Portugal dos pequeninos

A ministra das finanças olha para a irlanda e anima-se. Se lá correu “bem” o memorando funciona, esta política funciona, nós também não precisaremos, talvez, de um “programa cautelar”. De resto, temos um trimestre que diz tudo sem estudo: 0,2% de crescimento.

Machete, por seu turno, sabe que com juros a 4, 5% da dívida podemos ir a mercados (?).

Este é o Portugal dos pequeninos.

Em duas coisas: comparamos o incomparável e analisamos o estado estrutural de um país com números respeitantes a três meses, desde que bonzinhos, mas sem qualquer estudo acerca do significado desses números: a que se devem, quais os setores em causa na descida do desemprego, se há alguma coisa que possa ser analisada em termos efetivamente estruturais, de durabilidade.

Portugal dos pequeninos escuta mensagens contraditórias do governo porque o governo emite mensagens à medida de notícias pontuais, como a notícia da recuperação da Irlanda, que não quer programa cautelar, donde o oráculo do momento a dizer que nós vamos bem, como eles.

Isto não é ignorância, é desnorte remendado. A ministra das finanças sabe que o que se passou na irlanda não foi, não é, e nunca será comparável com Portugal. Dos pequeninos.

A ministra das finanças sabe que a estrutura económica, os níveis de pobreza, os níveis de qualificação na irlanda são outros que, numa pátria de menos de 5 milhões de habitantes, ajudam bastante a que um programa de assistência não tenha o impacto monstruoso que o programa de austeridade aplicado ao Portugal tem.

A ministra das finanças sabe bem que as causas da assistência financeira à irlanda em nada se assemelham com as causas do pedido de resgate português.

A ministra das finanças sabe que a irlanda nunca se pôs de gatas perante os seus credores, sabe que o povo irlandês está representado com quem se realmente se senta à mesa para discutir e não apenas para ouvir e comer.

A ministra das finanças sabe que as medidas de austeridade aplicadas à Irlanda nada têm que ver com as medidas de austeridade aplicadas a Portugal. Dos pequeninos.

A ministra das finanças sabe também que os 0,2% que nos tiram da recessão, nesta análise pontual elevada a estrutural, que o OE em discussão tem tudo para fazer explodir com a notícia.

Convinha ter uma ideia estrutural para Portugal, que não reduziu a dívida, que não reduziu o défice e que falhou em todas as metas.

A ministra das finanças se tivesse uma visão estrutural do país – que a troica se atire a uma abstração já é letal, mas convinha que quem governa o concreto, Portugal, soubesse do que fala – teria de chegar à conclusão de Gaspar: esta política não funciona e evidentemente um programa cautelar (seja lá o que isso for) é a certidão de óbito da tal da política de austeridade na qual estava incluído como objetivo o regresso aos mercados no final do programa, e não depois dele.

E vivemos assim, com um relatório do FMI a bater no TC, a dizer de baixar ainda mais os salários, isto e outras loucuras numa visão que vai até 2016, ano que não teremos mais, espero, esta ministra das finanças e este governo.

A lógica do empobrecimento da população tem método: o FMI bate na função pública, chamando-a de privilegiada em relação aos privados; depois de empobrecida a função pública, exige menos salários para os privados, talvez para nivelar; ataca-se as pensões, com o mesmo método, para depois se baixar as reformas e dar cabo da segurança social. Isto é ideologia pura, maoista, e abraçada por este governo.

Estão a conseguir. Os mais ricos de Portugal estão mais ricos e a restante população está mais pobre. A pobreza, hoje, no Portugal dos três em três meses, é insuportável.

Tudo o resto é essa coisa do desnorte remediado com declarações pontuais sobre comparações incomparáveis e sobre números que dizem nada de nada sobre Portugal.

Vale a pena ler o relatório da organização internacional do trabalho, esse pilar do qual fazemos parte, que explica fundamentadamente como em momentos destes as medidas a tomar são as opostas às tomadas.

Vale a pena desligar a televisão e não ouvir passos, nem Passos, nem Machete, nem Barroso, que gostava que existissem mais Alemanha na Europa, o que congelaria as relações económicas entre países, vale a pena desligar a televisão quando nos ofendem.

