Vinte Linhas 722

Para lutar pelo quinto lugar basta a prata da casa

O Sporting Clube de Portugal não pode competir com o Benfica e com o F. C. Porto. Em vez de comprar 19 jogadores com o dinheiro que não há e vender aos sócios e simpatizantes ilusões de competitividade que em nada resultam, o único caminho é dizerem a verdade ao universo «leonino» e trabalhar com a prata da casa.

Lembro-me bem do Paulo Teixeira, do Miguel Garcia, do Adrien que está na Académica e de todos os que jogaram o Portugal – França em Rio Maior há pouco tempo. Jogadores como Wilson Eduardo, André Martins e Cedric Soares estão fora do Sporting e são do Sporting. Jogadores como Fui Fonte, Diogo Amado e Nuno Reis estão fora do Sporting e são do Sporting. Jogadores como Mário Rui, Diogo Rosado e Pedro Mendes estão fora do Sporting e são (ou foram) do Sporting.

Daniel Carriço que está na foto é uma excepção mas o Sporting devia ter 11 Daniéis Carriços e não apenas um. O grande problema é que os jogadores que são a prata da casa não dão origem a comissões aos agentes. Os agentes desportivos precisam de facturar todos os anos e por isso aparecem carradas de holandeses, de chilenos, de uruguaios, de argentinos.

O grande problema é que as pessoas vivem na mentira e só a mentira funciona. O Sporting não pode competir com o Benfica e com o F. C. Porto porque não tem as mesmas armas. Para jogar para o quinto lugar basta a prata da casa. Não vendam mais ilusões ao povo!

Saber que o Miguel Garcia está na Turquia e que o Paulo Teixeira está em cascos de rolha ou que o Adrien está na Académica é uma tristeza e uma revolta. Outros estão no Chipre. Todos juntos podiam fazer muito por um Sporting com a prata da casa e sem comissões nem luvas.

2 thoughts on “Vinte Linhas 722”

  1. Nem mais. Por estas e por outras é que me demiti de sócio (tive lugar cativo durante 21 anos no velho estádio de Alvalade). As coisas já não andavam bem há algum tempo, mas começaram a descambar a sério no tempo do Roquette e do incompetente do Santana Lopes.

    Não estou para ajudar a sustentar parasitas, que outra coisa não têm feito se não sugar o clube.

    O Sporting que foi o meu clube durante dezenas de anos, morreu. Hoje, não passa de um entreposto de jogadores, bem como um pretexto para negociatas. Tal como o são os outros clubes, de resto.

    E o futebol há muito que deixou de ser um desporto. Os próprios dirigentes já lhe chamam indústria. Para apoiar uma indústria preferia apoiar a velha CUF.

    Abraço.

  2. Certeiro e bem construído comentário. Obrigado, Amigo. Já agora uma nota mesm à parte – a CUF chegou a ter uma grande equipa de futebol que bateu o pé ao Milan de Itália no velho «Alfredo da Silva».

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.