O Governo e o respeito pelo serviço nacional de saúde tendencialmente gratuito. Sem mais palavras: as taxas desmoralizadoras

Em matéria de taxas moderadoras, temos mais um sinal de ideologia anti-Estado deste Governo. Nada mais fácil do que ir aos números, aos números que estarão em vigor a partir de Janeiro de 2012, num país que tem inscrito na sua Constituição o outrora consensual serviço nacional de saúde tendencialmente gratuito.
Vejamos por serviços, apresentando os valores sempre em euros:
1. urgência polivalente: passa de 9, 60 Euros para 20;
2. Urgência básica: passa de 8, 60 para 15;
3 urgência médico-cirurgica: passa de 8, 60 para 17, 50;
4. Urgência nos SPA: passa de 3,80 para 10,00;
5. Consulta de especialidade em centros de saúde ou hospitais: 4,60/2,10/2,25 passa para 7,50 (até aqui o preço variava consoante se tratasse de serviços prestados em hospitais distritais ou centros de saúde);
5. Consultas em Centros de saúde: passa de 2,25 para 5,00;
6. Consulta de enfermagem ou de outros profissionais de saúde nos centros de saúde: passa de 0 para 4,00;
7. Consulta de enfermagem ou de outros profissionais de saúde nos hospitais: passa de 0 para 5,00 ;
8. Consulta no domicílio: passa de 4,80 para 10,00.
Não é vinho, não é golf, é acesso ao serviço nacional de saúde.

16 thoughts on “O Governo e o respeito pelo serviço nacional de saúde tendencialmente gratuito. Sem mais palavras: as taxas desmoralizadoras”

  1. Sobre o assunto já escrevi q.b., mas chego sempre à mesma conclusão. Uma percentagem dos isentos irão ao hospital ou centro de saúde que lhes sair na rifa, se tiverem médico de família ou então utilizarão o que kjá utilizam neste momento.
    Quem pode pagar, recorrerá aos serviços privados onde pagarão menos na esperança de que o atendimento seja mais rápido.
    No fim, chegar-se-á à conclusão que há serviço nacional de saúde a mais e despedir-se-ão profissionais que lá trabalhem, que migrarão para os serviços privados com a especialidade e treino já feitos sujeitando-se a receber o que lhes quiserem pagar.
    E se a pescadinha de rabo na boca continuar, voltaremos aos velhos e decrépitos hospitais, com alguns profissionais dedicados, a mortalidade subirá e tudo que se gastou para chegarmos ao patamar a que chegamos será deitado fora.
    Mas há quem goste!

  2. Pelo valor destas taxas mordedoras estão isentos todos os agregados familiares com rendimentos inferiores a mil euros mensais per capita. Quem não tem dinheiro não tem doenças. Vamos voltar à medicina do farmacêutico da esquina.

    Mas não era isto que os portuguesas queriam quando votaram? Estavam à espera dos milagres da Sra. dos Passos? É a seguir.

  3. Caro Teófilo, os outros estão é isentos do serviço por manifesta falta de meios. Com sorte vamos directo ao farmacêutico e se calhar, melhor ainda, voltamos às mezinhas da avó. Tal como tinha dito, quem não tem dinheiro não tem vícios e para esta gente, está visto que a doença é um vício das nossas células.

    Já agora… cara, ou coroa.

  4. E quais são as propostas do PS???? Já agora gostava de saber, senhora deputada?

    Propostas Realistas e não ficções românticas esquerduchas como estamos habituados a ouvir da vossa parte??? Conversa da treta já tivemos de sobra durante anos a fio … pelos papagaios de má sorte que continuam a rodeá-la na sua bancada.

    Usa o SNS? Sabe o que isso é?

    Eles usam o SNS? Sabem o que isso é?

  5. Em relação ás insenções, estão também isentos, ao que parece :

    “Dadores benévolos de sangue (desde que tenham feito duas dádivas nos 365 dias anteriores à data do acesso à prestação de saúde; ou, caso estejam temporariamente impedidos, por razões clínicas comprovadas, de doar sangue, tenham feito, anteriormente, cinco dádivas validas; ou, caso estejam impedidos definitivamente, por razões clínicas comprovadas ou limite de idade, de doar sangue, tenham feito, anteriormente, dez dádivas validas).

    Para a malta dos 486 aos 1000 euros mensais de rendimento pode estar aqui uma oportunidade de beneficiar do sistema para o qual descontam e que só pontapés lhes está a dar ultimamente.
    E para os hospitais será benéfico também com doações generosas de sangue.

