Desemprego: dados do Eurostat de ontem

Segundo o Eurostat, em maio, a taxa de desemprego em Portugal atingiu os 15,2%, subindo 2,5 pontos percentuais (p.p.) face a maio do ano passado e mantendo o mesmo valor face ao mês anterior. A população desempregada foi estimada em 822 mil, representando mais 126 mil desempregados (+18,1%) que no mês homólogo do ano passado. Em média, em relação ao ano passado, são mais cerca de 350 desempregados por dia, 15 por hora.Portugal apresenta a 4ª taxa de desemprego mais elevada da UE27 (a seguir à Espanha, Grécia e Letónia), o 4º maior crescimento homólogo (a seguir à Grécia, Espanha e Chipre). A taxa de desemprego em Portugal, cresceu mais do triplo que a da União Europeia e mais do dobro que a da zona euro (em termos homólogos). O ano passado, em maio, Portugal apresentava uma taxa de desemprego de 12,6%, situando-se na 8ª taxa de desemprego mais elevada.

Na União Europeia, a taxa de desemprego foi de 10,3%, crescendo quer em relação ao ano passado (0,8 p.p.) quer face ao mês anterior (0,1 p.p.). Na Zona Euro, a taxa de desemprego foi de 11,1%, crescendo em relação ao mês homólogo (1,1 p.p.) e ao mês precedente (0,1 p.p.). O Eurostat estima 24,8 milhões de desempregados em toda a União Europeia dos quais 17,6 milhões na zona euro. No espaço de um ano, o nº de desempregados na União Europa cresceu 8,5%: são mais cerca de 2 milhões de desempregados. Só na zona euro há mais 1,8 milhões de desempregados (+11,6%). Os países da zona euro são responsáveis por 70% do total do desemprego da UE.

Espanha apresenta a taxa de desemprego mais alta da UE (24,6%) e, pelo contrário, a Áustria regista a taxa de desemprego mais baixa, com 4,1%.
A taxa de desemprego juvenil, em Portugal, é de 36,4%, (+ 7,0 p.p. de crescimento homólogo e -0,1 p.p. de crescimento mensal) o equivalente a 159 mil jovens desempregados. Portugal ocupa a 4ª taxa de desemprego juvenil mais elevada da UE (a seguir à Grécia, Espanha e Eslováquia) e o 3º maior crescimento, face ao ano passado. São mais 32 mil jovens desempregados que no ano passado (1/4 de crescimento, ou mais 88 por dia). A taxa de desemprego juvenil em Portugal cresceu mais do triplo que na Zona Euro e mais do quádruplo que na União Europeia (em relação ao ano passado). Na UE27, a taxa de desemprego juvenil fixou-se em 22,7% (+1,7 p.p. de crescimento homólogo e +0,2 p.p. de crescimento mensal) e na Zona Euro em 22,6% (+2,1 p.p. de crescimento homólogo e 0,2 p.p. de crescimento mensal). Na UE27 há 5,5 milhões de jovens desempregados dos quais 3,4 milhões estão na zona euro.
A maior taxa de desemprego juvenil regista-se em Espanha e Grécia, com 52,1% (dados referentes a março para a Grécia).

Pelo contrário, a Alemanha apresenta a taxa de desemprego juvenil mais baixa da Europa (7,9%).

Está tudo bem. Nada a alterar.

4 thoughts on “Desemprego: dados do Eurostat de ontem”

  1. Já o mérito de não ser ainda muitíssimo pior, esse, é da Moura Guedes e do maridinho, do Mário Crespo, do Zé Manel Fernandes, do Pacheco, do Medina Carreira, do Jerónimo, do Dias Loureiro, do Catroga, do Duque, do Borges, do Moedas, do Louçã, da Manela, do Relvas, do Portas, do Coelho, do Gaspar e do Cavaco. Claro…

  2. E do Vasco Graça Moura e do Pulido Valente e do Pina e do Carrilho e do Lobo Antunes e do Campos e Cunha e do Seguro, claro, o mérito de o desemprego em Portugal não ser ainda muito maior, por culpa do Sócrates, é também do Seguro…

  3. É sim senhor, é culpa do Sócrates, pois!!! Se em vez de estar a estudar em Paris estivesse a trabalhar em Portugal, de certeza que a taxa de desemprego era muito mais baixa, para aí uns 15,199999999999999999999999999999999999999999999999%, ora pois!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.