Migalhas, já disse!

Uma jornalista do Público, sintonizada com a histeria anti-Putin que grassa em quase todos os meios de comunicação social portugueses, europeus e americanos, diz na edição de hoje do jornal, com direito a destaque e parangonas, que a Rússia investiu 10 milhões de euros em títulos de dívida ucranianos. A senhora considera essa quantia (e a descida do preço do gás russo, acarretando um decréscimo do valor total importado que não contabiliza) como “migalhas” em comparação com os 610 milhões de euros previstos como apoio ao acordo de associação e comércio livre da Ucrânia com a UE.

A quantia certa da compra de títulos ucranianos era 11 mil milhões de euros. Ou seja, a jornalista diminuiu o número para 10 e dividiu-o por mil.  Alertada por algum leitor perto do meio-dia de hoje, a profissional corrigiu o dislate no Público online, colocando o número certo. Todavia, com encarniçada teimosia, não alterou o texto, que lá continua: “O que Ianukovitch trouxe esta terça-feira de Moscovo parecem migalhas ao lado dos 610 milhões de euros previstos pela UE”. Ou seja, 11 mil milhões ‒ além de uma descida muito substancial do preço do gás ‒ parecem à rapariga “migalhas” em comparação com 610 milhões de euros da UE.

Vindas do Putin, serão sempre migalhas, não há nada a fazer.

5 thoughts on “Migalhas, já disse!”

  1. E sempre é (mais um) exemplo do triste jornalismo que temos. E quer o Público “ser” um jornal de “referência”.

  2. Putin à parte, informar, coisa que de há muito deixou de ser tarefa para muitos dos que de quem escreve em jornais, televisões, rádios, revistas, o que se queira, seria a dita “jornalista” ter referido o que os ucranianos, sobretudo os da alcunhada de “classe média” teria de pagar em troca dos tais 610 milhões, que já sabemos para os bolsos de quem, e fornecer a lista de cortes obrigatórios
    impostos pela tal Europa Santa Casa da Misericórdia que, parece que mal, alguns portugueses conhecem, e outros, diga-se, e muitos portugueses conhecem de ginjeira.
    José Luís Moreira dos Santos

  3. Putin à parte, informar, coisa que de há muito deixou de ser tarefa para muitos dos que de quem escreve em jornais, televisões, rádios, revistas, o que se queira, seria a dita “jornalista” ter referido o que os ucranianos, sobretudo os da alcunhada de “classe média” teria de pagar em troca dos tais 610 milhões, que já sabemos para os bolsos de quem, e fornecer a lista de cortes obrigatórios
    impostos pela tal Europa Santa Casa da Misericórdia que, parece que mal, alguns portugueses conhecem, e outros, diga-se, e muitos portugueses conhecem de ginjeira.
    José Luís Moreira dos Santos

  4. tens razão oh zé luis, a alemanha virou casa de penhores e promete um chouriço à troca de um porco. se chateia muito o putin, a merkla ainda vai ter de queimar mercedes & audis para se aquecer neste inverno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.