Vinte Linhas 425

A sorte que a Policia Municipal teve esta manhã

Esta manhã duas viaturas da Policia Municipal («30 74 IZ» e «60 00 VT» têm estado estacionadas em cima do passeio na Travessa de São Pedro mas não foram multadas. Se por acaso tivesse acontecido isto no dia 16 de Junho de 2009 (o dia da grande carnificina) sem dúvida que teriam sido bloqueadas como nesse dia foram todas as outras.

Esta ratoeira foi criada pelos Sapadores Bombeiros perante a indiferença da Câmara Municipal ao lado do autismo da Junta de Freguesia e na qual a Policia Municipal vem periodicamente «cobrar» em bloqueadores e dinheiro vivo (um vizinho meu pagou 210 euros em dois dias…) mereceria um estudo mais alargado. O que pode levar uma instituição como os Sapadores (que depende da Câmara) assumir-se como uma espécie de pólo inatingível pela mesma Câmara («não podemos fazer nada que eles não deixam» – frase ouvida por mim quando era membro da Assembleia de Freguesia da Encarnação).

O que pode levar pessoas ditas normais a embarcarem numa paranóia autista que tem semeado nervos à flor da pele entre os moradores doo Bairro Alto que foram burlados pela EMEL quando os obrigou a trocar um documento que lhe garantia direitos (estacionar) por outro que só os deixa circular – exactamente o oposto?

No momento em que termino este texto a viatura «60 00 VT» ainda lá está em cima do passeio e estacionada ao contrário do sentido do trânsito – com a parte da frente voltada para o Jardim de São Pedro de Alcântara como se estivéssemos em Inglaterra, país onde se circula pela esquerda. Mas a sorte deles é que hoje a Polícia Municipal não veio bloquear e multar os automóveis da nossa rua. Havia de ter graça…

12 thoughts on “Vinte Linhas 425”

  1. Os bons exemplos e a boa educação ganham-se de pequeninos.Como os policias e os presidentes de junta e os fiscais e administradores de E.M.E.L. já são crescidinhos não conseguem aprender nada , e entreteem-se a lixar a vida aos outros e não a eles mesmos, acho melhor nós vermos onde paramos a viatura, e ,entretanto,apresentar umas dúzias de queixas para ver se eles se engasgam.

  2. Quando é que te resolves a arranjar um lugar num parque para o automóvel? Muita gente no Bairro já o fez. Puxa lá os cordoezinhos à bolsa, ó poetastro.

  3. Olha, pá, não te acautels, não. Se houver fogo na tua casa, os bombeiros não devem ir apagar o fogo! Depois, pá, é sempre a mesma seca. Quando é que te calas, com essa do estacionamento na Travessa de São Pedro? E onde é que isso fica? O que importa é que continuas a chatear a malta deste blog com um problema que só a ti diz respeito. Olha, aproveita a boleia e segue o conselho aí do Sapador. Já não é sem tempo, pá! Esse é que deu na muge. Então os teus vizinhos do bairro já têm lugarzinho para os pópós e tu ficas à espera de quê, ó chaga?

  4. Tu que te dizes «sapador» és uma mentira, és tão sapador como eu chinês. Tu que te dizes «bombeiro» não além de anónimo e cobarde não passas de um burro porque este assunto envolve centenas de pessoas no Bairro Alto, todas as que foram burladas pela EMEL. Não é apenas meu como erradamente tentas fazer passar.

  5. Smpre és muito abrutalhado: alguém te chamou burro e cobarde? Isso, já são termos ofensivos. Como és um EGOISTA ( agoa sou eu que te chamo assim), queres à força benesses. Vai à Câmara fazer queixa! Não votaste no presidente? Agora, aguenta, pá! Ele tem costela de PC e tu também. De que te queixas? Pede uma audiência, que ele conhece-te bem, ele e o papá dele. Ou é mentira?! Depois continuas a meter as mãos pelos pés. Já reparaste no teu comentário? Mal amanhado: «sapador és uma mentira, és tão sapador como eu chinês»! É um PSEUDÓNIMO, pá, um PSEUDÓNIMO, e tu dá-lo como certo. E depois: «Não é apenas meu como erradamente tentas fazer passar». Tudo um disparate de escrita. Estás balhelhas! Explica lá o que é «apenas teu», pá! Vê se consegues não deitar fogo pelas ventas, e atinares com aquilo que escreves. só para a gente poder entender, ouviste, ó parvalhão histérico e maníaco?

  6. O Zé do Carmo diz que representa aqui centenas de pessoas do Bairro. Aldrabão e demagogo, poeta nas horas vagas. Está certo.

  7. Boa, é assim que eu gosto de ver as discussões.: acesas e clarificadoras, desmistificadoras, tanto para um lado como para o outro – o Sol quando nasce é para todos… e a chuva quando cai, também

  8. Este palhaço armado em «sapador» finge não saber ler mas não tem graça: eu não represento 400 pessoas nem quero mas o assunto da burla que a EMEL praticou diz respeito a essas 400 pessoas. Burro!

  9. Mas essas 400 pessoas parecem pouco interessadas no assunto. Caso contrário, já deviam ter feito um abaixo-assinado e dar conta disso aos canais de Televisão. Viria no Telejornal de certeza. Ou iriam às Tardes da Júlia! Só não entendo é que um poeta tão sensível, como parece em alguns dos seus escritos, venha ofender com palavrões aqueles que lhe chamam a atenção para o seu repisar de assunto. Se reparar bem as suas palavras são as de quem tem pouca educação e gosta de provocar os outros sem nunca admitir que têm razão. Chamar «burro» e «palhaço» entre outros nomes com que brinda quem comenta os seus posts, dão de si um retrato pouco abonatório. Se a vida lhe corre mal, o que têm os outros com isso? Ai, que se todos se pudessem queixar, qual a importância de um simples lugar à porta para estacionar o carrinho?!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.