O Ministro do CDS e da solidariedade ou lá o que é

Estou a imaginar o Ministro M. Soares, o do “plano da emergência social”, do qual utilizou uma ínfima parte, a pensar onde cortar, a quem pedir para ser “solidário” com o “esforço nacional”.
O ex Deputado pró-pensionistas/doentes/fracos viu a luz:
a) Cortar 6% no subsídio mínimo de desemprego (depois ia ser mais, mas voltou atrás em 24h). Agora são 374 Euros, a loucura;
b) Cortar 2, 5 % do Complento Social de Idosos, auferido por mais de 200 mil pessoas. Corta dos milionários 97 Euros para 87 Euros;
c) Cortar 6% ao RSI, mas isso é o CDS que acredita que os pobres são aldrabões;
d) Cortar no subsídio de doença, corta 6%, a gente acamada a gente que vive com essas pessoas.
e) cortar no subsídio por morte…
Sim, vamos pedir a estas pessoas que paguem a crise. Por que não? Até porque o Ministro suicidário afirma, hoje mesmo na AR, que “está no memorando”.
Para além da loucura e da cabeça perdida, a mentira. Não está no memorando. No OE para 2013 estão previstos cortes nas prestações sociais, para não variar, três vezes superiores ao previsto no memorando.
Há limites para o desrespeito de tudo.
E de todos.

One thought on “O Ministro do CDS e da solidariedade ou lá o que é”

  1. As pessoas que, como eu, acompanham as peripécias da nossa vida política ao pormenor, apanharam logo a discrepância do ministro da caridadezinha e sabem que ele está a jogar com as palavras, ou melhor dizendo, está a aldrabar.
    Acontece que muitos portugueses só lêem as gordas nos jornais e só veêm os telejornais quando há sangue ou futebol, por isso os vendedores de banha da cobra podem fazer bom negócio.
    Estes (des)governantes têm lata para tudo, mesmo para defender, em simultâneo, uma ideia e o seu contrário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.