Certo é que entre a OIT e um técnico do FMI o governo sabe quem prefere ouvir.

 

24 thoughts on “Portugal dos pequeninos”

  1. lá, como cá as medidas só serviram para os credores endossarem a dívida e o kenny aproveitou a distracção da merckla em formar governo para dar xeque à chulice, coisa que nunca passaria por baixo dos penteado do ken de massamá ou da barbie marilú. o resto é concurso de peidos para ver quem apaga a vela.

  2. Na minha leitura, interpretação e opinião, que admito ser contraditório à ideologia lunática dos autoproclamados democratas, quem se compromete a pagar as dívidas, que o anterior governo contraiu em nome de Portugal, — está a honrar a Nação e todos os Portugueses.
    Já aqueles que dizem: — “pagar a dívida é coisa de criança” ou “a dívida não se paga, e pronto!”, estão a desonrar Portugal e a fazerem passar todos os seus concidadãos por caloteiros.

    Portanto, o culpado é quem cometeu o pecado e não que tenta salvar os ‘móveis da casa’. Pois, goste-se ou não do homem, Pedro Passos Coelho é uma pessoa competente e fiável. Claro que, tendo recebido uma herdança repleta de trafulhices e artimanhas, com os registos financeiros martelados e cozinhados — um País à beira da falência, não pode fazer milagres.
    Caso os Portugueses sejam mesmo masoquistas, essa missão está reservada para o ‘profeta’ António José Seguro, seus «Deuses e Apóstolos». Isabelinhas e demais aspirinas, balofas e muito “SEGURAS” de propostas realistas … Verdadeirtas Alforrecas Políticas.

  3. Sobre a medíocre figura de Seguro, das suas propostas e demais apaniguados e patéticos membros do aparelho, aqui fica uma ilustração que dispensa comentários: instado por jornalista a apresentar a exigível, a um governante, experiência profissional e da vida, envergonhado por nada ter, invocou uma empresa da família. Simplesmente essa empresa é gerida pela mulher…

    O que é que a Isabelita já geriu, assim a modos qualquer coisita que não fosse mais um tacho do estado? Esclareça-nos SFF !!!!

  4. “… invocou uma empresa da família. Simplesmente essa empresa é gerida pela mulher…”
    parece que a mulher do gajo herdou umas famácias e que passa por lá ao fim do mês para arrecadar o que sobra, últimamente a coisa gera pouco.O que é que a

    “Isabelita já geriu, assim a modos qualquer coisita que não fosse mais um tacho do estado?”
    claro, do imobiliário à agricultura, passando pelo bric-à-brás e assessorias nos negócios estrangeiros ou fundações com bué de graveto, é sempre a gerir.
    http://www.parlamento.pt/DeputadoGP/Paginas/XIIL_RegInteresses.aspx?BID=4452&leg=XII

  5. @ Melicias ,

    A tua diatribe não resiste 10 segundos ao confronto com a realidade, ficando a sensação que das duas uma: ou és maluco ou um completo idiota.
    Eu inclino-me mais para uma terceira opção: és um mix dos dois.

    O teu amigo que ganhou uma eleição mentindo despudoradamente aos portugueses, falhou todas as metas estabelecidas por si próprio, e enterrou o país numa espiral recessiva como não há memória.
    Até hoje pagou ZERO da divida, aliás aumentou a em 40%!
    Portanto números que suportem a tua afirmação não existem, e é por isso que cobardemente os omites.

    Quanto à tese do “buraco colossal”, que em desespero, procuras aqui ressuscitar – recorrendo a um argumentário absolutamente primário, diga-se de passagem! – mais uma vez não resiste à realidade dos números que são públicos e estão na net, dado que até um palerma como tu os consegue encontrar. Por tanto não passas de um ignorante por opção sendo que tudo aquilo que afirmas mais não são do que meras mentiras que ouviste dizer e que repetes acéfalamente, feito um papagaio.

    Quanto à tua converseta saloia do “pecado” e dos “caloteiros”, mostra que não entendeste nada do que se passou em Portugal e no Mundo nos últimos 6 anos. Deves viver noutro planeta. Por isso mais não fazes do que debitar essa cassete estafada e medíocre.

