Vinte Linhas 492

Fernando Grade – A minha Amália chama-se Hermínia Silva

Acaba de ser publicado o nº XLVII dos cadernos de Poesia Viola Delta com «poemas sobre as Mãos e outros textos» de 15 autores além de um poema de David Mestre (1948-1998) na contracapa: «Todas vós / e tu Noémia e tu / Branca Rosa do meu coração / por todas / vós / o gengibre, a cola / o fel. Por ti / pkena Suzette do (bairro) Marçal / as bicicletas dormindo, dormindo / sorrias, sorrias / Onde / a manhã / (pedalando, pedalando / a navalha da tua boca) / braba / rompia /encostada / à lata».

O livro abre com o texto de Fernando Grade intitulado «A minha Amália chama-se Hermínia Silva» que responde a Joaquim Ferreira de Bragança, ex-delegado da Editora na dita cidade. Vejamos um excerto: «A verdade é que os restos mortais da cantadeira alcantarense nunca deveriam ter sido levados para o Panteão Nacional. Criou-se assim um precedente levado da breca. Amanhã, quando for embora o futebolista Eusébio da Silva Ferreira, o Eusébio deve ser sepultado no Panteão Nacional. E antes disso, seria o interior leonino José Travassos que foi o primeiro futebolista lusíada a ter dragonas de grande estrela, foi o primeiro nacional seleccionado para uma selecção europeia, através da qual ganhou o apodo de «Zé da Europa». De outro modo não aceito que levem um dia para o Panteão Nacional a Rosa Mota, mais justo seria que levassem a atleta Fernanda Ribeiro, porque é mais medalhada internacionalmente que a Rosinha. Esta, depois de ter deixado as corridas a sério, corre furibunda por uma popularidade barata, não quer ser esquecida nem por mais uma, o que é deveras ridículo. A Hermínia Silva não tina menos carisma; a Amália era muito mais penteadinha.»

3 thoughts on “Vinte Linhas 492”

  1. Que eu saiba a Fernanda Ribeiro não ganhou nenhuma maratona, ‘a prova das provas’ nos olímpicos. E, pelo critério ‘ganhar mais provas’ a Amália bate aos pontos a também grande Hermínia.

  2. E quem és tu para procurar fazer doutrina canhestra dizendo que a dita prova é a «prova das provas»? Que biografia e bibliografia tens na matéria? Quais os teus galões na área do desporto?

  3. «A maratona é a mais longa, desgastante e uma das mais difíceis e emocionantes provas do atletismo olímpico. Ela é disputada na distância de 42 195 m (42,195 km) desde 1908. É tradicionalmente o último evento dos Jogos Olímpicos de Verão»[Wikipédia].
    A expressão ‘prova das provas’ é comumente referida por comentadores e pessoas que acompanham os JO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.