Rua da Misericórdia

Ao contrário dos lojistas de Cesário Verde
Marta não usa a bata nem o guarda-pó
nem vende drogas, miudezas e ferragens.

Vende sim sonhos em forma de tela colorida
seja o acrílico, o óleo, o pastel ou a aguarela
em paisagens povoadas por gente mais diversa.

Às vezes são grandes plantações de alfazema
ou são músicos em clubes nocturnos de jazz
ou ainda palhaços no intervalo das lágrimas.

Marta sabe; o Bairro Alto nasceu em 1513
um casal assinou a escritura num tabelião
e assim nasceu um bairro fora da muralha.

Algures entre São Roque e o azul do Tejo
passam por aqui os marujos e os calafates
e mais soldados para os navios da Índia.

Por aqui passaram os ardinas a correr
gritando notícias de primeira página
todos derreados pelas sacas dos jornais.

Hoje a desordem está mais massificada
garotos de 14 anos apanham bebedeiras
urinam as portas das casas e os automóveis.

Estudantes do Erasmus pegam em garotas
que deitam no tejadilho dos automóveis
dos moradores que sofrem desprevenidos.

Há gente a vender cerveja em garrafa na rua
a meninos que depois colocam a garrafa
junto ao pneu do carro já à espera do furo.

Ao contrário dos lojistas de Cesário Verde
Marta não se enfada no calor das tardes
lembra as filhas, conhece o tempo e o lugar.

11 thoughts on “Rua da Misericórdia”

  1. os coscoirões a óleo abrem o apetite e regados a bjeca dão vontade de mijar nos pneus ou mesmo montar uma instalação de garinas no capot do citroen do xico.

  2. ganda maluco. esse poema tá o máximo, só faltou dizeres que a hoover te pôs os cornos com a míele mais aquela cena marada do assalto.

  3. “Ao contrário dos lojistas de Cesário Verde
    Marta não usa a bata nem o guarda-pó
    nem vende drogas, miudezas e ferragens.”

    pois, o tráfico já não é como antigamente, ninguém vende droga, tão pouco guardam o pó e os dealers já nem vestem bata. uma bandalheira de pôr o cesário vermelho.

  4. “Vende sim sonhos em forma de tela colorida
    seja o acrílico, o óleo, o pastel ou a aguarela
    em paisagens povoadas por gente mais diversa.”

    o comes-e-bebes é que está a dar, sonhos acrílicos, farturas em óleo, pastéis coloridos para todas as raças e credos, tipo benetton tás a domar a cena?

  5. “Às vezes são grandes plantações de alfazema
    ou são músicos em clubes nocturnos de jazz
    ou ainda palhaços no intervalo das lágrimas.”

    é o que tá a dar, são plantações de alfazema, misturada com coentros dá uma ganza macrobiótica bué da fixe caté o cheiro a mijo parece lavanda. ganda palhaço me saíste tu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.