    Quanto ao Passos Coelho ser “uma pessoa competente e fiável” digo-te que começou a trabalhar aos 37 anos e logo lhe foi calhar como primeiro emprego ser administrador de uma empresa que durante o seu mandato se viu envolvida numa fraude descarada, envolvendo dinheiros do fundo social europeu. Quanto ás mentiras que já disse vai para 3 anos de mandato, são tantas e de tão má qualidade que já se perdeu a conta. Enfim, um verdadeiro bastião de honestidade esse vendilhão de feira que insistes em dizer ser banhado a ouro mas que todos sabemos ser reles pechisbeque.

    Quanto ao Seguro, não te queixes, tens é que lhe agradecer, porque com outro no lugar já não eram governo há muito tempo!

  6. Esta arrastadeira que anda aqui a malhar no Seguro a pensar que com isso ofende alguém anda mesmo a apanhar bonés…

  7. O país na ruina e a xuxaria fanatica nao desarma. Perdemos a independencia, somos considerados como pedintes de mao estendida, incapazes de definir o seu proprio destino sem pedinchar ajuda. Como país comprometemos um projecto europeu, trafulhamos as contas, gastamos o que nao temos… mas para os xuxas empedrenidos, estes sao pequenos nadas, indignos de nota.

    Ha por aqui uns burros agostinhos que dizem que o dinheiro nao se perdeu no mandato do Pinóquio, que foram investimentos. Poderia ser. Mas nao e. E que um investimento para o ser deve ter um retorno superior ao custo. E socrates fez demasiados “investimentos” em que o retorno e ridiculo para o pais, mas enorme para os amigalhacos. Nao e investimento. E desperdicio. Por isso estamos falidos. Socrates sabia-o demasiado bem. Ele nao e incompetente. Ele e um trafulha sem escrupulos – e dos mais competentes!

  8. De facto em matéria de TORTURAS ninguém bate Socrates – porque é um grande especialista. Mestre, mesmo. de Fó-dó-Sofia. Na realidade dizem que estamos em democracia embora torturados com dividas que Socrates nos legou para serem pagas por mais de 20 anos. Já me esquecia que Socrates disse que as dividas não se pagam….como aprendeu na universidade. Em Paris … o grande FDP trafulha e Incompetente.

    E não! Tu não és Maluco nem Idiota ò Arturinho das Tretas: tu só podes ser é … digamos: Pateta Alegre e sorridentemente Lambe-Botas requentado.

  9. as arrastadeiras do regime ficaram histéricas e disparam para todo o lado com as declarações do fernando sá, andré macedo e do pinto monteiro, que lhes deram cabo de 6 anos de pintura holocaútica dos governos anteriores e diabolização do sócras. aguardam-se a todo o momento reforços de belém, para restabelecer a situação, com mais uns prepúcios a roteiros ou uma intervenção solene do cavacoiso numa inaguração de um barracão para armazenar cerejas na cova da beira.

  10. às tantas, Isabel, os pequeninos ao leme de Portugal focam-se na ideia de globalização como um processo histórico de integração e interdependência económica, política, social e religiosa para justificar o fracasso da economia doméstica e a crescente assimetria de recursos conducentes à riqueza. e a pobreza? a pobreza é um pormenor dos pequeninos.

  11. Pois! Tava visto que a técnica XuXa de entreter os incautos e pategos, com promessas infindáveis de leite morno e gratuito, vindo directamente da teta do estado social inesgotável, ao sabor dos bafientos chavões filosófico-ideológicos constitucionalmente garantidos, tem um manual internacional.

    O desastre estava anunciado desde a primeira hora da candidatura do messieur Hollande e das suas fantasiosas visões do mundo. Ainda vivem no sec. XX presos a atavismos patéticos. Como por aqui, como bem demonstrou o Pinóquio e a sua Sarabanda reumática de Isabéis, Valupis, Penépoles, Galambinhos e Hollandes-liKe.

    Um tesourinho deprimente … de santa e abençoada solidarité, fraternité et igualité.

    Vive la Xuxarie heureuse e vive la Catedrale de la Mistification Socratine.

  12. De repente emergem do anonimato banqueiros e outras gentes abastadas que vivieram sob o fardo dos impostos do estado social de Sócrates. Agora respiram de alívio, sob a gestão clarevidente de PCoelho.

