O Fabuloso Físico Fiolhais

Não se deve julgar ninguém pela aparência física, mas nunca vi ninguém tão cara de parvo como o físico (não é trocadilho) Carlos Fiolhais. Será que estou enganado e que o professor tem, afinal, cara de génio? Deixo ao critério do leitor, mas eu fico na minha.

Fiolhais, que andou pelos States e outros sítios, diz hoje no Público que viu afixada numa grande biblioteca americana uma tabuleta com os seguintes dizeres: “Libraries will get you through times of no money better than money will get you through times of no libraries.” Evocou isto no meritório propósito de defender, mesmo em tempos de crise, a construção de uma nova biblioteca para a Universidade de Coimbra, onde é professor.

O que ele se calhar não sabe é que correm outras versões dessa máxima, como a dos Fabulous Furry Freak Brothers, mais precisamente do Freewheelin’ Franklin, abaixo retratado a fumar uma passa, que nos anos 70 declarou: “Dope will get you through times of no money better than money will get you through times of no dope.” Pontos de vista…

.

FreewheellinFranklin
.

Já agora, comparem a cara de parvo do freak com a do Fiolhais.
.

Fiolhais

.
Mas não é para falar sobre nada disto que ouso roubar o escasso tempo do estimado leitor. O que me traz aqui é outra afirmação do Fiolhais no Público de hoje. Depois de elogiar a D. João V e a majestosa biblioteca joanina da Universidade de Coimbra, o Fiolhais refere-se também elogiosamente ao edifício da Biblioteca Geral da UC, mandado edificar pelo Salazar. Mas eis que depois do absolutismo e do salazarismo chega a democracia, em que “a cultura tem sido governada por gente inculta” ‒ Fiolhais dixit. Como resultado da democracia e dos seus governantes incultos, a BGUC está a “rebentar pelas costuras”.

Com esta boca parva (tirando o Santana Lopes, não me lembro de outro responsável pela Cultura que fosse inculto), o Fiolhais arruína toda a sua nobre argumentação em prol da construção duma nova biblioteca universitária. Onde é que este gajo tem andado desde o 25 de Abril para não ter reparado nas verbas enormes que foram destinadas a bibliotecas novas, restauradas ou aumentadas? Como Fiolhais é politicamente sectário e preconceituoso, não me admirava nada que ele tivesse também subscrito aquele abaixo-assinado contra as obras de ampliação da Biblioteca Nacional ‒ mais uma das “obras faraónicas” do Sócrates, daquelas que “comprometem o futuro dos nossos filhos”.

A mania de atribuir culpas à democracia é um tique à la mode de variadíssimos cretinos e imbecis, entre os quais eu não gostaria, a priori, de incluir o Fiolhais, mesmo sendo ele um ferrenho adepto do ministro Crato. Fiolhais foi, aliás, o autor de um panegírico acrítico da acção do ministro, considerando que ele está a levar a cabo uma revolução, quando, cada vez mais, todos vemos que o seu objectivo é a destruição meticulosa e programada do ensino público.

POST SCRIPTUM

O artigo do Fiolhais faz publicidade aos 16 livros facsimilados da biblioteca joanina que o Público vai vender por um “preço módico”. Como ele ignora que a democracia tem feito boas coisas pela biblioteca de Coimbra e pelos seus utentes, esqueceu-se de dizer que esses mesmos livros que ele publicita já estão disponíveis online, GRATUITAMENTE, no site da BGUC Digital, juntamente com centenas de outros livros digitalizados…

 

18 thoughts on “O Fabuloso Físico Fiolhais”

  1. Eu sabia que ele era físico; o que não sabia é que também era cratino. Fiquei a saber que ser físico e cratino é compativel.

  2. para mim é um génio da física que considera insuficiente a atenção dada à biblioteca que dirige, que é uma referência na área – por conseguinte quer mais e melhor. excelente. não me parece que seja preciso fumar uns charros para ter tal ambição.

