há é muita gente que já não consegue viver sem ele e assim não se fala de mais nada. O homem até maricas já foi…

  10. Que não matem o Sócrates numa imaginária tentativa de fuga, e ainda muito nos vamos rir destes tristes legionários, gordos,feios e burros,muito burros.

  11. É bom enterrar o PS, e Sócrates ,não vão os plebeus entender os seus direitos, estudar, formar-se e querer viver acima das suas possibilidades (entenda-se ter uma vida normal e sem percalços), roubando as vidinhas de luxo de merdinhas que nunca fizeram nada na vida. E depois temos os apanhados, que são uns apanhados. Que ignoram propositadamente (ou são mesmo otários) o que se passou no resto da Europa/ mundo para desencandear esta crise. São tristes e não vão mudar.

  12. Já o disse mais que uma vez e nunca é de mais insistir: a treta da pia, historicamente conhecida como “Caso Casa Pia”, foi o grande ensaio geral de inúmeras tretas a que assistimos desde então e tenho poucas dúvidas de que o actual “Caso Sócrates” não passa de uma reedição revista e melhorada.

    Admitindo, como hipótese académica, a possibilidade de a treta não o ser, considero-a altamente improvável por um motivo simples: a ter feito o que lhe apontam, José Sócrates seria sem sombra de dúvida, além de criminoso, burro como as casas, e isso, sabemos bem, está a anos-luz da realidade.

    O facto de alguns dos principais actores das duas peças serem os mesmos é certamente uma feliz coincidência, de que Falácia Cabrita, criatura que escreveu o vomitivo panegírico do aldrabão de Massamá, é apenas um ainda mais feliz exemplo.

    Na treta da pia foram ensaiados e aperfeiçoados métodos, em função da maior ou menor eficácia que demonstraram na produção de resultados, e foram estabelecidos e afinados canais de comunicação e informação entre o “jornalismo” mercenário e seus donos e as agendas de máfias diversas, de que se destacam as político-judiciais e judiciárias. Tudo isso perdura até hoje e a máquina, o monstro, tornou-se uma hidra não de sete mas de dezenas de cabeças que, graças à colaboração activa de alguns e à cobardia de muitos mais, adquiriu um poder desmesurado. Tudo lhe é permitido, the sky is the limit.

    A treta da pia serviu várias agendas, entre elas a do Governo PSD, decapitando com eficácia o principal partido da oposição e permitindo ao Durão Burroso (Casa Branca dixit), então em processo acelerado de autodefenestração, de tanta merda que fez em tão pouco tempo, governar o resto do seu miserável consulado com total à-vontade e em absoluta impunidade.

    Exceptuando uma ou outra nuance, a situação actual é uma fotocópia quase perfeita: o principal partido da oposição só não é formalmente decapitado porque a cabeça ainda nem está no lugar, mas o resultado é o mesmo, ou pelo menos é esse o objectivo. Alguém acredita que tudo isto acontecer nas vésperas da entronização de António Costa é pura coincidência? Yo no creo en brujas, pero…

    A perfeição do apurado e bem oleado método vai ainda ao preciosismo de juntar o útil ao agradável, a cereja em cima do bolo: anula-se a principal força da oposição ainda antes de o ser, deixando o Governo completamente à solta e com as mãos livres para qualquer malfeitoria que lhe passe pela cabeça, por mais selvagem que seja, e humilha-se e enxovalha-se, finalmente, o inimigo n.º 1, o sacana que nunca dobrou a cerviz e não perdia uma oportunidade para lhes esfregar no focinho, à frente de toda a gente, que não tinha medo deles. Uma coisa sei: mesmo que o homem fosse libertado amanhã, com uma declaração do juiz ilibando-o de qualquer culpa, por absoluta falta de provas, o objectivo das máfias foi alcançado: o “julgamento” popular está feito e o veredicto (com seus efeitos) não é passível de recurso. Quem foi o lírico que disse que o crime não compensa?

  13. Eu avisei,…., este costa é brutus, primeiro traiu o seguro e agora quase nem conhece o sócrates, nem deixa os amigos defendê-lo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.