    Comentam afanosamente nos blogues com receio do comunisno do PS, que, dizem, nos queria tirar as nossas casinhas, as nossas poupanças, e nos queria obrigar a trabalhar por meio tostão para o resto da vida…

    AONDE É QUE EU JÁ VI ESTE FILME ?

  13. “ministra das finanças olha para a irlanda e anima-se. Se lá correu “bem” o memorando funciona, esta política funciona…”

    Desculpem lá, mas “por aqui” vive-se num constante equívoco. Se alguém acha que ter por cá o fmi é algo positivo, o mais provável é ser socialista (ou, pelo menos, intitular-se como tal…).
    Não foi pela mão do PS que, por 3 vezes em 30 anos, o país foi conduzido à situação de bancarrota e tivemos de pedir ajuda?!

    http://jornalismoassim.blogspot.pt/2013/04/falacia-da-realidade-paralela-socialista.html

  14. “Não foi pela mão do PS que, por 3 vezes em 30 anos, o país foi conduzido à situação de bancarrota e tivemos de pedir ajuda?!”

    não foi bem assim, o ps mandou vir o fmi 3 vezes para reparar a merda que os outros fizeram. a primeira para pagar os desvarios do prec, a segunda para indemnizar a direita da merda que os comunas fizeram e a terceira pelo que a direita andou a roubar de mão dada com a banca estes anos todos.

  15. As arrastadeiras estão à beira de um ataque de nervos !
    Repetem as parvoeiras que se habituaram, como papagaios,
    não há qualquer vestígio de inteligência, são de uma indigên-
    cia repugnante … sabem que a mama está a acabar por isso,
    ficam como as baratas tontas ao verem as biqueiras do exter-
    minador!!!

  16. Nunca mais ouvi a rapaziada socialista falar das proezas do Hollande. Não era o maire de Tulle que ia salvar a Europa das garras da Frau Merkel?
    O que está a acontecer em França, é o que acontece quando os sapateiros querem tocar rabecão. Os franceses não têm do que se queixar, porque elegeram Hollande com um entusiasmo que não se via desde 1981. Agora aturem-no!

    O Hollande, o farol do Tozé e da esquerda socretina portuguesa, é incriticavel em Portugal. É o salvador da França, da Europa, e de Portugal, quando o PS estiver no governo.
    O que os media em Portugal não falam, ou falam à “boca pequena”, é no OE da França para 2013: um corte na despesa publica de 30000 milhões de euros, e a divida publica já ultrapassou os 100% do PIB. Quer dizer: o mãos largas Hollande, já está a fazer um ajustamento à economia, antes de a isso ser obrigado. Temos de lhe reconhecer um mérito: está a pôr as “barbas de molho”!

    Por aqui são os pacholas do costume, os que acham que o PEC4 é que nos tinha salvo da desgraça.

    Ao som deste must socrático ; http://www.youtube.com/watch?v=3588JH9C-wM&feature=player_embedded&list=PL939D8E1DFA002521

  17. mais uma vez uma leitura real do que se está a passar neste país.
    parabéns Isabel pelo comentário assertivo por ti feito.

  18. Tanta baboseira, tanta inguenorância e tanto ANALFABRUTO a vomitar por aqui e a caravana, calmamente, continua a passar, a passar… Para desepero dos ORANGOTANGOS de todas as espécies e sub-géneros que continuam a “ANDAR POR AÍ” aos caídos, até que um qualquer tufão como o Yolanda os varra para o único sítio onde não fazem mal a ninguém e de onde, aliás, nunca deveriam ter saído: a PUTA QUE OS PARIU.

  19. Estou desolado com as comparações, exemplos e com os políticos em geral. Querem bons exemplos têm a Islândia ! Os milhões de euros que têm entrado em portugal estão nas mãos de alguém e não é nas de quem produz algo , por assim dizer trabalhe para ser roubado! Por políticos, bancos,grupos económicos com interesses obscuros,farmacêuticas por exemplo e grandes superfícies comerciais que exploram mão de obra . E destruiu o comercio local que era melhor para economia! Bom já da que pensar, não gosto de cansar os meus neurónios com coisas que ninguém quer ver, Alvorada Portugal o relógio faz tic -tac.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.