8 thoughts on “Tudo normal”

  1. ps mais perto de cavaco?diz muito mas resulta em pouco. quero o meu ps de volta. Elegi o ano de 2013 como o meu ano da utopia (não dos milagres). Se já vale tanta coisa sem norte, eu também posso. Porra.

    Limpem o PS, congressem, façam uma merda qualquer, para podermos ter novamente alternativas.Este não presta, salvo honrosas excepções que não fazem o geral – Galamba, Horta, Silva Pereira.
    Enquanto não tivermos PS, não temos saída deste buraco de esgoto.

  2. Ainda há quem julgue que o meu sistema de comentários é lixado. Da-se. Até o racíonio se perde. Sem acordo ortográfico e tudo. O tudo é que é mais fodido.

  3. primo,
    exacto, o tudo é que é mais fodido. Quanto ao sistema de comentários, mais vale mau feitio que mau carácter.

  4. A grande notícia é que Cavaco cada vez está mais próximo do fim.

    Vai acabar-se o bolo rei, vão acabar-se os carapaus alimados de estado da maria e tudo o resto.

    O tempo passa depressa e este PR não tem nada para ficar na História. Quando diz que disse, não tem consequência.

    CS foi a nossa maior inutilidade e aberração desde o 25 de Abril. Mas o tempo passa depressa.

  5. Sabem o que é que fica depois das portas, não sabem? A rua!
    O ómem está no bom caminho… tenham paciência.

  6. “CS foi a nossa maior inutilidade”
    Oh! Tra.quinas, inutilidade? Para a grande, grande, grande maioria dos portugueses és capaz de ter razão. Agora, para aqueles seus amigos de peito, que sempre o acompanharam e que à sua sombra fizeram aqueles “miracolosos” negocios! Não para esses não foi inutilidade nenhuma, eu diria que foi a sua sorte grande, a sua boa estrela. E eu, não sei nada, não tenho nada para dizer, somente aquilo que tenho ouvido nas televisões e escrito em jornais e blogues. Mas que o homem não tenha também lucrado com isso? Não, isso ninguém me conseguirá convencer.

  7. Caro José, a frase foi necessariamente provocatória.

    Não existem dúvidas que o senhor foi da maior inutilidade para o desenvolvimento do País com que sempre pretendeu mostrar-se muito preocupado.

    Diz que não quer ficar na história como político mas como técnico. Por mim concedo-lhe de imediato o desejo.

    Foi o técnico que vendeu a nossa frota de pescas e a agricultura à UE por meia dúzia de euros. Foi o técnico que com os fundos de formação profissional maior incremento deu ao comércio de viaturas de tracção às quatro rodas. Foi o técnico que maior número de especialistas formou para as falcatruas bancárias.
    E neste momento já deve ser, não o maior constitucionalista, mas o maior especialista em tentar contornar a Constituição.

    E, na verdade, o pai do monstro sou eu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.