Hoje, no DN, João Taborda da Gama – da falta de seriedade

Hoje, João Taborda da Gama faz, no DN, o impensável. Começa pelo elogio que subscrevo a um homem que conheci, como académica, na minha Universidade: Saldanha Sanches. Um homem maior do qual me despedi no último momento, como todas e todos que o admiravam. Chorei de raiva no dia em que Saldanha Sanches foi chumbado de forma persecutória nas suas provas de agregação. No dia seguinte, cruzei-me com ele e encontrei-o de cabeça levantada. Maior do que os menores que o arguiram e chumbaram.

João Taborda da Gama, num artigo no DN, tenta atirar para a lama Sampaio da Nóvoa, o Reitor, aquele que presidia às provas, tentando fazer passar a acusação de que o Presidente do júri poderia ter impedido a infâmia dos Professores que curiosamente João Taborda da Gama não cita. Eu estava lá. Sei como funciona um júri. Sei que a arguição feita por quem a fez foi um atentado à liberdade de Saldanha Sanches que acabou sorrindo dizendo “reformo-me como coronel”. Sei, como Saldanha Sanches soube, que Sampaio da Nóvoa ficou tão incomodado com aquelas provas como alguns dos meus colegas professores que foram abandonando a sala. Sei que o pouquíssimo que pode fazer um mero presidente de júri foi feito, no caso.

Este texto não é um apoio à candidatura de Sampaio da Nóvoa. É uma reação indignada perante quem se atreve a usar a memória de Saldanha Sanches enviesadamente para fins políticos imediatos. Definitivamente, João Taborda Gama não herdou a liberdade de Saldanha Sanches. Nem, claro, a seriedade.

20 thoughts on “Hoje, no DN, João Taborda da Gama – da falta de seriedade”

  1. Deveria ter indicado quais foram os tais arguentes nas provas de
    Saldanha Sanches dado que, ao Taborda só interessou citar o prof.
    Sampaio da Nóvoa como presidente do júri!
    Naturalmente, esse artigo de opinião insere-se na falta de qualida-
    de das crónicas do referido articulista ao que parece familiar próxi-
    mo de um falado possível candidato ao lugar em disputa!

  2. o taborda é um merdas. foi da juventude social democrata, aluno do saldanha sanches, consultor do cavaco e filho dum nabo que gostaria de ser nomeado presidente da república sem ter a maçada de concorrer a eleições. o saldanha sanches foi outro merdas, cuja obra de esquerda foi facilitar o caminho à direita, o névoa ibidem e o marcelo um verdadeiro cagalhão sem escrúpulos. resumo: perda de tempo.

  3. sei o que é a injustiça.num exame fui apanhado a copiar.a lei impedia o aluno de fazer os restantes exames e eram 7. só que uns dias mais tarde,o chefe de secretaria chama um irmão meu e diz-lhe: olha: em 24 anos de serviço nesta escola,sempre ultrapassamos esta lei,dando um 4 como nota,para o aluno prosseguir nos exames. fizeram isto porque eu estava de ferias.foi a vingança de um fascista,que depois de abril se filiou no mdpcde!hoje passo por ele ainda lhe chamo filho da puta!

  4. A “u”NIVERSIDADE “zinha” no seu melhor. Mas porque haveria ela de ser diferente dos bostas oficiantes das missas dominicais celebradas a esmo nos canais televisivos já que muitos deles são ou foram seus representantes?
    Quanto ao Sampaio da Nóvoa, os oficiantes, os gargantas fundas, as pegas travestidas de jornalistas e quejandos, já começaram o seu sujo desporto de “tiro ao Nóvoa”. Na realidade já o tinham começado no “tiro ao Costa”.
    Por amor da santa, comparar o Nóvoa com o Santana, Marques Mendes, Morais, Marinhos e Carvalho da Silva, é , como diz o meu amigo “Bananas” aqui de Alcântara, comparar “cagalhões com alpista”.
    Enfim os camaradas “xuxialistas” preparam-se alegremente, outra vez, para meter o pé na argola. Os betos da esquerda, que apoiaram o beto Alegre, sonham desta vez com o Carvalho da Silva e nós lá teremos que levar com o oficiante dos Domingos. A direita apesar de tudo sabe muito bem onde está o seu interesse.

