Vinte Linhas 449

Um minuto de silêncio por PB algures por aí e por JEB no Brasil

Aquele minuto de silêncio por Libânio, o lendário guarda-redes do SCP que fez parte dos cromos do meu tempo de menino, deu-me um estremecimento. Nasci em 1951 e vi o Libânio em algumas colecções num tempo em que o guarda-redes podia ser Octávio de Sá, Aníbal ou Carvalho mas também Libânio. Jogava muitas vezes nas «reservas» cujo campeonato era disputadíssimo. O minuto de silêncio deu origem a um coro de assobios alguns minutos mais tarde. Ora os assobios não são dirigidos só contra o jovem candidato que os recebeu (diz ele que entram a cem e saem a duzentos) mas contra quem o colocou lá. Os assobios são contra PB que afastou Stojkovic depois de uma frase assassina nas Antas («Em caso de dúvida devia pontapear a bola») quando o erro crasso foi do árbitro e não do jogador. Com os seus delírios e as suas alucinações, PB afastou sempre jogadores que tinham jogado muito bem no domingo anterior colocando em seu lugar quem tinha treinado bem durante a semana. Foi assim com Adrien, com Pereirinha, com Yannick, com Vukcevic, depois de exibições magníficas contra Roma, Porto, Braga e Benfica. Suprema humilhação: tirou Vukcevic da final da Taça quando foi ele e Derlei que mais fizeram pelos 5-3 ao Benfica. O minuto de silêncio tem a ver com JEB no Brasil pois fugiu na pior altura, quando o seu treinador (PB for ever!, lembram-se?) depois de afastado ainda é responsável pelo descalabro por si instalado na equipa. Aquele minuto de silêncio lembrou-me também Emídio Rafael na Académica afastado por PB do SCP; ele era capitão dos Iniciados em 2000/1 ao lado de André Vilar, João Moutinho, Carlos Saleiro e Miguel Veloso. O minuto de silêncio foi para ele também.

2 thoughts on “Vinte Linhas 449”

  1. Pqrtindo do princípio que o JCF é sportinguista gostaria de lhe perguntar se acha que a responsabilidade de de numa semana encaixatr 5 2 4 golos de Porto, Ac

  2. A responsabilidade inicial é de quem afastou o guarda-redes titular da Sérvia em troca por um candidato a guarda-redes. Mas como ainda ontem à noite vi em directo e a cores o Olegário é um excelente sucessor do Lucílio. Aquela expulsão num lance em que o jogador brasileiro reentrou em campo 30 segundos depois e jogou mais 86 minutos é exemplar, tal como o fora de jogo assinalado a Pongolle quando havia 1-2. A expulsão fez o 0-1; o fora de jogo evitou o possível 2-2. Pior era impossível. Lucílio tem um digno sucessor em Olegário. Os árbitros são sempre influentes e, às vezes, decisivos. Desta vez foi decisisvo uma vez mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.