Um livro por semana 187

Miguel Torga – Poesia por Aurelino Costa e António Victorino d´Almeida

Trata-se, em termos exactos, de um disco-livro mas não deixa de ser um livro pois o conjunto integra uma antologia breve de Miguel Torga.

O ponto de partida é Trás-os-Montes, S. Leonardo de Galafura:

«À proa de um navio de penedos / a navegar num doce mar de mosto / capitão no seu posto / de comando / S. Leonardo vai sulcando / as ondas / da eternidade / sem pressa de chegar ao seu destino». Para trás ficou a memória de infância:

«Foi um sonho que eu tive: / era uma grande estrela de papel / um cordel / e um menino de bibe. / O menino tinha lançado a estrela / com ar de quem semeia uma ilusão / e a estrela ia subindo, azul e amarela / presa pelo cordel à sua mão. / Mas tão alto subiu / que deixou de ser estrela de papel / E o menino, ao vê-la assim sorriu / e cortou-lhe o cordel.» O caminho do poeta é ser camponês de palavras, pastor de sílabas:

«Tal como o camponês, que canta a semear / a terra / ou como tu, pastor, que cantas a bordar / a serra / de brancura / assim eu canto, sem me ouvir cantar / livre e à minha altura.» E cantar, cantar sempre, haja o que houver:

«Canta, poeta, canta! / Violenta o silêncio conformado / Cega com outra luz a luz do dia / Desassossega o mundo sossegado / Ensina a cada alma a sua rebeldia.»

(Editora: Numérica, Voz: Aurelino Costa, Piano: António Victorino d´Almeida, Desenho capa: Fernando Rocha, Fotos: Nelson Vieira da Silva, Design: Vítor Ferreira)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.