Um livro por semana 174

«Sabores de África» de Conceição Santos

A Gastronomia tem muito a ver com a Literatura – ambas nascem de uma alquimia. Não por acaso a Revista Ler nº 89 deste Março de 2010 dedica um espaço significativo a textos, memórias e ideias de Maria de Lourdes Modesto, Alfredo Saramago, Marguerite Duras, Fialho de Almeida, Camilo Castelo Branco, Cesário Verde, Bento dos Santos, Brillat-Savarin, José Quitério e Francisco José Viegas – entre outros.

O que este livro nos dá em 126 páginas de receitas e 2 de vocabulário é uma grande viagem à cozinha tradicional de Cabo Verde, Guiné-Bissau, S. Tomé e Príncipe, Angola e Moçambique.

Vejamos, como exemplo, um prato de peixe, o Polvo à São Tomé: «para 4 pessoas juntar 1 polvo fresco, 250 g. de cebola, 250 g. de tomate maduro, 1 pitada de vinagre, ½ chávena de óleo de palma, louro, picante q.b. e sal q.b.; depois leve ao lume o óleo de palma, a cebola e o tomate picados, a folha de louro, o picante e o polvo amanhado e cortado aos bocados. Deixe cozer em lume brando e vá mexendo de vez em quando para não se pegar. Se necessário vá juntando um pouco de água da cozedura do polvo. Depois de cozido adicione o vinagre. Deixe ferver com a vasilha tapada, para apurar. Rectifique os temperos. Sirva com papas de mandioca ou com arroz branco».

A partir deste apetitoso exemplo é só partir à descoberta dos outros pratos. Bom apetite!

(Edição: Porto Editora, Capa: Hugo Andrade, Fotos: Mário Santos, Imagem Capa: Masterfile Portugal)

5 thoughts on “Um livro por semana 174”

  1. Que borrada de receita: pegue num polvo fresco, depois va cozendo o animal, etc. etc., em lume brando, se necessario junte um pouco de agua da cozedura do polvo. Nao diga mais: e o polvo (ou, antes, o seu caldo)quem mais ordena. Imaginem essa senhora a trabalhar na seccao de financas da camara municipal dos cefalopedes de S. Tome! E depois juntam-s nomes insignes das nossas Letras para enriquecer o receituario evender mais uns livros. Uma sopa de letrinhas de massa italiana faria o mesmo servico e ficaria mais barato.

  2. É pá tu como chefe não interessas a ninguém. Em vez de sangue tens vinagre nas veias por iso só te sai ódio em vez de palavras. Nem percebeste nem quiseste perceber que se trata de uma simples nota de leitura de um simples livro. Vai-te lixar!

  3. Ah era uma “nota de leitura”? Desculpa mas eu pensava que nos estavas a apresentar um dos candidatos ao Grande Premio do Camarao Literario Portugues. As minhas desculpas…

  4. ..certamente Polvo não é peixe e talvez “LE CHEF” nem seja “CHEF..ms esta Senhora e autora ensina e passa humildemente a muitos “LE CHEF’s” a simplicidade na confecção de comeres tradiçionais com um “know how” de alguém que mostra e ilustra os verdadeiros sabores e perfumes à mesa de boa boca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.