6 thoughts on “Não ceder.”

  1. Ó signora dótorra eue nu percebi beie o que quer dizer cum os principios in causa. num ma diga cus magistradus num estãoe a cumpri-los, hum?

  2. Não satisfeita em escangalhar a economia, o sistema financeiro, as empresas que controlam monopólios estratégicos, a coesão social, a credibilidade da justiça, o sistema de ensino, a notoriedade internacional,.. a actual maioria não quer terminar o mandato sem descredibilizar institucionalmente a actividade política e lançar uma suspeita permanente sobre os que dela se aproximem.

  3. ó JPFERRA dá o exemplo. Começa tu, com os teus derivativos. cala-te tu primeiro, num é?

    Bora, bamos lá discutir os princípios da murreirita. Ó IGNORANTEZES, manda aí um dos teus parexeres burrídicos, bá, táse a bere, já teins ali bué da material pra fazeres o teu requerimento. Guarda o do do in dubio pró reo pró final…fica melhoree. hum. oqueie.

  4. hum, taba a pençare em fazere um tixerte, com um cçelogane: não ceder – a luta cuntinua – o sócrates para a rua. tão a bere? um apelo à cumbersão da inocencia do socrates, bá. algum couturier em mente? hum?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.