A fase xexé da luta de classes

O xexé desbocado Arnaldo Matos, fundador do inolvidável MRPP, descobriu recentemente o Twitter. Imitando Trump, outro xexé desbocado que fala às massas sem intermediário, Matos está a utilizar diariamente o tuíter (sua grafia) para chegar aos “operários” em directo e sem filtro. Já tem três mil e tal seguidores, entre eles possivelmente uns 9 ou 10 operários, dos quais 1 ou 2 no activo.

Embora os seus milhares de seguidores representem apenas 5% da votação nacional do MRPP em 2015 (sob a liderança de Garcia Pereira, odiado pelo Matos), o facto parece ter impressionado vivamente o Expresso, que hoje lhe dedica uma reportagem de seis páginas da Revista. A falta de assunto é terrível…

Ultrapassando muito o citado desbocado americano, Matos insulta os políticos de quem não gosta de burros (Azeredo Lopes), sacanas (Moscovici) e até cães danados (Marcelo).

Legendando uma fotografia com António Costa, Catarina Martins e Jerónimo de Sousa, o carroceiro Matos exclama: “Então isto não é tudo um putedo?”

O actual secretário-geral da ONU é para Matos “um lacaio dos imperialistas e um homem de mão de Donald Trump”. Li bem: Guterres homem de mão de Trump.

A António Costa o carroceiro chama “o monhé” e diz que tem o direito de lhe chamar tudo, e não só monhé, porque “na luta de classes há uma fase em que se chega ao ódio”.

Arnaldo Matos já declarou no Twitter a sua gratidão ao “inteligente” jornalista do Expresso pelo “notável estudo sobre a minha conta tuíter”.  Mas estará este cara de ananás podre tão xexé que nem percebeu que os seus tuítes só são lidos por gozo? O próprio jornalista o diz, acrescentando que ninguém leva aquilo a sério, mas o Matos ainda não deve ter lido tudo.

7 thoughts on “A fase xexé da luta de classes”

  1. Porque não vai Arnaldo de Matos à China assim como os Pachecos os Eduínos, etc. será que ainda são maoístas? Parece que o único Partido que é aceite em Pequim é o Partido Comunista Português e Jerónimo de Sousa convidado especial. Tanta loucura para destruir o 25 de Abril e nós todos na ignorância a levar com eles na proa. Todos eles foram instrumentos da contra-revolução como escreveu em livro Saldanha Sanches. Todos eles viraram o bico ao prego e os que o não viraram é porque estão enferrujados como é o caso do “educador” da classe operária.

  2. Eu já li vários tuítes do sr. e concordo que grande parte dos seus leitores o farão no gozo. As comunicações em que ele defende o sr. Bruno de Carvalho são fantásticas.

    Mas na verdade ele devia ser levado a sério. Se andamos atentos ao terrorismo ou a potenciais ameaças de grupos de extrema-direita, devíamos andar também ao Arnaldo Matos quando ele apela explicitamente à luta armada. Ele não tem mais direito de o fazer que os outros.

  3. O grande educador do povo e da classe operária é igual ao Silva do Poço de Boliqueime.
    De quando em vez é acordado pelo pasquim do Balsemão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.