E quem pára uma associação má?

“A única coisa que pára um tipo mau com uma arma é um tipo bom com uma arma”.

O director da Associação Nacional da Espingarda (NRA) que disse isto apelou hoje ao Congresso americano para que coloque guardas armados à porta de todas as escolas dos Estado Unidos.

22 thoughts on “E quem pára uma associação má?”

  1. Quando mataram o Kennedy eu estava zangado e não bati palmas mas pouco faltou.

    Não fiz festa porque eu estava de luto, os americanos tinham apoiado o terrorismo no norte de Angola.

    Quando acontece uma desgraça nos EUA lembro-me sempre de 1961.

    Não consigo evitar.

  2. Teófilo, nem no Far-West havia serial killers de crianças, como agora. Os fãs das armas têm sempre vergado os governos americanos. Vamos a ver se o Obama, no segundo termo, tem tomates para lhes dobrar a espinha a eles. Não acredito, mas eu sou um céptico.

    Retornado, vê-se que acreditaste em tudo o que a propaganda salazarista disse sobre o Kennedy e sobre as “províncias ultramarinas”. Não terás ainda conseguido distinguir o terrorismo (condenável, mas dos dois lados!) da luta pela independência fundada no direito à autodeterminação dos povos colonizados? O Salazar nunca quis que nós distinguíssemos essas coisas e proibiu de circular a palavra independência. Só se podia dizer terrorismo.

  3. Júlio, já sou grandinho para saber o que diziam e queriam e querem os americanos, e sei muitíssimo bem o que dizia e queria o Salazar.

    Ou a história não serve para nos ensinar?

    Mais explicações?

    Tenho pena que na altura também duvidasse de certezas que temos hoje!

    Tenho eu, têm os angolanos, iraquianos e panamenhos!

    A não ser que o Kennedy não fosse americano, e aí peço desculpa.

  4. ia responder ao post da isabel sobre o natal para quem gosta, mas a senhora, mais uma vez, fechou os comentários. O link “inicie os comentários” não permite iniciar porra nenhuma,que a isabelinha não quer comentários na caixa de comentários que abriu ou fechou ou o raio que a parta. Um péssimo natal para ti, isabel, já que não acreditas nas pessoas às quais te diriges, calando-as antes que digam piu. O poema é bom, o post é reles, pelo que expus acima.
    Para os restantes aspirinicos, os que entram aqui para dialogar e não para postar postas de pescada de mérito alheio e fecham a porta logo de seguida, fica um revivalismo que é fácil de adaptar aos tempos modernos. Abaixo os cínicos ressabiados. Viva os utópicos. Pim.
    http://www.youtube.com/watch?v=z8Vfp48laS8

    P.S. Pim: tens, Isabel, definitivamente, um problema com o diálogo e com a oposição de ideias. Não és democrata, filha, mas gostavas de ser.

  5. já agora,tambem uma ambulancia à porta da escola.Os negros praticam crimes por roubo e por trafego de droga.este tipo de crime nas escolas, confesso que não me lembro de algum que tenha acontecido com os negros como protagonistas.algo não bate certo.

  6. ignatz,
    grande postal musical de natal – há que embebedar bem o perú, se não fica demasiado duro para que se aguente.
    Quanto às lições de moral, aprecio a anedota. Deixa estar, é ateia, e não tem verdadeira empatia, a não ser com o seu próprio ego.

  7. maldita a hora que vim comentar este post: agora tenho de levar contigo, edie. que grande castigo. porquê que não vais lavar os colhões ao pai natal a ver se te passa a azia? :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.