    (podias meter a tua foto para eu ver com o que te pareces. prometo ser mais criativa do que o normal) :-)

  3. Este Fiolhais nunca me enganou! Pode ser um excelente físico, como excelente matemático pode ser o Crato, agora que deixam muito a dever à honestidade como cidadãos, isso deixam!
    Houve, alíás, um tempo, durante os governos de Sócrates, em que me parecia, pelas opiniões que emitiam, que apenas estavam a “fazer-se” a um lugar de ministro no previsível governo dos direitolas! Teve mais sorte o “cratino”! Talvez por não ter uma cara de parvo tão evidente!

  4. Menina Olinda, ser génio da física, da música ou da bola não dispensa a cultura, que é um pouco mais que a física, a música ou o jeitão para bola.

  5. Se a biblioteca da universidade de Coimbra está a rebentar pelas costuras é porque a democracia pôs a universidade a rebentar pelas costuras, e ainda bem. Antes eram só 3 % dos jovens no ensino superor, hoje são 35 %. O Piolhais nem tem idade para ter saudades do Estado Novo. Realmente, é só um cratino.

  6. qual foi mesmo o grave erro do Fiolhais? Ter cara de parvo? Defender a construção de uma biblioteca? Elogiar duas bibliotecas feitas no tempo do D.JoaoV e do Salazar? Achar que a “a cultura tem sido governada por gente inculta”?

    nenhum dos pontos excepto o último, justifica o nível de veneno deste post. relativamente ao último ponto, é um ponto de vista defensável, mas que pode suscitar este tipo de resposta nas pessoas responsáveis pela área da cultura, ou próximas delas, e que tomam esta opinião do Fiolhais como um ataque pessoal.

    de qualquer maneira, é um post lamentável. hoje o aspirina b sai fora do meu feedly.

  7. agora estás a ser injusto, lou cave: por haver um post, e um autor, triste não acaba a alegria. tens é de vir e continuar a dizer o que pensas porque as coisas boas também contaminam. :-)

  8. Foda-se que post tão estupido e tão foleiro.

    Podem ir ler o artigo do Fiolhais, que esta no blogue http://dererummundi.blogspot.fr/ e constatar que este o post é completamente injusto, o que torna os ataques pessoais e soezes particularmente intoleraveis.

    O Fiolhais escreveu um artigo para chamar a atenção para as dificuldades da biblioteca de Coimbra, que julgo serem reais (pelo menos o post não as desmente). Faz uma pequena provocação lembrando que o Estado novo fez mais pela biblioteca do que o Estado democratico, e julgo que é transparente que ele prefere o segundo ao primeiro, em termos politicos. Diz depois que os nossos politicos “são incultos”, que é uma forma relativamente banal de dizer que não dão à cultura a atenção que se desejaria. OK, talvez haja aqui um excesso, mas é relativamente aceitavel tendo em conta o proposito do texto…

    Tirando isso, eu (que tenho Coimbra e a sua universidade em horror por razões pessoais que não interessam) leio regularmente o que escreve o Fiolhais. Não concordo com tudo, mas normalmente é interessante, rigoroso, construtivo e escrito de boa fé.

    Exactamente o contrario da raiva idiota exposta despudoradamente neste post, unicamente com base na suposta amizade entre o Fiolhais e um ministro do governo. Foda-se, que tristeza.

    Espero que ao menos sejas bonito, oh Julio, e que tires alguns beneficios desta faceta da tua personalidade.

    Boas

  9. Não me atreveria a chamar Parvo ao Dr. Fiolhais: mesmo quando ostenta papéis idiotas como aquele, merece o mesmo respeito que qualquer cidadão merfece.

    Contudo a apreciação deste artigo é mais que pertinente.

