Notícias de Marte

O país com o sistema de democracia directa mais avançado da Europa disse hoje não, por 74% dos votos, a um salário mínimo de cerca de 3300 euros mensais ou 18 euros/hora. Se tivesse sido aceite, o salário mínimo – proposto pelas organizações sindicais, mas não todas – passaria a ser o mais elevado do mundo. Esse país não tem salário mínimo nacional e vai continuar a não ter. O receio do efeito negativo sobre o nível do emprego foi decisivo. A taxa de desemprego no país está em 3,3 e há dois anos era de 2,9.

O referendo, que só teve 44% de abstenção, abrangeu várias questões. Os votantes disseram não à compra de 22 aviões de combate, que iriam custar o equivalente a 4 ou 5 submarinos daqueles que Portugal comprou à Alemanha. E votaram para que os pedófilos sejam impedidos de trabalhar com crianças. E aprovaram medidas de apoio à medicina de família e aos médicos de família.

Goste-se ou não dos resultados dos referendos, o país em causa, a Suíça, é uma democracia muito descentralizada e avançada, onde os eleitores também decidem por referendo questões como o volume da imigração ou o sistema de eleição do governo. As 22 regiões em que esse pequeno país se divide têm governos próprios. Os suíços, como seres humanos, não têm nada de especial. São pessoas como nós, não contando o Mourinho e o Ronaldo, que lá não há.

O chefe do governo nacional (conselho federal) é um cargo rotativo, cujo titular muda todos os anos. Os membros do conselho federal são eleitos ou reeleitos um a um, todos no mesmo dia, pelos deputados federais e não directamente pelos eleitores, como em Portugal. O governo reúne uma vez por semana à quarta-feira de manhã, funciona colegialmente e os seus membros não se chamam ministros, mas sim conselheiros federais. São só sete, há mais de 150 anos. Em referendos propostos pelo partido socialista em 1900 e em 1942 foi rejeitada a criação de lugares de secretários de Estado para coadjuvar os conselheiros federais. Os principais partidos estão todos representados no governo nacional. Neste momento, o conselho federal tem dois liberais radicais (partido que tem representantes seus no governo desde 1848), dois socialistas (desde 1960), um democrata-cristão, um democrata do centro e um burguês democrático.

8 thoughts on “Notícias de Marte”

  1. parece que há um escriba aqui neste blog que foge a sete pés de tudo o que lhe cheire a democracia direta, acha que os partidos é que são bons e os únicos capazes de interpretar a vontade e filtrar o que deturpa a vontade do povéu. diz coisas fantásticas esse chanfrado e acha mal quando as pessoas sobem as escadarias do parlamento quando já tudo tentaram e ninguém as ouve. e também diz que quando os partidos elegem como secretário-geral um palerma do calibre do seguro numa conjuntura tenebrosa como a atual acha isso também perfeitamente normal dentro do espírito democrático interno que norteia um partido com os pergaminhos do ps. é assim que essa grande sumidade vislumbra o que mais ninguém consegue ver e confia muito nestes partidos e na interpretação da democracia que estes fazem e nada teme apesar de ver o país a ir para o buraco. porque fé é fé e se a democracia é o bem e o bem tudo vence, então a democracia por si só, esse maravilhoso castelo de nobres princípios, vai, pelo grandiosidade do seu formalismo e das suas regras, vencer e afastar os maus. basta esperarmos sentados e reprovarmos veementemente o que esses tolos desses suiços andam a fazer.

  2. Mera coincidência, o primeiro salário mínimo fixado no
    nosso País foi de 3.300$00 o que, no dizer de boa gente
    seria incomportável … quem sabe, se a situação de aper-
    to que estamos a viver não se ficou a dever a esta decisão!?!

  3. Não percam: o vosso adorado e dilecto Tozero, Lider da Xuxaria, futuro Primeiro Ministro para nossa Desgraça e Vergonha, numa sessão de strip ideológico verdadeiramente revelador da sua íntima NATUREZA POLÍTICA.
    Uma espécie de alter ego permanente.

    Que MUST e que GOZO.

    Uma versão diferente do Pedante PALHAÇO SOCRÁTICO, mas com carinha de CALIMERO e sem nariz afiado de PINÓQUIO …

    LIIIIIIIINNNNNDDDDOOOOOOO …

    Um lìder à Vossa Medida!

    http://selfieseguro.tumblr.com/

  4. Este Selfie anda perdido: dirigia-se para o seu cano de esgoto, enganou-se, e entrou aqui no blog.

  5. há gente a participar neste blog,que andou a comer durante 70 anos” lombo assado”, cozinhado da mesma maneira.como as pessoas começaram a ficar com problemas de digestão,acabou por ser considerado
    podre pelas ASAE, do proprio pais e de todo o mundo com a excepçao de cuba e coreia do norte. como a falta de pudor é gritante, insistem na receita para os portugueses,que já 110 (70+40) anos a rejeita.o actual cozinheiro de sua graça jeronimo de sousa com total falta de memoria,pudor e de respeito pelo portugueses,quer continuar impingir-nos esta badalhuquice.este pais está a passar mal,com estes fdp a governar-nos, mas não queremos voltar a regimes que a europa rejeitou com o fascismo e o social fascismo ainda à venda na sede do pcp. se alguem quizer continuar a comer lombo assado, que o expresse nas urnas. se depois de mais uma vez derrotados nas urnas continuar a querer viver à moda do pcp, juntem-se e comprem uma herdade no alentejo, montem lá as barracas.nós não importamos. a herdade não precisa ser grande pois cabem lá todos . façam um coisa jeitosa tipo “ovibeja”.espero sinceramente que sejam felizes.se ao fim de 15 dias alguem quizer fugir, ou pedir asilo politico,não nos venha dizer que nós não os avisamos!

  6. Julio, esse planeta de que dás notícia é um caso interessante, mas infelizmente os marcianos, na sua generalidade, tendem a sentir-se seres superiores, discriminarem os que não nasceram lá, borrifam-se para quem lhes protege as fronteiras, e sobretudo, adoram olhar para o seu umbigo.
    Tem mais de 40% da população laboral oriunda de outros planetas usando-os habitualmente em profissões que não gostam de exercer. São racistas, chauvinistas, egoístas, chegando a raiar a má-educação. Nota que falo na generalidade, conheço bem o planeta e bastantes marcianos, não sendo no entanto amigo de nenhum, nem tendo com eles nenhum vínculo de dependência, felizmente.
    O planeta é aparentemente feliz, muito embora a rivalidade entre cantinhos por vezes raie o disparate. É um planeta singular o que não faz dele, apesar de tudo, o local ideal para viver.

  7. Tatas, acontece que vivi lá dois anos e sei muito bem o que é o egoísmo de alguns desses marcianos – mas não de todos nem da maioria. Alguns são surpreendentes. Há gente muito boa por lá, como por cá.

    Nos nomes que lhes chamaste esqueceste um que é tradicionalmente mencionado: xenófobos. Mas a Suíça é um país sempre especial: apesar de ter fama de não gostar dos estrangeiros, quase 1/4 da população permanente é estrangeira! Desses, mais de 12% são portugueses. Imagina agora que Portugal tinha 25% de estrangeiros na população permanente. Seríamos mais bonzinhos para eles do que os suíços? Tenho muitas dúvidas. E os imigrantes que nós tivemos e ainda temos por cá também vieram para fazer o que os portugueses não fazem, não é?

    O “local ideal para viver”, cá para mim, devia ser o nosso próprio país. Assim houvesse oportunidades para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.