Vinte Linhas 438

«Nós por cá» todos mal na SIC e no Príncipe Real

Um dos 57 comentários no Blog «aspirinab.com» ao meu texto de revolta intitulado «O arboricídio camarário floresce no Príncipe Real» remete para um vídeo da SIC no seu programa «Nós por cá». Na altura de maior calor à volta do assunto (agora a destruição já está consumada) vi o referido vídeo mas não me apercebi da gravidade de uma pergunta feita pelo repórter ao vereador. É uma pergunta capciosa, falsa, fora da realidade: «Alguma destas árvores abatidas estava classificada?» Todo feliz, o vereador respondeu, como quem fecha uma porta: «Nenhuma estava classificada!».

O problema é esse. Não só não perguntou qual a razão que levou a «quadrilha selvagem» da CML a abater todas as árvores de um mesmo enfiamento (não estavam nem podiam estar todas doentes) mas também não perguntou porquê a ausência de parecer do IGESPAR e da AFN (Autoridade Florestal) em relação aos abates de árvores a menos de 50 metros de uma árvore classificada. Quem tenha visto o referido programa fica com a ideia (erradíssima) de que está tudo legal quando, na verdade, a destruição das árvores teve início no dia 23-11-2009 e só no dia 30-11-2009 muito à pressa e de modo atabalhoado, o IGESPAR ratificou de facto uma carnificina florestal já iniciada e concluída. Quanto à AFN ainda nada – nem novas nem mandados. Mas também agora já nada adianta. O trabalhinho está feito. Fora do assunto das árvores (o principal) é espantoso como o repórter não se lembrou de perguntar porquê a insistência num saibro que já provou não prestar noutros jardins (agora simples miradouros) com o vento a fazer do saibro açúcar maldito nas chávenas de café dos incautos turistas.

10 thoughts on “Vinte Linhas 438”

  1. Os jardins de Lisboa estão a ficar mais bonitos. Depois de S. Pedro de Alcantara, foi o das Francesinhas, a S. Bento. Segue-se o do Principe Real, quando as obras acabarem, mas já se percebeu que vai ficar muito melhor. Os cães ladram, a caravana passa.

  2. Sinhã
    O carteiro,já não toca.Nem uma ,nem duas entra e zás…e o que esta merda precisava,não bater pra entrar.É entrar,fazer e que tiver que fazer,fechar a porta e mandar o inquelino pró car…….senão não consegue entregar a correspondência.
    Era o que o Socrates devia ter feito quando tinha a maioria,fod… as cooperações que haviam e continuam a existir,para mal das nossas vidas,e que vidas…..sempre a sermos fodid… por essa especie de cidadãos, muito zelosos pelo bem da nação,quando o interesse deles não é tocado.Portanto tu e o Eça p´ra mim são uma especie de “cagação”,depois de feita e para …o autoclismo,resolver.

  3. Este «carteiro» não só não é carteiro como não passa de um rafeiroso à espera das festinhas do poder. Sobre o principal nada diz, espalha-se em generalidades tipo «os jardins estão mais bonitos» mas eu digo: «experimenta ir beber um café em dia de vento ao miradouro (NÃO JARDIM) de S. Pedro de Alcantara e logo vês o pó do saibro na chavena. Bebe e que te faça bom proveito, faslo carteiro!

  4. Quem é que te manda ires tomar café numa esplanada ao ar livre em dia de vento? E que tal tomares uma cerveja lá fora em dia de chuva? E um chazinho quente ao sol no pino do verão?
    Há cada nabo…

  5. não sei o que é que o JCF fez a estas corporações, mas quer os “bombeiros” quer os “ctt”, atacam-no em força, aqui na “caixa”…

    vamos ver como vai ficar o jardim, mas infelizmente o que existem mais são exemplos de “abate” do nosso património, que não se resume aos monumentos infelizes, que são autênticos atentados e que nunca têm culpados.

    não esqueço o que fizeram com a “árvore da boa sombra”, com mais de duzentos anos, no jardim do castelo, em Almada, com o argumento de que tinha uns buracos e estava “podre…

    só que muitos daqueles buracos já tinham mais de cem anos. e era engenheiro o jeitoso que deu ordens para delapidar o património que era de todos…

    o mais grave destas questões é que os senhores engenheiros mandam abater as árvores como se fossem do quintal deles, esquecidos que os jardins são públicos, ou seja, de todos nós.

  6. vou ver isso do Principe Real quando voltar o Sol. Amanhã?

    abater uma escultura viva fotossintética de 200 anos é abater um enorme valor. Quanto mais não seja valor de informação para esses ignorantes, em enorme valor. Eu sou como o Idéefixe quando abatem árvores tenho o coração todo naifado à conta disso mas enfim também tenho que compreender que se as raízes dos choupos (mas é dos brancos, muito menos dos negros que eu saiba) entram pelas tubagens das garagens dos vizinhos há bulha…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.