É simples

O MNE, ainda que não tivesse mais nenhuma fragilidade, tem de ser demitido.

Chega.

Um Ministro que revela detalhes de um processo – diz que não é nada para preocupar Angola – mente e viola o mais elementar entendimento que um democrata tem da separação de poderes.

Na entrevista em que tenta recuperar a ferida diplomática com Angola, diz que falou com quem hoje o desmente.

De resto, mesmo se fosse um lambão da fuga do segredo de justiça, o senhor tinha de ficar calado, como sabe, até porque é advogado.

Agora, remete a nossa humilhação perante Angola para um despacho da PGR que não o justifica em absolutamente nada.

Chega.

6 thoughts on “É simples”

  1. Sempre fomos uma colónia angolana.

    E continuamos dependentes dessa potência.

    Os angolanos sempre conseguiram baralhar e opôr portugas contra portugas.

    Nunca mais nos livramos deles!

  2. ´
    só de microscopio e bastante potente, será possivel descortinar a motivaçao que leva este advogado de nome na praça, a aceitar um cargo no governo liderado pelo homem mais desacreditado da democracia portuguesa .por este comportamento recente, compreendo melhor a critica dos embaixadores americanos à sua gestaõ na associaçao portugal/ eua.

  3. Não chega, não, Isabel. Ladrão-receptador e mentiroso não são delitos que justifiquem, perante este Presidente Cavaco e um governo sem um pingo de ética, uma demissão. Se vós, os deputados da nação, continuarem a não passar das lamúrias inconsequentes, como as que aqui a Isabel deixou no blog, em breve saber-se-á que um ministro matou e esfolou e ninguém o vai demitir, porque o caso ficará entregue aos tribunais e estes farão o seu trabalho…Perdeu-se por completo a noção da ética na política e não há ninguém disposto a dar um murro na mesa, lançar a pedrada no charco. Já se percebeu, Isabel, que eles estão dispostos a não deixar cair nenhum dos seus. Se o próprio PR não tem escrúpulos em guardar, muito bem guardadas, as mais-valias das suas acções de amigo da SLN, que há muito sabe que é dinheiro gerado no crime e que nós todos estamos a pagar, porque deveriam sentir-se responsáveis o Rui Machete ou a Maria Luis pelas suas mentiras? Sabendo da situação económica cada vez mais penosa do país, fazem chantagem sobre a oposição, obrigando-a a “engolir” tudo, acenando com papão da instabilidade e castigo certo e terrivel dos mercados. E vocês ajoelham, lamuriando, porque já interiorizaram que nâo se pode fazer nada, nem contra o Presidente nem contra qualquer ministro trafulha. A luta de rua desapareceu. Não que se tenha esgotado na contestaçâo ao governo anterior, mas porque já se percebeu que é de todo ineficaz. E lutar para quê, se os próprios deputados (da oposição) são completamente impotentes perante o poder avassalador de S.Bento e Belém, instituições de onde desapareceu a noção da ética republcana. Chegamos a isto. Pena que não apareça um deputado a imitar Daniel Campêlo, mas por uma causa bem mais nobre, e faça greve de fome ou semi-greve, até que os ministros comprovadamente mentirosos peçam a demissão. Talvez o povo começasse a acreditar que ainda há alguém na AR que dê a cara, de verdade, por um mínimo de ética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.