  5. O Reitor pode ou não agir para repor a justiça num concurso enviesado. Se era presidente do júri é difícil de aceitar que não podia fazer mais nada?

    Ainda como reitor lançou um concurso para uma posição na universidade em que era pedido, de chapa, que a pessoa tivesse feito certa tese de doutoramento e tido tantos meses disto e daquilo. Era um concurso ilegal, cozinhado.

    Escrevi-lhe a denunciar o concurso mal foi lançado o edital. Identifiquei a pessoa que ia ser contratada ainda antes de conhecer a lista de quem ia ser contratado.

    Nem resposta obtive. A tal pessoa foi contratada, em mais um ‘concurso’ de contratação pública português.

    Neste caso podia e devia ter intervido. Não o fez.

    No anterior, como reitor, tenho sérias dúvidas que não o pudesse ter feito. Não quis foi a chatice.

  6. actualmente existem esquemas semelhantes na justiça e na escolha de magistrados que são aplaudidos pelos mesmos que levantaram e defendem o incidente de suspeição sobre o nóvoa, mas o importante do caso e aquilo de que ninguém fala, por susposto pudor ao saldanha e reverência ao marcelo, é que o primeiro não reunia condições técnicas para o lugar, sabia-o e resolveu armar bronca tornando o exame num caso político e o segundo fomentou o número artístico, em vez de o dissuadir ainda o entusiasmou a prosseguir com a cena e agora diz que votou no saldanha embrulhando os outros jurados no chumbo, cuja decisão foi secreta.

  7. Caro fifi, o precepitado será mesmo o Soares? Não creio. O “velho” que vê mais com olho do que vocês com três, destrunfou. Obrigou alguns nanhosos “xuxialistas” a deixarem as meias-tintas e outros socialistas a pensarem no assunto. Aceito o teu conselho “aguento as fezes”. Mas tu meu amigo adquire com urgência um rolo de papel higiénico, pois se não tiverem cuidado a “caganeira” vai ser homérica.

  8. j afonso,as nossas caganeiras,acontecem pelos proprios erros e com as ajudas da extrema esquerda à direita.por muito mal que o ps governe,nunca chegamos aos calcanhares da direita.um exp. a direita depois de nos pôr a pão e agua ainda diz que é preciso reduzir o custo do trabalho.a extrema esquerda (syriza) mesmo coligada com a direita,não consegue cumprir uma unica promessa das muitas que fez. o pcp não adianta falar,basta ver o panorama onde se instalou e na europa ocidental a importancia que o povo lhe atribui.continuem a pensar nos “amanhas que cantam “e depois queixem-se.eu como votante no ps,não posso exigir nem estou disposto a passar por tantos sacrificios para atingir o nivel dos paises comunistas!onde o seu bem estar é inversamente proporcional ao sacrificios. para esse peditorio não dou.dizer mal de um governo para mim é meio sustento,saber que ninguem me prende. é optimo.bom fim de semana para todos. vou até ao minho.

  9. eu cá gosto de salazar. precisamos de um salazar. ou de um marquês com visão. ou de um robin hood, tipo isaltino.

  10. Cara Isabel,

    A culpa do sucedido em primeira instância é dos seres menores que chumbaram Saldanha Sanches. Desprestigiam o meio acadêmico e fazem corar de vergonha uma classe inteira nao se revê naquela avaliação.
    Sampaio da Novoa devia ter simplesmente abandonado a sala, deixando o circo aos palhaços que o quiseram fazer. Sampaio da Novoa não o fez, não se distanciou, agiu sob o manto da cobardia e isso não o desculpa.

    E sim, o texto de Joao Taborda da Gama é excelente. Descreve um homem que deixa saudades a quem sente o país, e retrata um situação humilhante para a democracia portuguesa.

  11. Belo artigo, foi.pena nao ter dito o que se.passou a posterior para demonstrar o caracter der certas pessoas que nao premeiam o merito mas sim os favores

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.