Vinte Linhas 716

Viola Delta 48 – Edições Mic – poemas sobre Fernando Pessoa e outros textos

Este recente volume da colecção Viola Delta que é publicada sem interrupção desde 1977, integra 15 autores e tem por tema geral o poeta Fernando Pessoa. Abel Sabaoth refere-o num prosopoema: «O senhor Pessoa de Campo de Ourique, conquistador e bicho derrotado em milhentos quartos de bacio e lavatório, passou a vida a fugir das montanhas de terra e cardos, o seu único pico foi o Chiado onde as nuvens eram tecidas de borras de café».

Em paralelo, o volume faz homenagem ao poeta Mário Machado Fraião (1952-2010) que, por coincidência, viveu na Rua Fernando Pessoa em São João do Estoril. Estreou-se em 1980 com «Todas as filarmónicas perdidas e um poema por dizer», publicou diversos livros de poemas e de crónicas, está representado nas antologias «Nove rumores do Mar (Eduardo Bettencourt Pinto) e «On a leaf of blue» (Dinis Borges) além de ter participado em 15 volumes colectivos das Edições Mic.

Homem bom de vida breve, 58 anos apenas vividos entre a Horta e Cascais, onde «os barcos levam nomes de mulheres» como no título de um dos seus livros, fica um excerto de um poema de Mário Machado Fraião: «Foi uma estrada longa / já nos limites do coração. / O que eu recordo era aquela pastelaria com cheiro bom / e os seus quadros / – um chapéu sobre o mar. / O resto era o cansaço dos dias / e os rostos passavam anónimos / dentro dos autocarros.»

2 thoughts on “Vinte Linhas 716”

  1. nunca tinha lido dizer com tamanha clareza, além da minha que é anónima mas fora de autocarros, que o FP foi imensamente frustrado no cansaço de todos os seus dias. gostei. :-)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.