Livraria do Simão

A mais pequena livraria do Mundo

Fica nas Escadinhas de S. Cristóvão nº 18 (à Rua da Madalena) na Baixa, tem o telefone 211106666 e o código postal 1100-512 Lisboa. O seu proprietário Simão Carneiro tem 37 anos de idade, uma licenciatura e uma pós-graduação em Enologia mas o seu mundo é este: livros usados, raridades bibliográficas, discos, papéis antigos, gravuras, manuscritos e banda desenhada. A casa tem um metro de largura e 3,80 metros de comprimentos – o que perfaz 3,80 metros quadrados. De tal modo é maneirinha a livraria que quando o cliente curioso entra, o seu proprietário tem de sair. Não há espaço para dois seres humanos lá dentro. O espaço foi arrendado há quatro anos e tem uma frequência interminável de gente que vem do Castelo para a Baixa a pé. Ouve-se falar inglês, castelhano, francês, italiano, russo. Os turistas acham graça e às vezes compram. Há aqui um pequeno «stock» de livros estrangeiros.

Mas há quem recorde este espaço como uma tabacaria onde em tempos passados os rapazes das redondezas compravam cigarros à unidade – 3 cigarros «Provisórios» por 5 tostões, 5 cigarros «Definitivos» por 10 tostões. E o inevitável «Condor Popular» mais o «Cavaleiro Andante»; nos mais antigos ainda a memória do pioneiro, «O Mosquito».

Hoje a mais pequena livraria do Mundo tem o seu espaço quase repleto de raridades bibliográficas: Jorge de Sena, Ruy Cinatti, António Botto, António Nobre, Vitorino Nemésio, José Saramago, a antologia da Poesia Portuguesa do século XX da Moraes Editores. Há de tudo, entre 80 e 1.000 euros. Mas também há muitos livros a 5 euros e até a 1euro…

Desde que a descobri numa tarde de Verão tenho ido lá com frequência e nunca me desiludi. Aparece sempre uma surpresa agradável. Há de tudo e para todos os gostos: desde a biografia de Marilyn Monroe ao livro de entrevistas de Fernando Assis Pacheco, desde um livro de crónicas de Rubem Braga à obra poética de Carlos Drummond de Andrade. Ou seja – o Sentimento do Mundo na mais pequena livraria do Mundo.

9 thoughts on “Livraria do Simão”

  1. não conheço, JCF.

    mas também não me sinto muito curioso, gosto de poder andar à volta dos livros, coisa impossível nesse espaço diminuto, que tem a curiosidade de querer ser a livraria mais pequena do mundo (aposto que na China existe em mais pequeno…).

    Boas Festas para ti JCF e para os teus e continua com coragem para enfrentar, carteiros, bombeiros, sapadores, sinaleiros, ou seja lá o que for.

    boas inspirações para 2010.

  2. Errado, pois a livraria mais pequena do mundo, como toda a gente sabe, é a biblia. Por acaso, ha quem defenda que “não há espaço para dois seres humanos lá dentro”.

    Ha que reconhecer, no entanto, que ja ouvi chamarem Simão a quem faz comércio do seu recheio, portanto, vai na volta… até é capaz de estar certo.

    Bom natal aspirina B.

  3. Há ainda quem se acredite no Natal. lol.
    Os que me desejarem felizes naitais, pouca sorte terão :-) Ou não lhes respondo, ou mando-os à merda. Scrooge Cláudia.

  4. Caríssimo e ilustre proprietário da Livraria, apenas um reparo. Também sou um «bota de elástico» e aprecio estas coisas dos livros antigos e por vezes quando passo pelas montas da Livraria, apetecia-me perguntar algo sobre os livros e até comprar.
    Sucede, no entanto, que sempre que lá passo (em horário de funcionamento da Livraria), raramente está aberta.
    Aconteceu isso esta manhã, de novo.
    Há um telefone fixo mas não atende (naturalmente) e um telemóvel que com o tempo se encontra imperceptível.
    Há maneira de cumprir mais o horário de funcionamento do Templo do Saber (ainda que candidato à sua pequenez)?
    Obg.
    Cpts.
    JC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.