É preciso ter muita lata…

A ministra Cruz disse que só se fala do Citius por causa das reformas da Justiça que ela já fez  e das que vai ainda fazer, porque com isso tocou em interesses e “criou condições para o fim da impunidade”. Por essa razão, disse ela, é que está a “apanhar” – e não por ter emperrado os tribunais todos do país, não senhor!

De facto, não sei se já repararam, a ministra está quase, quase a acabar com a impunidade em Portugal.  Graças sobretudo às tais reformas que ainda não fez, mas que há três anos prometeu fazer. Como aquela famosa “iniciativa legislativa” que ia acabar com os recursos em cascata, as manobras dilatórias de advogados e arguidos e as escandalosas prescrições de processos – uma reforma prometida pela ministra em 2011, para acabar de vez com a tal “impunidade”.

Cadê essa reforma, Madame Cruz? Cadê ela?

O que se passou foi que logo em 2011 apareceram uns tantos advogados, penalistas e outra gente do seu partido (pessoas que não representam interesses nenhuns, não é, Madame?) a atacar a prometida reforma, sustentando que não era preciso mudar a legislação, que a lei já continha instrumentos para combater a litigância de má-fé, etc., etc. Esses argumentos esperavam que a estupidez natural do público o impedisse de perguntar: – Se as leis que há já são boas e suficientes, porque continuam a existir manobras dilatórias, litigância de má-fé e prescrições escandalosas em cascata?

O que é certo é que a ministra nunca mais falou da tal iniciativa legislativa. E agora tem a lata de vir dizer que as suas reformas tocaram em interesses!

6 thoughts on “É preciso ter muita lata…”

  1. a cardona foi para a justiça para abafar o caso moderna e dar seguimento à vingança do portas com a casa pia. o papel da loira da cruz não é muito diferente, perseguir os xuxas mais perigosos do governo socras, safar o gang cavaco dos assaltos bancários e limpar as evidências criminais da malta que governa, o citius ainda vai ser desculpa para muito arquivamento das preocupações da direita.

  2. lembram-se do autoproclamado porta-voz dos camionistas em luta contra o socras, um tal eng. antónio lóios, que mais tarde se descobriu ser uma fraude psd? parece que é o patrão da fusão geteasy + tacho, o último grito em burla nacional, com patrocínio do governo tecnoforma.
    https://www.youtube.com/watch?v=3hkZKfzsyX0

  3. O advogado João Miguel Barros, ex-chefe de gabinete da ministra da Justiça, que se demitiu em 2013 e era “sócio” do cunhado da ministra, João Correia, disse em 13 de Outubro de 2014 que o desastre do Citius estava “pré-anunciado”:

    http://observador.pt/2014/10/13/ex-chefe-de-gabinete-de-paula-teixeira-da-cruz-diz-que-desastre-estava-pre-anunciado/

    Em declarações de hoje, 25 de Outubro, a ministra tentou passar as culpas do desastre para as chefias intermédias, que teriam feito sabotagem:

    http://www.ionline.pt/artigos/portugal/justica-ministra-envia-relatorio-sobre-citius-pgr-abre-inquerito-interno/pag/-1

  4. O cunhado da ministra, João Correia, é o coordenador da Comissão da Reforma do Processo Civil, por ela nomeado para esse cargo.

  5. Júlio Castro Caldas, “também sócio de João Correia” (Marinho Pinto dixit), foi nomeado para a comissão de revisão do Código Penal.

  6. Essa loira descabelada mete a merda da familia TODA no ministério, mas é a Lurdinhas que apanha pena suspensa porque deu um trabalho a fazer a um irmão de alguém que militava no mesmo partido…

    Justiça CEGA!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.