“Caguei”

Foi esta a resposta que Bolsonaro disse ontem ter dado a uma carta que a Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19, do Senado, lhe tinha endereçado há 12 dias, perguntando-lhe se confirmava a denúncia de irregularidades na negociação do contrato de compra de 20 milhões de vacinas Covaxin. A denúncia de corrupção tinha sido feita pessoalmente a Bolsonaro, há meses, por um deputado federal seu apoiante, que só em fins de junho a revelou publicamente. A compra das vacinas acha-se actualmente suspensa.

“Sabe qual a minha resposta, pessoal? Caguei!” – disse o meliante presidente numa sessão em directo para a TV.

Além de “cagar” para a pergunta, o salafrário presidente ainda insultou o presidente, o vice-presidente e o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito, tratando os três senadores de “patifes” e, um a um, de “hipócrita”, “analfabeto” e “imbecil”, respectivamente.

Diz-se que Bolsonaro já tem slogan para a campanha de 2022: “Caguei”.

Espera-se que o eleitorado lhe retribua.

 

7 thoughts on ““Caguei””

  1. Vá lá esse ao menos assume.
    O Costa com esta nova regra para os restaurantes cagou para as pessoas e cagou para os proprietários dos restaurantes.
    Quer dizer, um gajo vacinado e com certificado pode infectar os outros no restaurante. Um gajo que não foi vacinado já não pode infectar os outros.
    Não sei quem é o mais cagão. Se é o Bolsonaro ou se é o querido líder Costa.

  2. Está na hora dos brasileiros abrirem os olhos e pucharem o autoclismo, para mandarem o seu Presidente para o esgoto. O homem não tem qualificação possivel. É um abcesso que tem de ser lancetado

  3. Por cá alguém também declarou que se estava a cagar para o segredo de justiça e a coisa não correu nada mal para o autor

    José Marques

  4. “Quer dizer, um gajo vacinado e com certificado pode infectar os outros no restaurante. Um gajo que não foi vacinado já não pode infectar os outros.”

    andas aí há mais de uma semana a ver se alguém te responde a essa provocação merdosa, prontes aí vai biscoito canino:
    um gajo vacinado tem cerca de 90% de imunidade à doença e capacidade de transmissão da carga viral reduzida a cerca de 10% e quem não entende isto corre o risco de ficar infectado com estupidez crónica.

  5. Tens razão, e o meu sistema imunitário meteu férias.
    Queres ver que agora preciso duma vacina para ter anticorpos.
    A vacina é facultativa mas se não a tomar não posso ter os mesmos direitos que os outros, boa. Se isto não é um cheirinho a ditadura é o quê?
    É só tretas.
    Não me digas que também acreditas que o gajo que teve um enfarte do miocárdio e levou com sete stentes ao fim do segundo dia estava em casa a recuperar. Deves ser daqueles que acredita no Pai Natal, só pode.
    Estamos a servir de cobaias, só não vê quem não quer, ou então está a comer à conta.

  6. o negacionista queria que lhe dessem corda para despejar o relambório anti-vacinas.

    “Se isto não é um cheirinho a ditadura é o quê?

    é um dever cívico, coisa que não deves saber o que é por andares muito preocupado com os teus direitos, mas ainda estás a tempo de procurar no google e de caminho procura democracia, pelo menos ficas esclarecido.

    “o gajo que teve um enfarte do miocárdio e levou com sete stentes ao fim do segundo dia estava em casa a recuperar.”

    sete entubanços faz o camacho por poste e ainda lhe sobra tempo para ignatzoporcalhada. é como tu, dá-se corda e é só escolher entre russian tv e jimmy dorme.

  7. O teu dever cívico é lixar os outros. Deves comer à conta, de certeza. Se fosses impedido de trabalhar eu queria ver se falavas assim. Falas assim porque tens o cu cheio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.