Aceitam-se sugestões

A cobertura pelos media do julgamento do grupo de rock Pussy Riot em Moscovo tem-me dado que pensar. No noticiário em inglês, a causa das raparigas é notoriamente prejudicada pelo nome da banda. A seriedade da sua luta em prol da democracia vai pelo cano abaixo quando o nome da banda aparece em jogo. As agências noticiosas anglófonas, geralmente hostis a Putin e simpáticas para com o grupo rockeiro feminista, redobram de cuidados quando têm de redigir qualquer frase sobre as Pussy Riot que não tenha duplos sentidos ou ressonâncias esquisitas.

Após busca na net, constato que fora do espaço anglófono é raríssimo traduzir-se a expressão Pussy Riot. Com muito trabalho, descubro um site brasileiro onde corajosamente se traduz por Motim das Bucetas. Eu preferiria Revolta das Conas, mas não sei se isto soa muito bem em português. Alguém sugere melhor?

30 thoughts on “Aceitam-se sugestões”

  1. revolta das “perseguidas” ..
    até dá para aparecer no jornal. acho engraçado a cena da perseguida , xoxota tb.

  2. espero que o efeito Madona em Moscovo neste Verão contribua para desputinar o caso da revolta das gatinhas das quais sou fã.

  3. voto no Cocas. e o Evaristo confundiu galego com castelhano e coño com putas. santa paciência , nem todos os Choderlos de Laclos são putas.

  4. estava aqui a a pensar que “Motim das Ratas” era capaz de ser atractivo.
    Embora até ás 22h as televisões se referissem a esse grupo como “Pipis Zangados”.

  5. Ora aqui temos um punhado de sugestões admiráveis, desde o sarcástico (ignatz) ao bucólico (C. Serra), passando pelos literais (Dedé e ignatzia), sem esquecer o politicamente correcto (LuisF), o romântico (Cocas), o realista (A.Ribeiro), o indeciso (Miguel), o anónimo da jocosa “rebelião dos pipis”, o criativo (paulo marques) e outros. A escolha é difícil, mas até agora inclino-me para “revolta das perseguidas”, pela conseguida combinação do primeiro termo com a polissemia do segundo. Aguardo novas sugestões, com a promessa vã de oferta ao ganhador de um bilhete para o espectáculo das Pussy Riot no Pavilhão Atlântico, quando saírem da prisa.

  6. Se forem condenadas, edie, quem perde é o Putin. Até por isso acho que não serão. Mas quando vejo os apoios externos que elas têm (aguarda-se uma declaração bombástica do magnata mórmon), não tenho grande vontade de me inscrever no club de fans.

  7. Julio,

    não se trata de aderir ao clube de fans das moças (que tocam mal pra caraças), trata-se de aderir ao clube dos fans da democracia e dos direitos humanos.

  8. o que a bimbalhada pretende é notoriedade à boleia da democracia e os direitos humanos. vão avacalhar para a basílica de s. pedro a ver o que lhes acontece, para preparos comem logo nos cornos no local do crime e depois ficam em segredo de justiça até o papa num tradicional acto de grandiosidade espiritual lhes perdoar. a hipócrisia do oeste supera a de leste.

  9. edie, trata-se essencialmente de aderir ao partido contra Putin, “inimigo n.º 1 da América” (segundo o imbecil Mitt Romney há dias disse em Londres e Israel), porque não quer entregar as maiores riquezas minerais do planeta Terra às multinacionais e defende os interesses dos russos.

    Sobre a democracia na Rússia há muitas dúvidas muito pertinentes, mas eu não acredito em toda a trampa que os media americanos e ingleses me oferecem. O partido anti-Putin é que parece que não aceita os resultados das eleições, que ainda são o principal teste da democracia. Apostam em jogadas mediáticas como Pussy Riot, para impressionar gente crente (excepto os crentes ortodoxos, em cuja principal catedral as meninas fizeram a sua provocação).

    Durante o regime soviético, a imprensa ocidental chorava todos os dias lágrimas de crocodilo pela perseguição religiosa na Rússia. Agora, para apoiar as Pussy Riot, até se lembraram de dizer que a malvada Igreja ortodoxa excomungou Tolstoi em 1905…

  10. os fans desta merda bem podiam contratar as ex-doce para uma performance semelhante na basílica da estrela reclamando a demissão do cavaco e fazerem um directo com o conas do crespo.

  11. oh júlio! vê lá não te distraias e não abarbates o prémio como é costume da casa, o pessoal tá danadinho para ir às pussy riot ver o parvalhão atlântico, do genro.

  12. tamém me parece que as pussy riot são vingança do clintóris da hilária por manifesta incompetência diplomática.

  13. Há dúvidas sobre a democracia russa? Para alguns. Estão no direito.
    Eu não tenho dúvidas de que Putin é um patriota e nacionalista. Mas democrata?

  14. Não são a Madonna, o Mitt Romney e os Pipis Exaltados que decidem se há ou não democracia na Rússia. Se eu fosse russo, decidia por mim, sem ligar bóia a essa gente.

    Convém sempre considerar a imagem de conjunto. Se nos fixarmos no piercing do umbigo das meninas, perdemos a perspectiva global.

  15. Élou pípale!
    Tenho que , me controlar c’a net porque ’tou em rômingue de dados e sou pobre. Também não estacionei longe, diga-se. Ando por terras de Sua Magestade “O Coxo de Merda que Caça Elefantes c/ Amante” porque sai ma’ barato.

    É só p’a mandar Abreijos e dizer que ’tou c’o Julio.

    Desculpem lá a discordância com a maralha em geral, mas, desde há uns anos, costumo ver o canal RT, comparo a informação obtida “all around”, analizo os evidentes interesses globais, e até curto que o Urso tenha afiado as garras. Pode ser bom para equilibrar a cena (I hope, I hope)
    Quando a puta da Clinton pediu guito ao Senado porque, segundo ela, estavam a perder a guerra da informação para a RT e CNC, a mim deu-me tusa.
    Talvez o Putin não seja “flôr que se cheire”, mas essas conas, para mim, tresandam a…fishy. LÓLE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.