De sócia a “cleptocrata”

Numa coluna mui discreta da página 24 do Público de ontem, 28 de janeiro, é revelado que o novo presidente do conselho de administração da NOS é o sr. Ângelo Paupério, o qual já era também presidente executivo da Sonaecom e presidente da administração do jornal da casa, Público de seu nome.

A NOS é maioritariamente controlada pelo grupo Sonae e por Isabel dos Santos através da holding Zopt, detida em partes iguais pelo dito grupo e pela senhora cujo nome anda agora muito badalado. A senhora dos Santos, que de repente se viu acusada de horrendos crimes financeiros, está a tentar desfazer-se das participações que tinha no Euro Bic e na Efacec. Não se fala é dos 50% da Zopt que pertencem a Isabel dos Santos. É um não-assunto. A NOS paga muita publicidade e com a Sonae não se brinca, de modo que está tudo caladinho.

Mas o grupo Sonae está muito “preocupado”, a acreditar nas últimas três linhas da coluna do Público. Realmente, a Sonae deitou-se com Isabel dos Santos na Zopt, mas agora arrisca-se a não saber com quem vai acordar, o que não é nada bom para a saúde da chafarica. Para já, a Sonae abifou a presidência do conselho de administração da NOS, depois da demissão do anterior presidente e dos vogais que representavam Isabel dos Santos. Nada mau, por enquanto, para o clan Azevedo. Assim a justiça portuguesa saiba proceder de acordo com os interesses da Sonae e tudo poderá correr ainda melhor.

O que o Público tem escrito e vai escrever sobre Isabel dos Santos tem passado e passará primeiro, como é óbvio, pelo crivo dos interesses da Sonae. O máximo que até agora deixaram passar sobre a futura ex-sócia da Zopt foram aquelas bacoquices que a desbocada Bonifácia largou lá há dias, acusando o “socialismo” angolano de “cleptocracia”. Ou seja, acusando a senhora Isabel dos Santos, ainda sócia da Sonae, de ladra… e de socialista!

O ideal para a Bonifácia e também para o director do jornaleco era que Isabel dos Santos, em lugar de ser sócia do clan Azevedo, tivesse qualquer coisa em comum com José Sócrates ou mesmo com António Costa, sei lá. Essa conversa do socialismo foi um nice try, mas é muito fraquinha. Vou continuar a seguir com muito interesse a cobertura que o Público está a fazer do caso Isabel dos Santos e da NOS.

3 thoughts on “De sócia a “cleptocrata””

  1. Tenho um “vizinho” que hoje é considerado uma espécie de herói regional, entretanto promovido a comendador do reino, que iniciou carreira como empresário de contrabando. Além de ter a população toda de certa parvónia na folha de pagamentos, também dava de comer à guarda, aos das finanças, etc e tal. Como isso foram águas passadas, parece haver quem ache que não vale a pena chafurdar nessas histórias. Seja . Mas agorinha mesmo ouço dizer ( e se me ouvi mal, corrijam-me …) que temos as empresas do PSI 20 a pagar impostos aos Holandeses. Então sobre a ética desta matéria essa malta que anda aí a rasgar as vestes pelo povo angolano não tem nada a dizer ?

  2. sei lá , foi à sombra dos estados e com ajudinhas/onas de políticos ( que recebem , sem recibo, milhões por assessoria ou lugares em administrações) que estas empresas gigantes se ergueram destruindo os pequenos e médios , transformando todo mundo em assalariado , por isso estão bem uns para os outros e espero que façam muito barulho ao ruir. abaixo os titãs.

    e a Galp?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.