Belém – Porto Brandão

Nas pequenas viagens pode haver a saudade das grandes rotas.

Sombras, soldados, frades, caravelas perdidas, um império.

Ao fim da tarde jovens de calções enchem o barco, trazem ruidosos leitores de cassetes, quase não falam, beijam-se para que todos saibam.

Transportam o sal do mar e vão chegar a casa muito tarde.

Alguém cuidará do jantar. Há, pelo menos essa certeza.

__

José do Carmo Francisco in «Transporte Sentimental» (1987)

Fotografia de António Brito

5 thoughts on “Belém – Porto Brandão”

  1. É, quanto a mim, o melhor trajecto para atravessar o rio Tejo, ao fim da tarde, com o sol a pôr-se no mar.Um pequeno cruzeiro low cost.

    “… Aqui
    vou eu
    para a costa
    aqui vou eu cheio de pinta
    de Lisboa vou fugir
    vou pó sol da caparica ”

    Atenção que esse não é o barco da ligação Belem-P.Brandão. Esse é o que leva carros, T.Paço-Cacilhas.

  2. os cacilheiros são sempre um óptimo “transporte sentimental”…

    pena terem acabado com a carreira Cacilhas-Belém, uma versão mais longa da travessia do Tejo…

  3. Quando pedi emprestado a foto ao meu amigo António Brito vi logo que ia resultar. E lembra o Casario do Ginjal. Um abraço ao seu mentor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.