    De qualquer forma o link que o Teófilo M deixou acima apenas diz respeito ás isenções consagradas em portarias anteriores e até Dezembro de 2010.
    O governo actual diz que as vai aumentar, mas como já mentiu tantas vezes não me admirava nada que estivesse a mentir de novo…

  6. Ó Zé Migueis Francisco, eu uso o SNS e orgulho-me disso pelas minhas convicções socialistas. Sei que tinhamos um SNS que a OMS (Organização Mundial de Saúde, para quem não sabe!) classificou em 12º lugar. Não tenho de que me queixar antes pelo contrário só tenho que prestar a minha homenagem aos bons profissionais que me têm ajudado. Daqui para a frente tudo se encaminha para onde tu e eu sabemos!

  7. Ó Cícero abelhudo, és por acaso deputado? O que é que as tuas convicções socialistas têm a ver com o SNS e os teus frustres orgulhos?

    Daqui pra frente tudo se encaminha para onde tu e os teus camaradas socialistas tão bem sabem: depois do caos que instalaram no país e do eficiente desmantelamento do estado social que levaram a cabo. Por isso não tens que te queixar a não ser de ti próprio e dos teus pares, que viveram e parece quererem continuar a viver, naquele doce estado de ilusão financiada a juros baixos e conversa mole de embalar pategos?

    Eu como sou profissional do SNS, presto tb homenagem a mim próprio, bem como aos meus distintos colegas, a maioria dedicados e competentes servidores públicos.

    Mas que vocês não sabem do que falam, lá isso não … e depois da merda que fizeram deviam era ter vergonha na cara, muita vergonha mesmo, porque são uns teóricos perigosos e convencidos, como a deputadazinha isabel, em bicos de pés a falar do que não sabe … o costume por aqui!

  8. Este “distinto” imbecill do Zé Francisco está a precisar urgentemente de tratamento psiquiátrico. Aposto que nem trabalha e chula a mulher, coitada. Ou será que chula o marido? Agora há de tudo…

  9. Já não existe dúvidas. Há mesmo quem tenha os ministros que merece. No final do próximo ano pode ser que já estejam no privado a ganhar muito menos e com contrato cada vez mais precário. Talvez mesmo com a senha na mão à espera de vez na agência para a emigração. São inevitabilidades, dizem eles.

  10. Ó Zé da Tanga, arranjo-te uma caminha na psiquiatria durante dois a três dias, amarrado e anestesiado, não dá pra mais pá, que aquilo é pra malucos a sério, não para pobres de espírito e ranhosos como tu. mas tens que pagar uma taxita qualquer, pá.

  11. Caro Gato Vadio,
    o link que deixei é da responsabilidade do ministério da saúde, como é este que tem o dever de informar, espero que ao menos o saiba fazê-lo eficientemente, pois a eficiência é uma das suas bandeiras.

  12. Caro Zé Miguéis Francisco,
    e se em vez de diatribes inflamadas contra quem não é da sua opinião, nos desse casos específicos?
    Eu também como utente do SNS, que por acaso até já me salvou a vida, dei por mim a cogitar porque é que as funcionárias da limpeza não limpavam as casas de banho duma urgência (reclamei e fui de imediato atendido), porque é que utilizavam nas limpezas luvas cirúrgicas em vez de luvas de trabalho que lhes estavam distribuídas (gastando assim mais e com menos eficiência), que assisti a enfermeiros reformados a entrar nas UCI para gamar material sem que ninguém desse por ela, nem tampouco se importasse, que assisti ao desaparecimento de estetoscópios à velocidade da luz quando estes eram fornecidos pelo hospital, que soube do desaparecimento de equipamento de ponta que veio a aparecer em gabinetes médicos no exterior com a explicação que o estavam a estudar, onde já vi auxiliares comportarem-se como enfermeiros, enfermeiros como médicos e médicos como administradores e o seu contrário também, onde também vi abnegação, competência, dedicação para além do que era exigido, esforço disciplinador, sacerdócio, simpatia, paciência e muito mais coisas.
    Habilite-nos com as suas críticas, mas dispense-nos de comentários vazios de conteúdo, parece não ser muito o que peço.

  13. isso. e pagar actos de enfermgem prescritos por médicos? e veristo em percentgens? é que estamos a falar em aumentos que chegam aos 300%, ana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.