Para não variar, temos Cavaco

As declarações do PR seriam cómicas se não fossem preocupantes, porque mais do mesmo, enganadoras, a revelação à boca de cena de tudo o que já se escreveu sobre a figura. Estou a escrever sobre estas declarações, que mereceram o texto luminoso do valupi.

Já não tolero, tendo de tolerar (pois), que Cavaco use os cidadãos como pregos do caixão que quer meter fundo na terra. A indecência com que afirma que o PEC IV “terá apanhado de surpresa os Partidos e os portugueses” é para lá de qualificação: esse bálsamo chamado PEC, ainda por aprovar, que Cavaco acha que devia ter sido apresentado em forma de projecto aos Partidos “e aos portugueses” , entidades equiparadas e ambas em choque pós-traumático.

O carinho de Belém vem em mais um discurso directo via declarações aos jornalistas explicando que assim não foi possível fazer nada, que agora tem de actuar “com muita ponderação” (shiiiiiiuuuuuuuu), medindo as palavras (iupiiiiiii), e alguma reserva”

Diz ainda que é o último garante do normal funcionamento das instituições democráticas. O último, imaginem.

Bom, deixem lá a Manuela Ferreira Leite falar. Sem reserva.

18 thoughts on “Para não variar, temos Cavaco”

  1. Não deram cavaco ao Cavaco, dizendo que o PEC era matéria do Governo e da AR, agora vêm dizer que o Cavaco deveria ter intervido?!?! Decidam-se porra… Se ele tivesse chamado à atenção do Sócrates, os calimeros do costume viriam dizer que ele não tem nada que se meter e que estava a unir-se à oposição, enfim, estou farto dos calimeros deste país, queixam-se de tudo e de todos mas eles nunca têm responsabilidade em nada, é tudo os outros, bem tipo do portuga.

  2. o problema deles é o governo ter feito o que devia e não ter dado cavaco para os boicotes habituais, se tivesse consultado antes eram os habituais 300 mil da avenida e respectivas greves dos reformados, professores e função pública, assim não consultou e o programa de contestação é o mesmo. ia dar ao mesmo, todos querem andar de descapotável nas scuts e a morfar sandes de lagosta, mas ninguém quer pagar bilhete ou crustáceo.

  3. Fazer o que devia, na opinião da minoria governamental, já se esqueceram que não têm maioria (lá está, Cavaco nunca deveria ter permitido tal (des)Governo)? Os outros PEC’s “pediram” igualmente sacrificios e mesmo assim houve acordo, porque é que desta vez não haveria, só porque sim, só porque os iluminados dizem que sim? Os factos desmentem os iluminados.

    O problema dos crustáceos e afins, é que houve uns ilusionistas que andaram a oferece-los, a dizer que eram de borla, que, de onde eles vinham, haveria mais, até que os pescadores vieram dizer aos ilusionistas que alguém tinha que pagar a conta.

    Mas os mesmos ilusionistas continuam a iludir e há quem ainda vá na conversa …

  4. Ilusionistas a oferecer super-abundância fazendo acreditar que a fonte não secaria? Que fazes, Adolfo? Agora criticas os idos tempos de governação de S. Exa o maravilhoso, impoluto, magnânimo e genial Cavaco? Não remexamos no passado, vá.

  5. Também edie, critico todos os que criaram ilusões e viveram em ilusões. Mas ok, como neste país nunca ninguém tem responsabilidade ou ela é sempre dos outros, tá-se bem, e siga a ilusão, cada vez menor, mas siga!!!

  6. edie, discordo: é imperioso que se remexa o passado o passado incluindo aquele que os Adolfodias não querem revisitar e ver o que eles (PM Cavaco e suas maiorias) fizeram a seguir à intervenção do FMI de 1983/85.

  7. criaram ilusões, viveram de ilusões e agora não querem pagar as ilusões porque as responsabilidades são sempre dos outros, argumento típicamente caloteiro rasca. contribuir para o pib? tá quieto, somos todos doentes e passamos a manhã nas análises, que são baratas.

  8. Diz lá então e.dias, compara o crescimento da economia, a taxa de desemprego, a divida externa, etc, etc, revisita o que quiseres …

  9. incluindo os milhões a fundo perdido que pingavam diariamente?
    É que para se comparar resultados, tem de se comparar as circunstâncias em que eles surgem.

  10. Quando disse milhões diários estava a falar literalmente. Não, não é isso que tem acontecido nem nada que se compare. E por comparar…mesmo com essa situação maravilhosa em que não é preciso nenhum génio para governar, o Cavaco ainda conseguíu chegar aos 9,6% de desemprego. O homem não é o máximo? Claro que é!

  11. Por falar na velhinha :

    “Tão depressa o Governo se responsabiliza pelo que possa correr bem, como responsabiliza os factores externos pelas más notícias. Tão depressa critica as instituições internacionais, como vai à senhora Merkel pedir ajuda para logo a seguir dizer que não precisa dela”

  12. Quero chegar a que é preciso muita falta de vergonha na cara para vir denunciar o desemprego actual, na conjuntura actual, quando, tendo tido condições favoráveis como nunca houve em Portugal, não fez nada pelo desenvolvimento do país e nem o desemprego conseguiu estabilizar.

    Quero chegar ao ponto em que se conclui que, ao contrário do que propões, há comparações que têm de ser feitas em contexto. Como disse atrás, e detesto ter de me repetir, mas às vezes é preciso desenhar o boneco a traço grosso: “É que para se comparar resultados, tem de se comparar as circunstâncias em que eles surgem”.

    Quero chegar a isto: Cavaco, que agora se mascara de salvador da pátria é um hipócrita egocêntrico da pior espécie.

  13. “… que mereceram o texto luminoso do valupi.” O Valupi é o nosso farol. O Valupi brilha no escuro. O Valupi é a luz ao fundo do túnel. O Valupi é o rasto flamejante do cometa que ilumina a escuridão da nossa existência. Morra a escuridão, viva o Valupi, plim.

  14. é patetice discutir os tempos de cavaco comparando-os com os de sócrates, e dizer que não houve desenvolvimento do país com cavaco é também injusto. algum dinheiro vai sendo aplicado e então quando havia tanto… a europa, as ajudas, a evolução tecnológica, só por si foram sendo causas de melhorias em vários sectores, com asneiras monumentais de todos a levarem-nos down the drain. mas sim, um passo atrás, dois à frente, o progresso é tal que até o aspirina já tem botões de share, e like, e tweet. ena. pá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.