    De facto ser Professor Universitário de Fisica não torna ninguém culto. E muito menos no caso do Dr. Fiolhais (e al.) como Crato e muitos outros Universitários que debitam trivialidades por aí. Diria mesmo que a maior prova da sua falta de cultura é terem a presunção de chamarem incultos aos outros. Não é, aliás, por acaso que estes indivíduos desprezam tanto as Humanidades e as chamadas Ciências Sociais.

  10. Caro Cavaleiro,

    Que eu saiba, pedir medidas para resolver os problemas da Biblioteca de Coimbra não é propriamente um sinal de desprezo pelas Humanidades, ou pelas Ciências Sociais. Pessoalmente, nunca li nada do Fiolhais que desse fundamento a tal acusação (em contrapartida ja li textos dele criticando severamente as decisões do Crato, como também leste com certeza se frequentas o Dererumnatura).

    Ha um pequeno excesso retorico no texto, não contesto isso, mas nada que justifique este post indigno, no qual continuo sem ver ligações obvias com a cultura, ou alias com as Humanidades.

    Boas

  11. “… nunca li nada do Fiolhais que desse fundamento a tal acusação…”

    podes ler no catrapázio que o moço segura na fotografia aí acima e se quiseres mais idiotices do género, é só pedires.

  12. lou cave

    A cara de parvo é uma apreciação emotiva ou subjectiva que eu faço, tem menos a ver com a tromba do homem do que com muitas coisas que ele diz e de que eu não gosto. Quando digo que alguém tem cara de parvo é porque primeiro acho que esse alguém é parvo ou diz parvoíces. Se Fiolhais dissesse coisas acertadas, eu não acharia que ele tem cara de parvo.

    Neste post está em causa a afirmação de que em democracia temos sido governados por incultos, o que é também uma apreciação emotiva e subjectiva, mas bastante mais estúpida do que a minha acerca da cara dele. Melhorar a biblioteca ou fazer uma nova, se esta já não serve, será um propósito meritório, como eu aliás disse. Mas a biblioteca de Coimbra, mesmo a rebentar pelas costuras – precisamente graças à democratização do ensino superior, como aí alguém lembrou – é hoje infinitamente melhor do que no tempo do Estado Novo. Refiro-me ao conteúdo dela e aos serviços que presta, incluindo pela net, não ao edifício.

    Já agora, o artigo do Fiolhais faz publicidade aos 16 livros facsimilados da biblioteca joanina que o Público vai vender por um “preço módico”. Como ele ignora que a democracia tem feito boas coisas pela biblioteca de Coimbra e pelos seus utentes, esqueceu-se de dizer que esses mesmos livros que ele publicita já estão disponíveis online, GRATUITAMENTE, no site da BGUC, juntamente com centenas de outros livros digitalizados… Vai ver: http://almamater.uc.pt/index.asp?f=BGUCD

  13. Pior a emenda que o soneto,

    Não te passou pela cabeça que o homem pudesse estar a dizer, muito simplesmente, que é ironico (e chocante) que tenha sido impossivel arranjar apoios num regime democratico, quando durante o fascismo foi possivel ?

    As tais Humanidades de que pretendes socorrer-te para te atirares alarvemente ao homem, apenas porque é um fisico (e também um amigo do Crato, logo suspeito, não é ?), ja não te valem muito quando se trata de interpretar um texto relativamente simples…

    A blogosfera no seu pior…

    Boas

    PS : E também gostei do raciocinio “quando acho asqueroso o que um homem escreve, passo a considerar e a afirmar que o homem em causa é também asqueroso”. Aprendeste isso nos teus estudos humanisticos ou és também formado em fisica ? E, ja agora, a maxima também se aplica ao que tu escreves ?

  14. o fiolhais ususfrui de muitos direitos que lhe foram dados historicamente pela greve. com aquele catrapázio exibido com boçal satisfação, não arriscaria dizer que o homem sabe de história, no mínimo. ou se sabe, branqueia. Portanto ou é sociologicamente ignorante ou desonesto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.