Balada do consultório

Na sombra do consultório

Onde o olhar é um mundo

Do envelope ao relatório

Numa gaveta sem fundo

A desordem dos ficheiros

Entre nomes e apelidos

Vives minutos certeiros

Se ordenas os perdidos

No telemóvel esquecido

Ficam várias mensagens

As palavras, seu sentido

Ganham força de imagens

Na nuvem que mais além

Empurra o vento da serra

Entre Sintra e o Cacém

Coração em pé de guerra

Das palavras não perdidas

Há resposta no outro dia

Num poema, duas vidas

Respira outra melancolia

A vida não é o concurso

Nem o prémio de lotaria

Entre memória e discurso

O teu olhar traz poesia

É promessa de relatório

Raio X duma tristeza

Na sombra do consultório

Telemóvel sobre a mesa

Fica um perfil registado

Do teu rosto, fim do dia

Eu levo para todo o lado

O que este olhar anuncia

10 thoughts on “Balada do consultório”

  1. É pá, não é nada «bonito» atirares com esta notícia sobre o meu poema. Trata-se sim de uma feia provocação. Se não tens nada de teu para dizer faz como na tropa se dizia: «Tá calado e cala-te!»

  2. confesso que foi uma provocação – já agora queria ver como andavam essa barbas e o território – mas foi porque achei o poema e a notícia bonitos pá, bonito fui eu que escrevi. Mas o que se passa, não achas bem a notícia?

  3. Oxalá que o Raio X anuncie só coisas boas, jcfrancisco.
    E o Eaio XX a pooesia daquele olhar.
    Força !
    Jnascimento

  4. Se tivesse jeito , escrevia em verso, aquilo que gostei do seu poema,e dizia que o que nos aproxima é a espera de um resultado, de uma decisão ,de um diagnóstico, de uma sentença, de algo que nos suspende a existencia ,e que nos leva a olhar para fora de nós e ver aquilo que não fizemos e que deviamos ter feito. Áté sempre.

  5. Podias ter dito logo que era uma provocação, assim toda a gente percebia. Mas está fora do contexto… Não deixa de ser um passo em frente no país do mundo ocidental com mais pobres e analfabetos.

  6. era uma provocação mas não era tão acintosa como interpretaste, eu estava de cauda a abanar e vieste logo de colminhos acerados defender o território. Não está nada fora de contexto, espero que seja um sinal correlativo de que irão lá aprovar um serviço nacional de saúde ou parecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.